Últimos assuntos
» Decreto dominical a caminho
Dom Fev 19, 2017 7:48 pm por Augusto

» Acordem adventistas...
Ter Fev 07, 2017 8:37 pm por Augusto

» O que Vestir Para Ir à Igreja?
Qui Dez 01, 2016 7:46 pm por Augusto

» Ir para o céu?
Qui Nov 17, 2016 7:40 pm por Augusto

» Chat do Forum
Sab Ago 27, 2016 10:51 pm por Edgardst

» TV Novo Tempo...
Qua Ago 24, 2016 8:40 pm por Augusto

» Lutas de MMA são usadas como estratégia por Igreja Evangélica para atrair mais fiéis
Dom Ago 21, 2016 10:12 am por Augusto

» Lew Wallace, autor do célebre livro «Ben-Hur», converteu-se quando o escrevia
Seg Ago 15, 2016 7:00 pm por Eduardo

» Ex-pastor evangélico é batizado no Pará
Qua Jul 27, 2016 10:00 am por Eduardo

» Citações de Ellen White sobre a Vida em Outros Planetas Não Caídos em Pecado
Ter Jul 26, 2016 9:29 pm por Eduardo

» Viagem ao Sobrenatural - Roger Morneau
Dom Jul 24, 2016 6:52 pm por Eduardo

» As aparições de Jesus após sua morte não poderiam ter sido alucinações?
Sab Jul 23, 2016 4:04 pm por Eduardo

SEU IP
IP

O Santo Sábado do Senhor

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ir em baixo

18012010

Mensagem 

O Santo Sábado do Senhor






Muitos irmãos que não admitem a diversidade de leis na Bíblia, afirmam que o Sábado é cerimonial. Valem-se de certas passagens isoladas e deslocadas das Escrituras, para garantirem que o Sábado está nulo hoje. Mas, que diz a Bíblia?
O Santo Livro faz referência clara e insofismável a dois Sábados. A saber: o sábado cerimonial e o Sábado moral. Trocado em miúdo: Um de Deus e outro do homem. Um abolido, outro em vigor. Um é o Sábado do sétimo dia da semana. O outro ocorria em datas fixas do ano, como se fora um feriado nacional. Era apelidado de Sábado porque ao chegar revestia-se de toda a solenidade do santo Sábado do Senhor. Eram os “FESTIVAIS” sabáticos (Isaías 1:13; Oséias 2:11).
SÁBADOS MORAIS
Consideremos, em primeiro lugar, o Sábado do sétimo dia da semana, pois é o dia de guarda estabelecido por Deus, após a criação do mundo. Santificado, separado e abençoado. É ele encontrado na Bíblia em vários lugares, dos quais destacamos: Êxo. 20:8-11; 23:12; 31:15; 35:2; Mar. 2:28; Mat. 24:20; Apoc. 1:10 (João o denominava “O Dia do Senhor”, etc).
É O ÚNICO DIA ABENÇOADO E SANTIFICADO POR DEUS
“E abençoou Deus o sétimo dia, e o santificou…” Gên. 2:3. (Mais: Êxo. 20:11; 31:14; 35:2; Deut. 5:12; Jer. 17:22,27; Eze. 20:20, etc.).
É TAMBÉM UM SINAL ENTRE DEUS E SEUS FILHOS
“E santificai os Meus sábados, e servirão de sinal entre Mim e vós…” Eze. 20:20. (Mais: Êxo. 31:13, 17; Eze. 20:12; Apoc. 7:2 e 3; 9:4, etc…).
DEUS OS CHAMA DE “OS MEUS SÁBADOS”
“Guardareis os Meus Sábados…” Lev. 19:30. (Mais: Lev. 19:3; Êxo. 31: 13; Lev. 26:2; Isa. 56:4; Eze. 20:12, 13, 16; 20:21, 24; 22:8,26; 23:38; 44:24, etc…).
SÃO TAMBÉM CLASSIFICADOS DE SÁBADOS DO SENHOR

“…Amanhã é repouso, o santo Sábado do Senhor…” Êxo. 16:23. (Mais: Êxo 16:25; 20:10,11; 31:15; Lev. 23:38; Deut. 5:14; Nee. 9:14, etc…).
Prezado irmão, por estas passagens bíblicas, não há dúvidas de que o Sábado do sétimo dia da semana é o quarto mandamento da santa, justa e boa Lei de Deus (Rom. 7:12). E este Sábado foi abonado da seguinte maneira, por Seu Criador, o Senhor Jesus: “E orai para que a vossa fuga não aconteça no inverno NEM NO SÁBADO” (Mat. 24:20). E arremata categoricamente: “…assim o Filho do Homem, até do SÁBADO É SENHOR.” (Mar. 2: 28).
Eis portanto diante de você o santo Sábado do Senhor. O selo da criação, que revela e aponta Deus como o verdadeiro e único Criador de todas as coisas. Por conseguinte, este mandamento é parte integrante da Lei Moral, e classificado por Deus como: “DIA SANTIFICADO”, “MEU SÁBADO” e “SÁBADO DO SENHOR.”
SÁBADOS CERIMONIAIS

O tratamento que Deus dá a estes sábados é bem diferente. Apelo ao Espírito Santo para que o irmão alcance esta diferença e a faça valer.
DEUS OS CHAMA DE “OS VOSSOS SÁBADOS”
“…duma tarde a outra tarde, celebrareis o vosso sábado.” (Lev. 23:32).
TAMBÉM CLASSIFICA O SENHOR DE “OS SEUS SÁBADOS”
“E farei cessar… as suas luas-novas, e os seus sábados…” Oséias 2:11.
(Mais as passagens: Lev. 16:29-31; 23:5-8, 15-16, 24, 37, 39; 26:34, 35, 43; Lam. 1:7; (2:6); Isaías 1:13 e 14.
Esses sábados cerimoniais eram em número de sete. Eles tinham uma finalidade: “Eram sombras das coisas futuras” (Heb. 10:1). Aconteciam durante o transcorrer do ano judaico. Eram datas fixas em dias móveis; data fixa quer dizer um dia de determinado mês. Dia móvel indica que esse dia podia cair numa segunda-feira, quarta, sexta, etc. Quando o sábado cerimonial caia no Sábado do sétimo dia, este era considerado “Sábado grande”. João 19:31.
Exemplo: 15 de Novembro é feriado nacional, mas ele não cai todos os anos no mesmo dia da semana. Há ocasiões em que ocorre na segunda, quinta, domingo e até mesmo no Sábado.
Veja, então, a data é fixa: 15 de Novembro. Mas o dia é móvel: pode cair em qualquer dia da semana, e quando acontece, é feriado. Eram feriados fixos. Esses festivais sabáticos estão em Levíticos capítulo 23 e eram os seguintes:

  • 1º Sábado – Páscoa – 15º dia do primeiro mês
  • 2º Sábado Festa dos Pães Asmos – 21º do primeiro mês.
  • 3º Sábado – Festa das Prímicias(Pentecostes) – 6º dia do terceiro mês.
  • 4º Sábado – Memória da Jubilação(Festa das Tormbetas) – 1º dia do sétimo mês.
  • 5º Sábado – Dia da Expiação(Yonkipur-Grande yoma) – 10º dia do sétimo mês.
  • 6º Sábado – 1º Dia da Festa dos Tabeernáculos – 15º dia do sétimo mês.
  • 7º Sábado – Último dia da Festa dos Tabernáculos – 22º dia sétimo mês.

Esses dias eram chamados sábados, porque, ao chegarem, imprimiam na mente dos israelitas a mesma santidade do Sábado semanal. Como vê, irmão, nesse exaustivo consultar da Bíblia, denota-se que há uma diferença entre o Sábado de Deus (semanal) e o Sábado do homem (cerimonial).

Efetivamente, há um abismo entre os dois. O Sábado semanal Deus chama de “MEU SÁBADO” e “SANTO SÁBADO”, e o sábado cerimonial classifica-o de “SEU SÁBADO” e “VOSSO SÁBADO”. O Sábado do homem está sempre ligado com cerimônias, abluções, ofertas, manjares, e ordenanças, ao passo que o de Deus está ligado com ações morais.

Se alguém ainda duvida, tome a Bíblia novamente e vamos ler pausadamente: “ALÉM DOS SÁBADOS DO SENHOR…” (Lev. 23:38). Veja a clareza da expressão divina: “ALÉM… dos Sábados do Senhor.” Denota-se seguramente a existência de outros sábados. (Efetivamente, os sábados cerimoniais).

Sabe irmão, o Sábado semanal foi instituído na criação, e nele Deus descansou. O Sábado cerimonial foi instituído no Sinai, e nele Deus não descansou. O Sábado do sétimo dia era guardado 52 vezes ao ano (uma vez por semana); o cerimonial o era 7 vezes ao ano. O Sábado do sétimo dia foi criado antes da queda do homem; o cerimonial, após a entrada do pecado. O Sábado do sétimo dia da semana foi criado “no ambiente da original perfectibilidade edênica, em que o homem, sem a jaça do pecado, privava com o seu Pai Celestial.” – Subtilezas do Erro, pág. 136.


Por isso ele é exclusivamente moral.

“O Sábado parece ter sido ordenado aos nossos pais logo que foram criados; e juntamente com a instituição do casamento constituem as únicas relíquias que nos restam da vida sem pecado no paraíso. O mandamento de santificá-lo foi incluído entre os Dez Mandamentos, a lei moral, QUE É DE OBRIGAÇÃO PERPÉTUA.”
– Comentário do Evangelho de São Mateus, Vol. 1, pág. 344, de John A. Broadus (teólogo Batista)

“O Sábado é de OBRIGAÇÃO PERPÉTUA… A sua instituição antedata o Decálogo e forma parte da Lei Moral.” – Teologia Sistemática, pág. 408, de A.H. Strong (teólogo Batista)

Bem irmão, como o Sábado do Decálogo não é cerimonial, pelo que foi apresentado neste estudo, e alicerçado nestas duas declarações, reasseguro-lhe: Ele não foi abolido, e agora ficará fácil entender as passagens de Isaías 1:13; Oséias 2:11; Colossenses 2:16; Romanos 14:5 e Gálatas 4:10, etc., não é?




