Últimos assuntos
» Decreto dominical a caminho
Dom Fev 19, 2017 7:48 pm por Augusto

» Acordem adventistas...
Ter Fev 07, 2017 8:37 pm por Augusto

» O que Vestir Para Ir à Igreja?
Qui Dez 01, 2016 7:46 pm por Augusto

» Ir para o céu?
Qui Nov 17, 2016 7:40 pm por Augusto

» Chat do Forum
Sab Ago 27, 2016 10:51 pm por Edgardst

» TV Novo Tempo...
Qua Ago 24, 2016 8:40 pm por Augusto

» Lutas de MMA são usadas como estratégia por Igreja Evangélica para atrair mais fiéis
Dom Ago 21, 2016 10:12 am por Augusto

» Lew Wallace, autor do célebre livro «Ben-Hur», converteu-se quando o escrevia
Seg Ago 15, 2016 7:00 pm por Eduardo

» Ex-pastor evangélico é batizado no Pará
Qua Jul 27, 2016 10:00 am por Eduardo

» Citações de Ellen White sobre a Vida em Outros Planetas Não Caídos em Pecado
Ter Jul 26, 2016 9:29 pm por Eduardo

» Viagem ao Sobrenatural - Roger Morneau
Dom Jul 24, 2016 6:52 pm por Eduardo

» As aparições de Jesus após sua morte não poderiam ter sido alucinações?
Sab Jul 23, 2016 4:04 pm por Eduardo

Palavras chave

SEU IP
IP

Religiosidade faz parte da natureza humana

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Religiosidade faz parte da natureza humana

Mensagem por Eduardo em Ter Maio 17, 2011 12:22 pm

Religiosidade faz parte da natureza humana



Um novo e maciço estudo das culturas um pouco por todo o mundo sugere que a religiosidade é natural (e mesmo instintivo) no ser humano. Roger Trigg, professor da Universidade de Oxford diz:
Nós temos a tendência de vêr um propósito no mundo. Nós vêmos causas; pensamos que algo está lá mesmo que não possamos observar. . . . Tudo isto tende a desenvolver-se até uma forma religiosa de pensar.
Trigg é co-director do projecto que incorporou mais de 40 estudos distintos por parte de dezenas de pesquisadores que observaram países que iam da China à Polónia, e os Estados Unidos até a Micronésia.


Estudos de outras partes do mundo tiveram resultados semelhantes, incluindo a bastante dissimilada crença na vida depois da morte e uma tendência instintiva para sugerir que os fenómenos naturais ocorrem segundo um propósito.
As crianças em particular têm muitas facilidades em pensar de forma religiosa.
Como disse Trigg, uma das formas religiosas de pensar é a crença na Omnisciência de Deus. Mas os adultos também se lançaram inicialmente para explicações que implicavam um Agente Invisível operando no mundo, descortinou o estudo.


O estudo não diz nada se Deus, deuses ou a vida depois da morte existem, afirma Justin Barrett, o outro co-director do projecto.
O projecto não tinha como prioridade provar que Deus, ou deuses existiam. Só porque achamos mais fácil pensar de uma forma particular, isso não significa que é de facto verdade.
Trigg acha que tanto os ateus como os religiosos podem usar o estudo para argumentarem em favor das suas crenças. Por exemplo, segundo Trigg, secularistas famosos como Richard Dawkins "poderiam aceitar o que nós observamos e alegar que nós temos que crescer e deixar estas coisas para trás."
Mas os religiosos podem argumentar que a universalidade dos sentimentos religiosos servem os propósitos de Deus. Trigg diz:
Os religiosos poderiam dizer, "Se Deus existe, então ... Ele haveria de nos criar com inclinação para O buscar".



Segundo ainda Trigg, o estudo pode não tomar uma posição no que toca a existência de Deus, mas o mesmo tem implicações profundas para a liberdade religiosa.
Se nós temos algo tão embutido na natureza humana, anulá-lo é, de certa forma, não permitir que os seres humanos realizem os seus interesses básicos.
Tem havido movimentos que pensam que a religião é uma coisa privada...
... alega Trig, alegando que tais crenças estão erradas.
Isto não é um interesse de uma minoria; é natureza humana básica. Isto mostra que é muito mais universal, prevalente e profundamente embutida . Tem que ser levada em conta. Não podemos fingir que não está lá.
O estudo de Oxford, conhecido como "The Cognition, Religion and Theology Project" implica de forma muito forte que a religião não se vai enfraquecer e/ou murchar.
A tese secularizadora dos anos 60 foi, a meu ver, um beco sem saída.



Mais um estudo que demonstra a normalidade da religiosidade e da fé em Deus. Segundo este estudo, faz parte da natureza humana ser-se religioso. Isto demonstra que os militantes ateus estão errados ao qualificarem a fé em Deus e a crença na vida depois da morte como algo nocivo para o homem. Isso não é