SÁBADO SEMANAL SÁBADO CERIMONIAL

Instituído na criação.(Gên.2:1-3)
Instituído no Sinai.(Lev.23)

Deus descansou.

(Gên.2:1-3)
Deus não descansou.

Deus mesmo anunciou e escreveu. Êxo. 31:18

Moisés escreveu

(Êxo. 32:15 e 16 e

Deut. 31:24-26).
Guardado cada semana (Êxo. 20:8).Guardado uma vez por ano.
O quarto mandamento não fala de sábados anuais, sim semanais.
Sábado anual não abrange
sábados anuais (Êxo. 20:8). dos do Senhor (Lev. 23:37 e 38).
É um sinal eterno (Êxo.31:16 e 17)Devia cessar (Oséias 2:11).
Não foi abolido (Atos 15:21;17:1 e 7)Acabou-se na cruz (Efé. 2:14 e 18:4; Mat. 24:20; Luc. 23:56 Col. 2:14-17).

Deus o chama de Meu Sábado.(Eze. 20:20; Lev. 19:30)

Deus o chama seu Sábado

(Oséias 2:11; Isaías1:13).



Texto: Lourenço Gonzales




A MORALIDADE DO SÁBADO

Etimologia - A palavra hebraica shabbat vem do verbo shavat ou shev, que literalmente significa 'cessar', em associação com cessação de trabalho. Em hebraico, ambas as palavras estão relacionadas com o conceito de greve, parada programada das atividades, parada programada dentro produção, desemprego do trabalho ou simplesmente batente. É importante observar que o shabbat da palavra não significa “o descanso”, no sentido reabastecer forças. Eterno não precisou de descansar depois que seu trabalho da criação. Embora shabbat ou sua versão anglicizada "Sabbath" é traduzida quase universal como o "descanso" ou um "período do descanso", uma tradução mais literal "estariam cessando", com a implicação de "cessar do trabalho". Assim, shabbat é o dia de cessar do trabalho; quando descansar for implicado, não é um denotation necessário da palavra próprio. Para o exemplo a palavra hebrew para a "batida", shevita, vem da mesma raiz hebrew que o shabbat, e tem a mesma implicação, a saber que os trabalhadores impressionantes abstain ativamente do trabalho, melhor que passiva "descansando". Incidentally, isto esclarece a pergunta theological frequentemente-perguntada de por que Deus needed "para descansar" no sétimo dia de Criação, como relacionado no Genesis cliente. Quando se compreende que o deus "cessou" de seu trabalho melhor que "descansou" de seu trabalho, o uso é mais consistente com a vista biblical do omnipotent Deus que não necessita o "descanso."notwithstanding este esclarecimento, este artigo seguirá a tradução distante mais comum de shabbat como o "descanso." Uma confusão lingüística comum conduz a muitos acreditar que a palavra significa o "sétimo dia."though a raiz para sete, ou sheva, é similar no som, ele é soletrado diferentemente.

O sétimo dia é o sábado (Strong - Êxodo 20:10)

Sétimo (Ver h7657 HEBRAICO. Strong # 7637 - shbiy `iy / sheb-ee-ee"): SHBI ou iy (sheb-ee-ee '); ordinal de 7657; sétimo: - o tempo (sétimo).

Dia (Strong # 3117 - yowm / yome): a partir de uma raiz não utilizada sentido de ser quente, um dia (como a hora quente), seja literal (do nascer ao pôr do sol, ou de um pôr do sol para o próximo), ou figurativo (um espaço de tempo definido por um termo associado), (advérbio freqüentemente usado): - a idade, + sempre, + Chronicals continuamente (-mento), diariamente, (nascimento (,), cada um, ao) dias, (agora um, duas) dias (agone), + velho, final X, + noite, + (para) sempre (-lasting,-mais), X plena, a vida, como (quase) desde que (.. vivo), (mesmo) agora , + velho, + sobreviveu, + perpetuamente, atualmente, + restar, exigida X, estação, desde X tempo, espaço, então, um processo (de), + como em outras vezes, + problemas, previsão do tempo, (as), quando, (a, os, dentro de um tempo) (que), X todo (idade +) (completo) ano (-ly), + jovens.
Sábado (Ver h7673 HEBRAICO. Strong # 7676 shabbath - / Shab-bawth '): Shabbos ou Shabbes na pronúncia asquenazi, intensivo em 7673; intervalo, ou seja (especificamente) a sábado: - (+ a cada sábado).


Definição - A ordem de um dia de descanso é ordenado diretamente por D-us no Tanakh após os seis dias de criação. Dentro do Tanakh sua observância é considerada de extrema importância, aparecendo como o quarto dos dez mandamentos (Êxodo 20:8-11 e Deuteronômio 5:12-15). A tradição judaica acredita que um dia inicie com o pôr-do-sol e termine com o pôr-do-sol seguinte, pelo que o SHABAT inicia-se com o pôr-do-sol da sexta-feira comum e termina com o pôr-do-sol do sábado comum.

Em algumas ocasiões a palavra Shabat refere-se a lei de Shemitá, a feriados judaicos ou a uma semana de dias, dependendo do contexto mas sempre associado a um período de cessação de trabalho.

Eis três estudos para compreender a moralidade do princípio sabático e a relação do quarto mandamento com o sétimo dia da semana. Clique em cima dos títulos abaixo para ser redirecionado ao artigo desejado.


~~~~~~~~~~~~~~~~


POR QUE O SÁBADO NÃO É CERIMONIAL

Dez razões bíblicas por que o sábado não pode ser um preceito cerimonial.


~~~~~~~~~~~~~~~~


POR QUE O SÁBADO É MORAL

Dez razões bíblicas que definem a natureza moral do princípio sabático no quarto mandamento.


~~~~~~~~~~~~~~~~


POR QUE O SÁBADO É O SÉTIMO DIA

Quinze razões bíblicas por que o sábado tem que ser especificamente o sétimo dia da semana.





Perguntas e Respostas sobre o Sábado


Autor: Gilson Medeiros



É impressionante como ainda existem tantos absurdos sobre a doutrina do sábado no meio não-Adventista. São muitas as pessoas que se deixam cegar por informações equivocadas, achando que tais ensinos lhes dão argumentação para não guardarem o sétimo dia da semana como o Sábado do Senhor.

Freqüentemente algumas dessas pessoas, que graças a Deus são leitoras do blog (pois assim estão tendo um contato real com o que a IASD ensina), enviam para mim as suas contestações sobre nossa doutrina, se valendo destes argumentos frágeis e escrituristicamente falhos.

Vou, então, aproveitar para colocar uma postagem em forma de "perguntas e respostas", tentando contemplar os principais (não todos, porque são inúmeros) erros que os críticos dos Adventistas cometem, ao justificarem sua não-aceitação da validade do 4º Mandamento nos dias de hoje.

1. Se houve mudança no calendário, como saber se o sábado que se guarda hoje foi o mesmo instituído por Deus no princípio?

Este é o tipo do argumento que se usa sem confirmar as informações primeiro. Alguns apenas se limitam a repetir o que ouvem de outros, mas não se dão ao trabalho de conferir se tal informação é correta.


Houve, sim, uma mudança no calendário gregoriano, mas ela não afetou o ciclo semanal. Ou seja, os dias da semana não tiveram sua ordem alterada por ocasição do arranjo temporal do calendário.

"Em 1582, o Papa Gregório XIII, aconselhado pelos astrônomos, decretou pela bula Inter gravíssimas que quinta-feira, 4 de Outubro de 1582, seria imediatamente seguido de sexta-feira 15 de Outubro para compensar a diferença acumulada ao longo de séculos entre o calendário juliano e as efemérides astronômicas (veja mais detalhes)".

Portanto, vê-se claramente que não há base histórica para dizer que os dias da semana foram alterados. Ademais, os judeus, a quem foram dadas as tábuas da Lei, jamais se "atrapalharam" na observância do sábado, o que mostra que tal dia JAMAIS foi perdido no tempo.

2. Como guardar o sábado em um mundo cheio de fusos horários? Se é sábado no Brasil, não é no Japão. Portanto, o Mandamento fica sem sentido.

Outro argumento (pasmem!) muito usado, mas que é de uma fragilidade infantil.


Onde a Bíblia diz que TODOS deveriam guardar o sábado ao mesmo tempo? Isso só ocorrerá na eternidade, na Nova Terra (cf. Isa. 66:22-23).

O importante, segundo o Mandamento, é guardar o sábado onde quer que estejamos. E ponto final!

3. Quando Jesus disse que o sábado foi feito "por causa do homem", Ele não estava dizendo que é mais importante a nossa manutenção do que a santidade deste dia? Por exemplo: se eu estiver em perigo de perder meu emprego se guardar o sábado, então posso deixar o mandamento de lado.

O sábado foi mesmo criado "por causa do homem", pois tudo neste mundo (natureza, animais, igreja, família, sexo, salvação, sábado, perdão, etc.) foi criador pelo Senhor para benefício da Sua mais importante criatura – o homem. Tudo foi feito “por causa”, ou seja, em benefício do homem. Dizer que nesta declaração Jesus está afirmando que não precisamos obedecer ao mandamento do sábado é, no mínimo, um desprezo às mais elementares regras de interpretação.


Se Jesus tivesse realmente ensinado que o sábado era para se deixar de lado em benefício do ser humano, por que as mulheres que O seguiam preferiram guardar o mandamento em vez de preparar o corpo do Senhor na sepultura? (cf. Luc. 23:54-56). Se o homem é mais importante que o sábado (a ponto de ter o direito de escolher guardá-lo ou não), quanto mais o Senhor Jesus, o "dono" do Sábado! (clique aqui e veja um estudo completo sobre o sábado no NT).
Quando se tenta fundamentar uma desobediência o resultado é sempre o mesmo: heresia. E tem uns "Centros Apologéticos" por ai que se especializaram em criar estas heresias mirabolantes...

4. A aliança do sábado foi feita desde o Éden, ou só após Israel ser libertado do Egito?

O sábado foi instituído por Deus no início da Criação, fechando o clico semanal de sete dias, que Deus instituiu para ser o padrão para toda a humanidade. Certamente era propósito do Senhor de que o sábado fosse uma bênção para todos, não só para judeus, pois eles ainda nem existiam no Éden (cf. Gên. 2:1-3).

O livro de Isaías, em seu capítulo 56, versos de 1 a 8, deixa claro que o desejo do Senhor era que o sábado se tornasse uma bênção para TODOS os povos, não só para Israel.

5. Devo adorar a Deus no sábado ou "em espírito e em verdade"?

Esta é uma pergunta que a Bíblia responde muito bem. Vejamos um verso bíblico que mostra o que Deus pensa sobre esta “adoração” que rejeita a Sua autoridade como Senhor sobre a humanidade: “o que desvia os ouvidos de ouvir a lei, até a sua oração será abominável” (Prov. 28:9).

Para os que conhecem alguém que está “desviando os ouvidos” de ouvir a santidade da Lei de Deus, advirta-o em nome de Jesus! Deus é tão correto com Sua Palavra (por isso podemos confiar nEle) que nem mesmo a oração daqueles que insistem em rejeitar Sua Lei, que é a norma pela qual todos seremos julgados (Tiago 2:12), Ele atende... Viu como é sério?!
Então, estou certo de que Deus deseja ser adorado NO SÁBADO do sétimo dia, em espírito e em verdade, bem como nos outros 6 dias, porque uma coisa não pode excluir outra.

Se Deus disse que é para adorar no sábado, e já mostrei inúmeras passagens que provam isso, então É PARA ADORAR EM DIA DE SÁBADO SIM....

6. Existe base bíblica para que o sábado seja guardado por todos os povos, e não somente pelos judeus da Antiga Aliança?

Esta pergunta já foi amplamente respondida aqui no blog. Porém, apenas para confirmar, temos o relato de Gên. 2:1-3, o de Isaías 56 (que considero muito forte), a vida dos apóstolos de Cristo (especialmente no livro de Atos) e as passagens de Apocalipse 12:17 e 14:12, que mostram CLARAMENTE que o povo de Deus que estará vitorioso nos últimos dias é aquele que GUARDA OS MANDAMENTOS DE DEUS, e o único lugar em que encontramos estes mandamentos é em Êxo. 20:3-17 - e bem no centro está o sábado.

Mais "base" do que isso....

7. Paulo disse que "o fim da lei é Cristo". Isso não significa que não precisamos mais guardar o sábado na Nova Aliança?

Alguns parece que querem defender que a expressão “o fim da lei é Cristo” (Rom. 10:4) significa que não temos mais dever de obedecer aos 10 Mandamentos. Que absurdo! Por um motivo principal:

Não esqueçamos que a Lei dos 10 Mandamentos também inclui adultério, furto, assassinato, adoração de imagens, cobiça, desobediência aos pais, politeísmo, etc. E estes pecados deixaram de existir após o sacrifício de Cristo? É óbvio que não...

Por que, então, colocar apenas o sábado no contexto de Rom. 10:4? Não quero crer que seja por má-fé... (Tiago 2:10-12).

Alguns caem no cúmulo de dizer que apenas o Mandamento do sábado foi abolido da Lei porque ele não é citado textualmente no NT. Se isso fosse um argumento sério, deveríamos dar a mão à palmatória, e não condenar os católicos por adorarem imagens, pois o 2° Mandamento também não é repetido “textualmente” no NT, e nem por isso os ditos "evangélicos" deixam de condenar os católicos por adorarem suas imagens (há até os que invadem igrejas para destruir os "santos", chutam as imagens em programas de TV, etc.).

8. Por que os Adventistas ficam querendo se salvar pela Lei? Vocês não crêem na graça libertadora de Jesus?

Os Adventistas não crêem na salvação pelas obras. Somos salvos ÚNICA e EXCLUSIVAMENTE pelos méritos de Cristo na cruz do calvário (há muitas postagens aqui no blog que esclarecem isso).

Porém, todos, SEM EXCESSÃO, seremos julgados por Deus, e a norma para este julgamento será Sua Santa e Imutável Lei, revelada nos 10 Mandamentos (cf. Ecles. 12:13-14).

Não é à toa que o último livro da Bíblia confirma que a guarda dos Mandamentos é uma das claras características do povo visível de Deus para estes último dias, e é por isso que o inimigo persegue tanto este povo, e os “culpa” de serem uma seita exatamente por não abrirem mão de expressarem sua alegria na obediência ao Senhor, como expressão de amor e gratidão pela certeza da salvação que temos, em Cristo Jesus (cf. Apoc. 12:17; 14:12).

9. Em que os Adventistas se baseiam para dizerem que existem uma divisão de "leis" na Bíblia? A lei não é uma só?

Basta uma olhada rápida na Bíblia para percebermos que os seus escritores tratam de mais de um tipo de Lei, pois em alguns momentos ela é considerada abolida por Cristo (cf. Efés. 2:15), mas em outros ela é chamada de “lei da liberdade” (cf. Tiago 2:12). Há alguma contradição no texto bíblico? Os autores estão ensinando doutrinas opostas? Ou será que eles estão tratando de leis diferentes?! Tomemos o exemplo de Paulo:

Em Efés. 2:5 o apóstolo diz que Jesus “aboliu na sua carne a lei dos mandamentos na forma de ordenanças”. Porém, no mesmo livro, em 6:1-3, Paulo aconselha os filhos a seguirem um Mandamento da Lei moral, que trata da honra devida ao pai e à mãe (cf. Êxo. 20:12). Como é possível!? A lei foi ou não abolida com o sacrifício de Cristo? Paulo está se contradizendo? Ou será que ele está tratando de duas leis diferentes...?

Parece-me que esta última é a única alternativa lógica para solucionarmos tão “aparente” discrepância bíblica.

Clique aqui e veja um estudo mais detalhado sobre a distinção entre leis na Bíblia.

Estas foram algumas das perguntas mais comuns.


Última edição por Ronaldo em Dom Abr 04, 2010 2:12 pm, editado 6 vez(es)
avatar
Carlstadt
Administrador
Administrador

Mensagens : 1031
Idade : 42
Inscrição : 19/04/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

- Tópicos similares
Compartilhar este artigo em: diggdeliciousredditstumbleuponslashdotyahoogooglelive

O Santo Sábado do Senhor :: Comentários

Mensagem em Qua Mar 03, 2010 9:24 pm por Carlstadt

Os cristãos são “salvos pela graça? Então, por que guardar o sábado?



Sim, sem dúvida, os cristãos são “salvos pela graça” (Efésios 2:8). Mas é vital saber, salvos de quê? Eis a resposta: Jesus Cristo veio ao nosso mundo escuro para “salvar seu povo dos seus pecados” (Mateus 1:21). Essa era sua missão. Próxima pergunta: O que é o pecado? Eis a resposta: “O pecado é a transgressão da lei” (1 João 3:4). Próxima pergunta: Que lei? Eis a resposta: Paulo escreveu: “foi a lei que me fez saber o que é pecado”. Em seguida, ele citou o décimo mandamento, “Não cobiçarás” (Romanos 7:7 – NTLH). Assim, segundo Paulo, é a lei dos Dez Mandamentos, que revela o pecado para nós. A boa notícia é que Jesus Cristo “morreu pelos nossos pecados, como está escrito nas Escrituras Sagradas” (1 Coríntios 15:3), o que inclui quebrar o mandamento do sábado também. Desde a época de Adão e Eva, a humanidade se afastou de seu Criador. “Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Rom 3:23), por terem quebrado a Sua lei. Uma vez culpados, não podemos ser salvos ou “justificados”, guardando a lei (Romanos 3:20), mas apenas através da fé em Jesus Cristo, nosso Salvador (Romanos 3:21-28). Se confessarmos os nossos pecados, Deus promete nos perdoar (1 João 1:9). Então, Jesus diz: “Se vocês me amam, obedecerão aos meus mandamentos” (João 14:15 NVI). Quais? Eis a resposta: Ao comparar João 14:15 com Êxodo 20:6, descobrimos que Jesus estava citando o segundo mandamento. Assim, os Dez Mandamentos são mandamentos de Jesus Cristo (juntamente com todos os Seus ensinamentos), pois Jesus Cristo é Deus (João 1:1-3; leia atentamente também Mateus 5:17-19). Se amamos o nosso Salvador, vamos querer obedecer os Seus mandamentos, não para sermos salvos, mas porque somos salvos pelo Seu amor e graça.
Estão Todos os “guardadores do Domingo” Perdidos?



Obviamente que não. Ao longo da história milhões de cristãos cheios do Espírito não entenderam o mandamento do sábado e guardaram o domingo. O mesmo ocorre hoje em dia. No entanto, ouça a Palavra de Deus: “No passado Deus não levou em conta essa ignorância. Mas agora ele manda que todas as pessoas, em todos os lugares, se arrependam dos seus pecados” (Atos 17:30 NTLH). Quando recebemos luz adicional, Deus quer que a sigamos. “…até o tempo do fim. Muitos irão por todo lado em busca de maior conhecimento” (Daniel 12:4). O conhecimento sobre o sábado é hoje cada vez maior. Você pode não estar ciente desta tendência, mas em todo o mundo, ministros e cristãos de várias denominações estão estudando e aceitando a verdade sobre o sábado de Jesus Cristo.
O Sábado é assim tão Importante para Deus?



Pergunte a Adão e Eva. Uma mordida e nosso mundo inteiro mergulhou no caos e provocou a morte de Jesus Cristo. O dia de sábado é muito importante para Deus. Veja Ezequiel 22:26; Jeremias 17:19; 27, Isaías 58:13. A Bíblia diz que quebrar a lei de Deus é pecado (cf. 1 João 3:4), e que o pecado é o que causou a morte de Jesus Cristo no Calvário (cf. 1 Coríntios 15:3).
Será que não devemos adorar a Deus todos os dias?



Claro, mas apenas “o sétimo dia é o sábado do Senhor” (Êxodo 20:10). O sábado é o único dia em que Deus descansou, abençoou e santificou. Ver Gênesis 2:1-3.
Como Pode Tantas Pessoas Boas Estarem Erradas?



Eva não foi apenas uma pessoa boa, ela era uma pessoa perfeita, mas errou quando obedeceu a serpente (cf. Gn 3:1-6). Apenas oito pessoas entraram na arca de Noé, o que nos ensina que a opinião da maioria não deve ser nosso guia (Veja Mateus 7:13-14). Jesus disse a um grupo de líderes religiosos: “Assim vocês anulam a palavra de Deus, por meio da tradição” (Marcos 7:13). Se isso aconteceu com os líderes religiosos nos dias de Cristo, também pode acontecer hoje. Muitas pessoas “boas” nunca realmente estudaram o assunto com cuidado.

Artigo escrito por Steve Wohlberg, traduzido pelo blog www.setimodia.wordpress.com do original “Biblical Answers to Good Questions”

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem em Qua Mar 03, 2010 9:29 pm por Carlstadt

Dez Razões por que o Sábado não é apenas para os Judeus


1) Adão e Eva não eram judeus. “Deus abençoou o sétimo dia e o santificou” (Gênesis 2:3) antes do pecado ter entrado. “Santificado” significa “ser separado para uso santo”. Os únicos no Jardim do Éden, para quem o sábado foi “separado” foram Adão e Eva, que não eram judeus.

2) “O sábado foi estabelecido por causa do homem” (Marcos 2:27). Jesus disse isso. Ele foi “estabelecido” no Jardim do Éden antes de ter sido escrito nas tábuas de pedra no Monte Sinai. O sábado foi “feito” para o “homem”, e não apenas para os judeus.

3) Os outros nove mandamentos não são “apenas para judeus”. Deus escreveu “Dez Mandamentos” em pedra, e não apenas nove (Veja Deut. 4:12, 13; Ex. 20). Será que “Não cometerás adultério”, “Não matarás”, “Não roubarás” e “Não levantarás falso testemunho” só se aplica aos judeus?

4)“O sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus” (Êxodo 20:10). Deus chama o sábado, “meu dia santo” (Isaías 58:13). A Bíblia nunca o chama de “sábado dos judeus”, pois não é deles mas de Deus.

5) O mandamento do sábado é para o “estrangeiro” também. O quarto mandamento diz que o próprio “estrangeiro” deve descansar no sábado (Êxodo 20:10). “Estrangeiros” são os não-judeus, ou gentios. Assim, o sábado se aplica a eles também. Leia também Isaías 56:6.

6) Isaías disse que os gentios deviam guardar o sábado. “E aos estrangeiros, que se unirem ao Senhor, para o servirem, e para amarem o nome do Senhor, sendo deste modo servos seus, todos os que guardarem o sábado, não o profanando, e os que abraçarem o meu pacto, sim, a esses os levarei ao meu santo monte, e os alegrarei na minha casa de oração; os seus holocaustos e os seus sacrifícios serão aceitos no meu altar; porque a minha casa será chamada casa de oração para todos os povos” (Isaías 56:6-7). Assim, o sábado é também para os gentios e para “todas as pessoas” não somente para os judeus.

7) “Toda a humanidade” irá guardar o sábado na Nova Terra. Na “nova terra … de um sábado a outro, virá toda a carne a adorar perante mim, diz o Senhor” (Isaías 66:22-23). Aqui Deus diz que “toda a carne” guardará o sábado na “nova terra”. Se este for o caso – e o é – não devemos começar a fazê-lo desde agora?

8) Os gentios guardaram o sábado no livro de Atos. “Os gentios rogaram que estas palavras fossem pregadas a eles no sábado seguinte … Paulo e Barnabé … os persuadiam a perseverar na graça de Deus” (Atos 13:42-43 – King James). Aqui os gentios salvos pela graça guardaram o sábado (ver também o versículo 44).

9) “A lei [dos Dez Mandamentos] é para “todo o mundo”, não só para os judeus. Paulo escreveu estas palavras. Leia Romanos 2:17-23; 3:19, 23.

10) Lucas era um gentio que guardava o sábado. Lucas foi o único gentio que escreveu livros do Novo Testamento (ele escreveu O Evangelho Segundo São Lucas e os Atos dos Apóstolos). Lucas viajou com Paulo e escreveu: “No sábado, saímos da cidade para junto do rio, pois pensávamos que ali devia haver um lugar de oração” (Atos 16:13). Era o sábado do sétimo dia, o memorial da criação (cf. Ex. 20:11). Tanto Lucas como Paulo sabiam disso.

Escrito por Steve Wohlberg, traduzido pelo blog www.setimodia.wordpress.com do Original “Ten Reasons why the Sabbath is not Jewish”

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Qua Mar 03, 2010 9:30 pm por Carlstadt

Os Dez Mandamentos – Um Retrato de Deus


Por que nos foram dados os 10 Mandamentos? Qual é a relevância deles? Como podemos aplicar lições para o nosso dia a dia? Estas e outras perguntas serão respondidas no decorrer da série sobre os 10 Mandamentos produzidas pelo programa Está Escrito Canadá. Cada um dos 10 programas em vídeo abordará um mandamento em especial.
Para Assistir aos vídeos desta série, basta clicar sobre os links abaixo:



Liberdade em Tábuas de Pedra
Neste programa você terá a chance de entender de forma mais clara o significado e a importância dos Dez Mandamentos.

O Único Deus
Bill Santos e seus convidados, Dr. Timm e Guerling Martins, discutem a importância do primeiro mandamento bíblico

Adorando Somente a Deus
Bill Santos e os seus convidados, Dr. Alberto Timm e o pastor Luiz Henrique discutem o segundo mandamento, “Não farás para ti imagem de escultura…”

Respeitando o Nome de Deus
Neste programa você terá a oportunidade de aprender um pouco mais sobre a importância e relevância do terceiro mandamento: “Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão.”

Um Dia de Encontro com Deus
Qual é a importância do quarto mandamento bíblico para a nossa vida? Como podemos guardar o quarto mandamento? Estas e outras perguntas serão respondidas neste programa.

Honrando Nossos Pais
Este programa lhe ajudará a entender melhor o quinto mandamento, “Honra teu pai e tua mãe”. Bill Santos, Dr. Alberto Timm e Levi Borreli discutem a importância do quinto mandamento bíblico e como podemos aplicá-lo em nossas vidas.

Valorizando a Vida
Este programa abordará o sexto mandamento da lei de DEUS: “Não Matarás. Bill Santos, Dr. Alberto Timm, Pastor Roger Steves discutem sobre o sexto mandamento.

Pureza de Conduta
Este programa abordará o sétimo mandamento, Bill Santos, Dr. Alberto Timm, Pastor Gerson Santos discutem sobre o sétimo mandamento da lei de Deus. “Não adulterarás”

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Qua Mar 24, 2010 12:18 pm por Carlstadt

Encontrando o Rıtmo de Deus
O sábado como um sinal de salvação

Por Dennis Meier

Ainda me lembro do seu olhar 
 confuso. Estávamos, com um 
 grupo de nossa igreja, numa 
 viagem de estudos, no sul da França, onde, por uma semana inteira, exploramos a história dos huguenotes, povo martirizado por sua fé protestante. Ela fora nossa guia turística e tinha vasto conhecimento da história, religião e cultura. Embora houvesse sido exposta a muitas tradições cristãs por exigência do trabalho, não cria em Deus. Desenvolvemos uma bela amizade e, no último dia, ela queria saber mais sobre os adventistas. Éramos uma peça estranha e digna de nota em sua coleção denominacional. O que havia de tão especial nesse dia de sábado? ela perguntou. E por que éramos tão inflexíveis e obstinados em relação a um assunto tão sem importância? Tentei deixar claro por que o sábado era tão importante e santo. Não obtive sucesso. Ela não conseguia compreender por que um dia da semana seria diferente dos outros dias. E esse era o motivo de sua expressão confusa de que me lembro tão bem.
Provavelmente eu me lembre do modo como me olhou, porque isso me machucou. Tive que perguntar a mim mesmo, mais uma vez: “Será que sou apenas um religioso bizarro e estranho?” Essa não foi a última vez que recebi esse tipo de olhar, uma vez que 
é uma expressão muito usada por 
pessoas secularistas que vivem seu 
próprio mundo “relativo”. Mas também 
descobri algo mais: Lembro-me muito bem de sua expressão porque a compreendia. Cresci em um mundo secular; fui para a escola e fui moldado por ela. Em muitas áreas de minha vida, vivo e penso de modo semelhante à média das pessoas pós-modernas.


Tradição ou Identidade?

E nós, adventistas, guardamos o sábado simplesmente porque isso se tornou tradição? Que Deus nos livre! Será que o fato de sermos “guardadores do sábado” simplesmente se tornou nossa marca registrada? Qual, então, é a relação entre tradição e identidade? Será que nossa compreensão da 
verdade ficou presa nos anos 1900? Felizmente, creio eu, para a maioria dos adventistas, o sábado não é simplesmente uma tradição ou um elemento de identidade.
Em Mateus 13:44, Jesus relata a parábola do tesouro enterrado em um campo. Um fazendeiro trabalhador encontrou o tesouro enquanto tratava de seus negócios. Foi uma descoberta casual. Algo por acaso. Lembre-se 
de como os primeiros adventistas 
descobriram o sábado. Foi bem parecido com o agricultor da parábola. Descobriram por acaso uma verdade bíblica que por séculos esteve enterrada e perdida. Nossos antepassados espirituais “compraram” esse tesouro. Muitos de nossos irmãos e irmãs 
pagaram e continuam pagando alto preço pelo tesouro do sábado.o Sábado

O bondoso Criador, após os seis dias da criação, descansou no sétimo dia e instituiu o sábado para todas as pessoas como memorial da criação. O quarto mandamento da 
imutável lei de Deus requer a observância deste sábado do sétimo dia como ensino 
e prática de Jesus, o Senhor do sábado. O sábado é um dia de deleitosa comunhão com Deus e uns com os outros. É um símbolo de 
nossa redenção em Cristo, um sinal de nossa santificação, uma prova de nossa lealdade e um antegozo de nosso futuro eterno no 
reino de Deus. O sábado é o sinal perpétuo do eterno concerto de Deus com Seu povo. A prazerosa observância desse tempo sagrado, duma tarde a outra tarde, do pôr do sol ao pôr do sol, é uma celebração dos atos criadores e redentores de Deus. (Gn 2:1-3; Êx 20:8-11; Lc 4:16; Is 56:5, 6; 58:13, 14; Mt 12:1-12; Êx 31:13-17; Ez 20:12, 20; Dt 5:12-15; Hb 4:1-11; Lv 23:32; Mc 1:32.)O Ritmo de Deus
A música é uma parte importante da vida humana. O ritmo é a moeda 
da música e, em certo sentido, o sábado 
é o ritmo do tempo que governa e move cada aspecto de nossa vida. Uma orquestra ou banda pode tocar uma música lenta ou rápida. Elas podem variar no tempo, mas se você quiser cantar e bater palmas junto com a 
música tem que seguir o ritmo 
estipulado. Tudo é questão de tempo.

Jesus usa a parábola do tesouro escondido como uma metáfora do reino de Deus ou do evangelho. Seria muito forçado ou completamente fora de contexto comparar o sábado com o reino de Deus? Ou, em outras palavras: não seria a acusação, frequentemente feita contra nossa teologia do sábado, de que fizemos dela um requerimento para a salvação? Só esclarecendo esse ponto: Não creio que temos que guardar o sábado para nos salvar. Essa não é uma teologia adventista. A salvação vem tão somente por meio de Jesus Cristo.

Salvação e Sábado

Alguns cristãos pensam que o único assunto importante é o da “salvação.” Mas, se fôssemos seguir essa lógica, o discipulado se tornaria sem importância, uma vez que o discípulo é alguém que já foi salvo e, por isso, começa a modelar sua vida de acordo com a vontade de Deus. Um discípulo ora: “seja feita a Tua vontade” (Mt 6:10) e, depois de orar, está preparado para praticar a vontade de Deus. Isso nos leva totalmente de volta à salvação. Lendo as Escrituras, creio que é da vontade de Deus que entremos em Seu ritmo. Esse é o ritmo de Deus, não meu. Não sou eu quem decide como muitos cristãos creem, em que dia devo descansar (contanto que seja um entre os sete), mas é Deus quem decide. Em termos teológicos, isso é chamado de justificação pela fé. Significa: não a minha vontade, mas a dEle. Não o meu método, mas o método de Deus. Não a minha justiça, mas a Sua justiça, Jesus.
Dois eventos bíblicos ilustram muito bem esse conceito:
1. Genesis 2:2 indica que Deus descansou (literalmente) e que abençoou e tornou santo o sétimo dia. Quão “velha” era a humanidade naquela época? Não tinha nem um dia de idade, uma vez que os humanos apareceram no cenário da vida apenas no sexto dia. O sétimo dia de Deus foi o primeiro dia completo para a raça humana. De que tipo de obras de jardinagem, de dar nome aos animais, ou de “multiplicar”, o casal poderia se lembrar? Nenhum! No dia de sábado, Adão e Eva desfrutaram das obras de Deus e não das suas próprias obras. É por isso que o sábado é um símbolo da salvação e justificação pela fé desde o princípio.
2. Em seguida, vem a entrega da 
lei. Moisés sobe a encosta do Monte Sinai e recebe os Dez Mandamentos das mãos de Deus. O sábado está ali, no meio da lei. Mas a verdadeira questão não consiste no fato de Deus primeiro ter libertado Seu povo, ato que O conduziu à lei da aliança? Mais uma vez, justificação pela fé.
Voltemos ao nosso tesouro escondido no campo. Jesus disse que o tesouro é um símbolo do reino de Deus. Eu creio que o sábado também é um 
símbolo do reino de Deus (embora 
não seja propriamente o reino de Deus). Assim como o batismo é um símbolo que em si mesmo não salva ninguém e sim uma demonstração viva, o sábado é um sinal da salvação em nosso tempo. E o que é realmente fantástico é que independentemente da cultura, língua, posição social ou idade, 
o tempo é a única coisa imparcialmente 
dividida: 24 horas, 7 dias, para todo 
o mundo.
O que teria dito minha guia turística sobre tudo isso? Ela habilmente havia descrito a fé dos huguenotes nos sítios históricos, enfatizando que podemos agradecer a esses mártires a nossa liberdade religiosa e de consciência, embora considerasse nossa guarda do sábado um passo atrás para a Idade Média. Ela me ensinou que Jesus deve ser o principal, inclusive em nossa teologia do sábado, uma vez que não é possível compreender o que é importante para um discípulo quando não se conhece o Senhor ao qual o discípulo está seguindo. O sábado não é nada sem o Senhor do sábado. Em vez de dizer às pessoas que guardem o sábado, deixemos que nossa guarda do sábado se torne nítida prova de nossa redenção, e assim, sintamos o ritmo de Deus em nossa vida!

Dennis Meier é pastor da igreja Grindelberg, em Hamburgo, Alemanha. Gosta de fazer música e de gastar tempo com sua esposa, Gunda, a filha Thandi (9 anos) e o filho Levi (6 anos).

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Seg Jun 07, 2010 8:44 pm por Eduardo

Mudaram o Calendário

Por: Gilson Medeiros



Eu fico impressionado como algumas pessoas procuram arranjar todo tipo de desculpas para não seguirem a Palavra de Deus!

Um dia desses recebi um e-mail de alguém que disse que não guardava o sábado porque o calendário foi mudado, portanto, segundo ele, não temos como saber qual é o dia sétimo original, então devemos "guardar" todos os dias.


Já coloquei aqui muitos artigos e comentários sobre o sábado na Bíblia, e em um deles eu abordo o assunto somente no Novo Testamento. Por isso não vou apresentar novamente as inúmeras passagens que são claras em identificar o sábado do Senhor como sendo o sétimo dia da semana.


A Bíblia ensina desde o Gênesis até o Apocalipse que Deus tem uma Lei Eterna, e nela o Sábado aparece em lugar de destaque, como o próprio "selo" de obediência ao Senhor (Ezeq. 20:12 e 20).


O povo judeu sempre foi muito zeloso no cumprimento deste mandamento, o que vemos claramente quando dos relatos referentes ao ministério de Jesus. Quase 4000 anos haviam se passado, e o sábado do sétimo dia nunca foi perdido no tempo (cf. Lucas 4:16). É uma prova cabal de que os judeus sabiam muito bem determinar os dias, mesmo sem disporem dos modernos aparatos astronômicos que a Ciência usa hoje.


Quando a reforma do calendário foi realizada, diferente do que pensa o leitor que entrou em contato comigo, não houve NENHUMA mudança no clico semanal. Segundo a própria Enciclopédia Católica, "deve ser ressaltado que no período cristão, a ordem dos dias da semana nunca foi interrompida. Dessa maneira, quando Gregório XIII reformou o calendário, em 1582, 4 de outubro, quinta-feira, foi seguido por uma sexta-feira 15 de outubro. Portanto, na Inglaterra, em 1752, 2 de setembro, uma quarta-feira, foi seguida por uma quinta-feira, 14 de setembro".


Para informação mais detalhada sobre a alteração do calendário, clique aqui.


A alteração foi apenas na "numeração" dos dias, e não na ordem semanal. Ou seja, depois de uma quinta-feira sempre vem uma sexta-feira, independente de que tenha sido feita uma alteração de 10 dias na numeração.


É muito "infantil" achar que os judeus de todo o mundo, espalhados como estavam, perderam a contagem dos dias da semana e não sabem mais qual dia é o sábado do sétimo dia. Basta ir a Jerusalém que podemos ver qual dia é o sábado. É o mesmo que guardamos aqui no Brasil e em todos os demais países, observando apenas os respectivos fusos horários, é óbvio.


Aliás, é uma pena que tanta gente prefira fechar os olhos para as evidências bíblicas sobre a guarda do santo sábado, e prefiram acalentar a consciência com argumentos frágeis e sem respaldo nem na Palavra de Deus nem na História.


"Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus" (Apoc. 14:12).

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Seg Jun 07, 2010 9:01 pm por Eduardo

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Dom Ago 01, 2010 10:23 pm por Eduardo

Um sábado (primeiro sábado anual de Israel)
versus
Primeiro dia da semana (Domingo)




Vamos observar atentamente as oito passagens Bíblicas a começar pela versão grega original (κοινη) com “miaν sabbatwn e sua tradução correcta em português com “um sábado seguida de uma latina (vulgata latina) com “primam sabbati”, depois uma outra versão grega(já modificada) com “πρωτης ημερας της εβδομαδoς”, seguida de algumas versões portuguesas com “primeiro dia da semana”, uma Inglesa (versão King James) com “first day of the week” e uma francesa (Por Louis Segond) com “premier jour de la semaine”.

1ª Passagem Bíblica (Mateus 28:1)

Versão grega original “koinh[diz-se koinê]

Oye de sabbatwn th epifwskoush eiV mian sabbatwn, hlqe Maria h Magdalhnh kai h allh Maria qewrhsai ton tafon”. Mateus 28:1.

Tradução correcta para Português, ao pé da letra:

“E, muito depois do Sábado, quando já despontava um sábado, foi Maria Madalena e a outra Maria investigar o sepulcro.” Mateus 28:1.

1. Sábado, conforme Lucas 23:54-56 é o Sábado do 7º Dia, o 4º Mandamento da Lei de Deus.

2. um sábado, conforme Marcos 16:9 e Levítico 23:11 e 15 é o “Primeiro sábado anual” ou “Festa dos asmos” ou “Festa da Páscoa”.


Tradução latina (primam em vez de una):

“Sero autem post sabbatum, cum illucesceret in primam sabbati, venit Maria Magdalene et altera Maria videre sepulcrum.” Mateus 28:1. (NovaVulgata Latina)

Explicação:

Como podemos observar pelo texto em grego na Versão grega original “koinhe em latim da Nova Vulgata Latina, são mencionados dois sábados seguidos (sabbatwn e mian sabbatwn) e (sabbatum e primam sabbati).
Sabbatum e sabbati são variantes de sabbato (sábado).


Como são mencionados dois sábados seguidos, só há duas possibilidades de interpretação:

1. Um, à Sexta-feira (sábado anual) e outro ao Sábado do Sétimo Dia.

ou

2. Um, ao Sábado do Sétimo Dia e outro ao Domingo (sábado anual).

De outra maneira como explicar os dois sábados seguidos?



No ano 30 DC, ano da morte e ressurreição de Jesus, a Páscoa coincidiu com o Sábado do Sétimo Dia.

“E era dia da preparação, e amanhecia o Sábado.” Luc. 23:54, Marc. 15:42.

“E era a preparação da Páscoa, e quase à hora sexta…” João 19:14.

“… para que não ficassem os corpos na cruz no sábado, porque aquele dia de sábado era de grande solenidade…” João 19:31.

Consequentemente a ressurreição de Jesus Cristo coincidiu com a Festa dos asmos ou Festa da Páscoa, ou Primeiro sábado anual.

Αναστας δε πρωϊ πρώτη σαββάτου→ E (Jesus) tendo ressuscitado na manhã do primeiro sábado…” Marcos 16:9.

“…ao dia seguinte ao primeiro sábado o moverá o próprio sacerdote.” Lev. 23: 11.

E depois para vós contareis desde o dia seguinte do sábado …” Lev. 23: 15.

E a ressurreição de Jesus foi ao Domingo e não ao Sábado, se assim não fosse os dois discípulos a caminho de Emaús tinham transgredido o Sábado do Sétimo Dia; segundo o conceito judaico na guarda do dia de Sábado não podiam caminhar mais que a distância de um Sábado [888 metros] “E eis que no mesmo dia (dia da ressurreição) iam dois deles (discípulos) para uma aldeia, que distava de Jerusalém sessenta estádios (11,1 km), cujo nome era Emaús.” Lucas 24:13.

Portanto os dois sábados, um foi ao Sábado do Sétimo Dia e outro ao primeiro dia da semana(sábado anual).

E segundo Lucas 24:50 e 51, diz: “Então os levou fora, até Betânia; e levantando as mãos, os abençoou. E aconteceu que, enquanto os abençoava, apartou-se deles; e foi elevado ao céu.” E, também em Actos 1:9, diz: “E, quando dizia isto, vendo-O eles, foi elevado às alturas, e uma nuvem O recebeu, ocultando-O aos seus olhos.” (na segunda-feira, dia depois da ressurreição), para que se cumprisse assim mais uma vez tudo o que diz respeito aos sábados cerimoniais, o anti tipo encontra o tipo no cumprimento e tipificação do molho das primícias “E ele (o sacerdote) elevará o molho (das primícias) perante o Senhor, para que sejais aceitos. No dia seguinte ao sábado (sábado anual, não ao Sábado do Sétimo Dia) o sacerdote o moverá.” Lev. 23:11. O elevar o molho das primícias no ar foi cumprido cabalmente no momento da elevação de Jesus aos Céus, pois o recolher do molho do chão e pô-lo em pé símbolo da ressurreição de Jesus, não foi o cumprimento total, pois “Disse-lhe Jesus: Não me detenhas, porque ainda ainda não subi para Meu Pai…” João 20:17.

O molho tinha que esperar pelo dia seguinte ao sábado anual para ser elevado no ar, pelo sacerdote para ser aceito pelo Senhor.

Se o Sábado do sétimo dia tivesse coincidido com o sábado anual, a Festa dos asmos não poderia cabalmente cumprir com todo o regozijo a comemorativa libertação de Israel da escravatura do Egipto, e a ressurreição de Salvador ao primeiro dia da semana não satisfaria o simbolismo de elevar o molho das primícias no ar e a ascensão de Jesus aos céus ficaria fora do seu cumprimento simbólico. Mais uma vez se confirma pelo cumprimento da ascenção de Jesus Cristo ao Céu a sequência dos dois sábados: O Sábado do Sétimo dia ao sétimo dia da semana e o sábado anual ao primeiro dia da semana, cumprindo cabalmente todo o simbolismo da Festa dos asmos e em especial o elevamento do molho das primícias no ar, no dia depois do sábado anual.

1. A ceifa das primícias (antes da Festa) → símbolo da morte de Jesus Cristo;

2. O molho recolhido da terra e posto em pé (no dia da Festa) → símbolo da ressurreição de Jesus;

3. O molho elevado no ar pelo sacerdote no dia depois da Festa (dia depois do sábado anual) → símbolo da ascensão de Jesus Cristo ao Céu.



A mesma passagem Bíblica noutra versão grega não “koinh(já alterada)

“Αφογ δεεπερασε το σαββατον, περι τα χαραγματα της πρωτης ημερας της εβδομαδος, ηλθε Μαρια η Μαλδαληνη, και η αλλε Μαρια, δια να θεωρησωσι τον ταφον.” Mateus 28:1. (Outra versão grega (1919), posterior à koinh).

mian sabbatwn ----» alteração / corrupção ---» πρωτης ημερας της εβδομαδoς .

um sábado --------------» alteração / corrupção ---» primeiro dia da semana .

Tradução para Português (já alterada):

“E, no fim do Sábado, quando já despontava o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro.” Mateus 28:1. (segundo a versão de João Ferreira de Almeida R. C.).

(Esta tradução é pobre como identificação daquele dia. Há 52 “primeiro dia da semana” no ano. Qual deles é? Esta tradução pode alterar a sua interpretação, pois além de acrescentar a palavra “ημερας”(dia), traduz σαββατων”(sábado) por “semana”, o que não é verdade, como iremos ver; é perigosa, pois pode tirar dignidade ao Sábado do Senhor e atribuindo-lhe primazia em relação a este).

Outra tradução para Português (em parte correcta):

“Mas, na tarde do Sábado, ao amanhecer do primeirodia depois do Sábado, foi Madalena e a outra Maria visitar o sepulcro.” Mateus 28:1. (Versão do Padre Matos Soares).

(Esta versão também é pobre como identificação daquele dia, pois há tantos “primeiro dia depois do Sábado” do sétimo dia. Há 52 “primeiro dia depois do Sábado” num ano de 365 dias. Qual deles é? Embora não altere a VERDADEIRA fé, na sua interpretação, mas não é a mais correcta)

Outra tradução para Português (muito alterada):

“Depois do sábado, quando já rompia a manhã de domingo, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o túmulo.” Mateus 28:1. (Versão TIC)

(Esta versão também é pobre como identificação daquele dia, pois há tantos “domingo”. Há 52 “domingo” num ano de 365 dias. Qual deles é? Esta tradução é notoriamente tendenciosa, pois em vez de se limitar a traduzir, interpreta um sábado por domingo)

Tradução para Inglês (já alterada):

“In the end of the Sabbath, as it began to dawn toward the first day of the week, came Mary Magdalene and the other Mary to see the sepulchre. Mat. 28:1. (versão King James). Já traduzida da versão grega alterada.

Tradução para Francês (já alterada):

“Après le Sabbat, à l’aube du premier jour de la semaine, Marie de Magdala et láutre Marie allèrent voir le sépulcre.” Mat. 28:1. (Por Louis Segond). Já traduzida da versão grega alterada.

Explicação adicional a Mateus 28:1:

Em Mateus 28:1, sabemos que está também implícito “o primeiro dia da semana” ou “Domingo”, pois depois de um Sábado do Sétimo Dia vem sempre um “primeiro dia da semana” ou Domingo; mas para sermos fieis ao texto original deve-se traduzir o que lá está. E o que lá está escrito, no original grego é mian sabbatwn, que literalmente se traduz por “um sábado”

Se está implícito “o primeiro dia da semana” ou “domingo”, também está implícito o “Primeiro sábado anual” ou Festa dos asmos” ou “Festa da Páscoa”; pois, como a seguir ao Sábado vem um “primeiro dia da semana” também a seguir à Páscoa vem “o primeiro e grande sábado do ano”, “a maior Festa de Israel”; comparado com o Natal para os cristãos.

Será que este pormenor foi esquecido pelos tradutores?

Além disso está bem EXPLÍCITO em Marcos 16:9, como podemos ver pelo grego. AnastaV de prwi prwth sabbatwn, efanh prvton Maria th Magdalhnh, af hV ekbeblhkei epta daimonia.” Mar. 16:9.

“E (Jesus) tendo ressuscitado na manhã do primeiro sábado (sábado anual), apareceu primeiro a Maria Madalena, da qual expelira sete demónios.” Mar. 16:9. (Tradução Bíblica correcta)

(prwth em toda a Bíblia significa sempre primeiro e sabbatwn é sempre sábado, logo prwth sabbatwn, significa primeiro sábado, sem dúvida nenhuma)

Se nesta passagem Bíblica, diz claramente que a ressurreição de Jesus Cristo foi no primeiro sábado anual de Israel e é paralela a todas as outras que registam a ressurreição de Jesus Cristo, logo nas outras passagens Bíblicas também o foi, no primeiro sábado anual de Israel.

Na Versão Septuaginta grega em Levítico 23:11, 15 e 16, diz o seguinte:

Και ανοισει το δραγμα εναντι κυριου δεκτον υμιν τη επαυριον της πρωτης (ημερας / σαββατων) ανοισει αυτο ο ιερευς Lev. 23: 11.

“E ele moverá o molho perante o Senhor, para que sejam aceitos; ao dia seguinte ao primeiro(dia / sábado dos asmos)o moverá o próprio sacerdote. Lev. 23: 11.

Explicação à palavraπρωτης” mencionada em Lev. 23: 11.

- τη επαυριον significa dia seguinte

- πρωτης“ significa primeiro e requer a palavra “dia” ou “sábado”; o único dia mencionado anteriormente, é em Levítico 23:7 e refere-se ao primeiro dia dos asmos. Assim como, em Levítico 23:8, é mencionado o sétimo dia dos asmos e refere-se ao último dia dos asmos. Em Lev. 23:15 refere-se também ao sábado(ou primeiro dia dos asmos) mencionado posteriormente.

”Και η ημερα η πρωτη κλητη αγια εσται υμιν παν εργον λατρευτον ου ποιησετε.

No primeiro dia tereis santa convocação; nenhuma obra servil fareis.” Levítico 23:7

“Και αριθμησετε υμεις απο της επαυριον των σαββατων απο της ημερας ης αν προσενεγκητε το δραγμα του επιθεματος επτα εβδομαδαςολοκληρους”

E depois para vós contareis desde o dia seguinte do sábado (primeiro sábado dos asmos), desde o dia em que trouxestes o molho da oferta movida; sete semanas inteiras serão. Lev. 23:15.


Εως της επαυριον της εσχατης εβδομαδοςαριθμησετε πεντηκοντα ημερας και προσοισετε θυσιαν νεαν τω κυριω Lev. 23:16.

Até ao dia seguinte da última semana, contareis cinquenta dias (Pentecostes); então oferecereis nova oferta de manjares ao Senhor. Lev. 23:16.

Aquele sábado, nada têm a ver com o Sábado do Sétimo Dia da semana.

· Pois em Levítico 23:24, está escrito: “Diz aos filhos de Israel: no sétimo mês, ao primeiro dia do mês será para vós um sábado (שַׁבָּתוֹן - shabaton) e uma recordação (que vós celebrareis) ao som das trombetas, e será chamado santo.” (Versão do Pe. Matos Soares) A Festa das Trombetas” [dia 01 de Etanim ou dia 01 de Tisri “… no mês de Etanim, que é o sétimo mês” I Reis 8:2]

· Em Levítico 23:27-32, diz: “Mas aos dez deste mês sétimo será o dia da expiação…” ”Sábado de descanso (שַׁבַּת שַׁבָּתוֹן shabat shabaton)vos será; então afligireis as vossas almas; aos nove do mês à tarde, duma tarde à outra tarde, celebrereis o VOSSO sábado (שַׁבַּתְּכֶם).” (VOSSO sábado, isto é o sábado / descanso / feriado do povo de Israel, não o Sábado do Senhor) O Dia da Expiação[dia 10 de Etanim ou dia 10 de Tisri]

· Também diz em Levítico 23:34-36 e 39: “… Aos quinze dias deste mês sétimo será a Festa dos Tabernáculos… “ “Assim desde o dia quinze do sétimo mês, quando tiverdes recolhido todos os frutos das vossas terras, celebrareis as férias do Senhor por sete dias, o primeiro dia e o oitavo será o sábado, isto é o descanso (שַׁבָּתוֹן).” (Versão do Pe. Matos Soares) “A Festa dos Tabernáculos” [15 de Etanim ou 15 de Tisri] [בַּיּוֹם הָרִאשׁוֹן שַׁבָּתוֹן, וּבַיּוֹם הַשְּׁמִינִי שַׁבָּתוֹן. = Ao primeiro dia sábado e ao sétimo dia sábado”]

· A Festa das Trombetas, o Dia da Expiação e a Festa dos Tabernáculos, são especificamente chamados sábados. Logo a Festa dos asmos como vimos em Levítico 23:11 e 15 ao usar, respectivamente, a palavra “πρωτης“(primeiro) e “σαββατων” (sábado), também o é. E o Pentecostes, logicamente, também é sábado.

Como se pode constatar nunca poderiam confundir-se com o Sábado do Senhor “o Sétimo dia da semana” que não têm nada a ver com dias nem meses específicos, além disso, os três sábados atrás mencionados, nos dias 1, 10 e 15 do sétimo mês (Etanim ou Tisri - I Reis 8:2, que corresponde ao mês de Outubro), não são sequenciais de 7 dias; pois do 1º dia para o 10º dia são 10 dias de diferença e do 10º para o 15º dia, são 5 dias de diferença; enquanto que os Sábados do Senhor são de 7 em 7 dias. Estes sábados anuais estavam intimamente ligados aos acontecimentos que apontam para a morte de Cristo e para a sua primeira vinda. Foram designados por Deus para servirem de sombras ou que apontavam para a vinda do Messias. Levítico 23:37 usa a linguagem de Colossenses. 2:16,17 para descrever estes sábados cerimoniais.

· Levítico 23:38 distingue os sábados cerimoniais dos Sábados do sétimo dia ao usar a expressão: “Além dos sábados do Senhor. Ou “Independentemente dos Sábados do Senhor” e das vossas ofertas, e do que oferecerdes por voto, ou voluntariamente derdes ao Senhor …” (Versão do Pe. Matos Soares).

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Dom Ago 01, 2010 10:27 pm por Eduardo

Como facilmente se pode ver o primeiro sábado é logo a seguir à Páscoa (Lev. 23:5-7) e “o mover do molho das primícias” logo no dia seguinte ao primeiro sábado ou Festa dos asmos. (Lev. 23:11,15,16)


Logo, o primeiro sábado da Páscoa (πρώτη σαββάτου – Marcos 16:9) ou “Festa dos asmos” era em 15 de Abibe (± Abril) e o segundo sábado da Páscoa (δευτεροπρωτω σαββατων = sábado segundo-primeiro - Lucas 6:1) era em 21 de Abibe e o terceiro sábado era em 6 de Sivã (± Junho). “Pentecostes” ou “Festa das semanas”

Como vimos em Levítico 23:11, 15; diz-nos claramente quando era o primeiro sábado cerimonial ou feriado nacional de Israel. Era sem dúvidas o dia 15 de Abibe, logo a seguir à Páscoa dia 14 de Abibe.

2ª Passagem Bíblica (Marcos 16:2)

Versão grega original “koinh

Kai lian prwi thV miaV sabbatwn, erkontai epi to mnhmeion, anateilantoV tou hliou.” Mar. 16:2.

Tradução correcta para Português, ao pé da letra:

“E, muito cedo, num Sábado (sábado anual), ao despontar do sol, foram ao túmulo.” Mar. 16:2. (Tradução Bíblica correcta)

Tradução latina (prima em vez de una):

“Et valde mane, prima sabbatorum, veniunt ad monumentum, orto iam sole.”Mar. 16:2. (NovaVulgata Latina).

A mesma passagem Bíblica noutra versão grega não “koinh(já alterada)

Και πολλα πρωι της πρωτης ημερας της εβδμαδος ερχονται εις το μνημειον, οτε ανετειλεν ο ηλιος. (Outra versão grega (1919), posterior à koinh).







Tradução para Português (já alterada):

“E, no primeiro dia da semana, foram ao sepulcro muito cedo, ao levantar do sol.”Mar. 16:2



3ª Passagem Bíblica (Marcos 16:9)

Versão grega original “koinh

AnastaV de prwi prwth sabbatwn, efanh prvton Maria th Magdalhnh, af hV ekbeblhkei epta daimonia.” Mar. 16:9.

Tradução correcta para Português, ao pé da letra:

“E (Jesus) tendo ressuscitado na manhã do primeiro sábado (sábado anual), apareceu primeiro a Maria Madalena, da qual expelira sete demónios.” Mar. 16:9. (Tradução Bíblica correcta)

Tradução latina (correctamente traduzida): Ö

“Surgens autem mane, prima sabbati, apparuit primo Mariae Magdalenae, de qua eiecerat septem daemonia.”Mar. 16:9. (Nova Vulgata Latina).

[prima=prwth=primeiro] Ö



“E (Jesus) tendo ressuscitado na manhã do primeiro sábado (sábado anual), apareceu primeiro a Maria Madalena, da qual expelira sete demónios.” Mar. 16:9.

Observação: Nesta passagem a Vulgata Latina, traduz prima sabbati correctamente da expressão grega prwth sabbatwn o que é igual aprimeiro sábado.

Em outras passagens Bíblicas traduz erradamente mia sabbatwn (um sábado) por prima Sabbati (primeiro sábado).

prwth (grego) = prima (latim) = primeiro


A mesma passagem Bíblica noutra versão grega não “koinh(já alterada)

Αφογ δε ανεστη το πρωι της πρωτης της εβδομαδος, εφανη πρωτον εις την Μαριαν την Μαγδαληνην, εξ ης ειχεν εκβαλει επτα δαιμονια. Mar. 16:9. (Outra versão grega (1919), posterior à koinh).

Tradução para Português (já alterada):

“Havendo Ele ressuscitado de manhã cedo no primeiro dia da semana, apareceu primeiro a Maria Madalena, da qual expelira sete demónios.” Mar. 16:9.



4ª Passagem Bíblica (Lucas 24:1)

Versão grega original “koinh

Th de mian tvn sabbatwn orqrou baqeoV hlqon epi to mnhma ferousai a htoimasan arwmata, kai tineV sun autaiV.” Luc. 24:1.

Tradução correcta para Português, ao pé da letra:

“Mas, num dia de sábado (sábado anual), alta madrugada, foram elas ao túmulo, levando os aromas que haviam preparado.” Luc. 24:1. (Tradução Bíblica correcta)

Tradução latina (primam em vez de una):

Prima autem sabbatorum, valde diluculo venerunt ad monumentum portantes, quae paraverant, aromata.” Luc. 24:1. (Nova Vulgata Latina).

A mesma passagem Bíblica noutra versão grega não “koinh(já alterada)

“Την δε πρωτην ημεραν της εβδομαδος ενω ητο ορθρος βαθυς, ηλθον εις το μνημα, φερουσαι τα οποια ητοιμασαν αρωματα και αλλαι τινες μετ αυτων.” Luc. 24:1. (Outra versão grega (1919), posterior à koinh).

Tradução para Português (já alterada):

Mas já no primeiro dia da semana, bem de madrugada, foram elas ao sepulcro, levando as especiarias que tinham preparado. Luc. 24:1.

5ª Passagem Bíblica (João 20:1)

Versão grega original “koinh

Th de mian tvn sabbatwn Maria h Magdalhnh ercetai prwi skotiaV eti oushV eiV to mnhmeion, kai blepei ton liqon hrmenon ek tou mnhmeiou.” João 20:1.

Tradução correcta para Português, ao pé da letra:

“E, num dia de sábado (sábado anual), Maria Madalena foi ao sepulcro de madrugada, sendo ainda escuro, e viu que a pedra estava removida.” João 20:1. (Tradução Bíblica correcta)

Tradução latina (prima em vez de una):

Prima autem sabbatorum Maria Magdalene venit ma ne, cum adhuc tenebrae essent, ad monumentum et videt lapidem sublatum a monumento.” João 20:1. (Nova Vulgata Latina).

Voltar ao Topo Ir em baixo

avatar

Mensagem em Dom Ago 01, 2010 10:28 pm por Eduardo

A mesma passagem Bíblica noutra versão grega não“koinh(já alterada)

“Την δε πρωτην της εβδομαδος Μαρια η Μαγδαληνη ερχεται εις το μνημειον το πρωι, ενω ετι ητο σκοτος, και βλεπει τον λιθον σηκωμενον εκ του μνημειον” João 20:1. Outra versão grega (1919), posterior à koinh).

Tradução paraPortuguês (já alterada):

No primeiro dia da semana Maria Madalena foi ao sepulcro de madrugada, sendo ainda escuro, e viu que a pedra fora removida do sepulcro. João 20:1.

6ª Passagem Bíblica (João 20:19)

Versão grega original“koinh

OushV oun oyiaV th hmera ekeinh th miantvnsabbatwn, kai tvn qurvn kekleismenwn opou hsan oi maqhtai sunhgmenoi dia ton fobon tvn Ioudaiwn, hlqen o IhsouV kai esth eiV to meson kai legei autoiV eirhnh umin.” João 20:19.

Tradução correcta para Português, ao pé da letra:

“Ao cair da tarde daquele dia, um dia de sábado (sábado anual), trancadas as portas da casa onde estavam os discípulos, com medo dos judeus, veio Jesus, pôs-se no meio, e disse: Paz seja convosco!” João 20:19. (Tradução Bíblica correcta)

Tradução latina (prima em vez de una):

“Cum esset ergo sero die illa prima sabbatorum, et fores essent clausae, ubi erant discipuli, propter metum Iudaeorum, venit Iesus et stetit in medio et dicit eis: ‘Pax vobis!’”João 20:19. (Nova Vulgata Latina).

A mesma passagem Bíblica noutra versão grega não“koinh(já alterada)

“Το εσπερας λοιπον της ημερας εκεινης, της πρωτης της εβδομαδος, ενω αι θυραι ησαν κεκλεισμεναι, οπου οι μαθηται ησαν συνηγμενοι δια τον φοβον των Ιουδαιων, ηλθεν ο Ιεσους και, εσταθη εις το μεσον και, λεγει προς υτουσς, Ειρηνη υμιν.” João 20:19. Outra versão grega (1919), posterior à koinh).

Tradução paraPortuguês (já alterada):

“Chegada, pois, a tarde, naquele dia, o primeiro da semana, e estando os discípulos reunidos com as portas cerradas por medo dos judeus, chegou Jesus, pôs-se no meio e disse-lhes: Paz seja convosco. João 20:19.

7ª Passagem Bíblica (Actos 20:7)

Versão grega original“koinh

En de th miantvnsabbatwn sunhgmenwn tvn maqhtvn klasai arton o PauloV dielegeto autoiV, mellwn exienai th epaurion, pareteine te ton logon mecri mesonuktiou.” Actos 20:7.

Tradução correcta para Português, ao pé da letra:

“E, num dia de sábado, estando nós reunidos com o fim de partir o pão, Paulo que devia seguir de viagem no dia imediato, exortava-os e prolongou o discurso até à meia-noite.” Actos 20:7. (Tradução Bíblica correcta)

Tradução latina (correctamente traduzido): Ö

“In una autem sabbatorum, cum convenissemus ad frangendum panem, Paulus disputabat eis, profecturus in crastinum, protraxitque sermonem usque in mediam noctem.” Actos 20:7. (Nova Vulgata Latina).

Observação: Nesta passagem bíblica a Vulgata Latina, traduz una sabbatorum correctamente da expressão grega miansabbatwn o que é igual aum sábado.

mia, miaV, mian (grego) = unus / una (latim) = um / uma

“Num dia de sábado, estando nós reunidos com o fim de partir o pão, Paulo que devia seguir de viagem no dia imediato, exortava-os e prolongou o discurso até à meia-noite.” Actos 20:7. (Nova Vulgata Latina).

A mesma passagem Bíblica noutra versão grega não“koinh(já alterada)

“Και τη πρωτη ημερα της εβδομαδος, ενω οι μαθηται εσαν συνηγμενοι δια την κλασιν του αρτου, ο Παυλος διελεγετο προς αυτους μελλων να αναχωρηση τη επαυριον και παρετεινε τον λογον μεχρι μεσονυκτιον.” Actos 20:7. Outra versão grega (1919), posterior à koinh).

Tradução paraPortuguês (já alterada):

“No primeiro dia da semana, tendo-nos reunido a fim de partir o pão, Paulo, que havia de sair no dia seguinte, falava com eles, e prolongou o seu discurso até a meia-noite. Actos 20:7.

Outra tradução para Português (correcta): Ö

“No Sábado à tarde, reunimo-nos para a refeição em comum. Paulo, que devia partir no dia seguinte, falou aos crentes e prolongou a pregação até à meia-noite.” Actos 20:7. (TIC)

8ª Passagem Bíblica (I Coríntios 16:2)

Versão grega original“koinh

kata miansabbatwn ekastoV umvn par eautv tiqetw qhsaurizwn o ti an euodvtai ina mh otan elqw tote logiai ginwntai.” I Cor. 16:2.

kata significa: para baixo; de alto a baixo, descendo, em direcção a, ideia de descer, ideia de ir em determinada direcção, ideia de acabamento, ideia de reforço.

Exemplo: “και ειπεν αυτοις, Υπάγετε. οι δε εξελθόντες απηλθον εις τους χοίρους. και ιδου ωρμησεν πασα η αγέλη κατα του κρημνου(em direcção ao despenhadeiro)εις την θάλασσαν, και απέθανον εν τοις υδασιν.” Mat. 8:32

Ex.: καθ’ ημεραν = dia a dia, cada dia, todos os dias, diariamente.

κατα μιαν σαββατων= de um sábado ao outro (Sábado); em direcção a um Sábado. (Em conclusão: de Domingo a Sexta-feira; durante a semana; não no dia de Sábado)

Tradução correcta para Português, ao pé da letra:

De um Sábado ao outro (Sábado), cada um de vós ponha de parte, em sua casa, conforme a sua prosperidade, e vá juntando, para que se não façam colectas quando eu for.” I Cor. 16:2. (Tradução Bíblica correcta)

[“em sua casa” e não na Igreja]

Tradução latina (primam em vez de una):

Per primam sabbati unusquisque vestrum apud se ponat recondens, quod ei beneplacuerit, ut non, cum venero, tunc collectae fiant.” I Cor. 16:2. (Nova Vulgata Latina).

A mesma passagem Bíblica noutra versão grega não“koinh(já alterada)

“Κατα την πρωτην της εβδομαδοσς εκαστος υμων ας εναποθετη παρ εαυτω, θησαυριζων ο, τι αν ευπορη ωστε οταν ελθω, να μεσυναγωνται τοτε συνεισφοραι.”I Cor. 16:2. Outra versão grega (1919), posterior à koinh).

Tradução paraPortuguês (já alterada):

“No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte o que puder, conforme tiver prosperado, guardando-o, para que se não façam colectas quando eu chegar. I Cor. 16:2.

Para confirmar o significado da palavras gregas σαββατα / σαββατων (sabata / sabaton) e das palavras hebraicas שַׁבָּת / שַׁבָּתוֹן (shabat / shabaton) basta consultar algumas passagens Bíblicas do Antigo Testamento para nos certificarmos que a palavra grega σαββατων é a tradução das palavra hebraica שַׁבָּת que significam Sábado.

Muitas outras passagens Bíblicas mencionam e traduzem as palavras שַׁבָּת e σαββατων por Sábado.


Última edição por Ronaldo em Dom Ago 01, 2010 10:40 pm, editado 1 vez(es)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem  por Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum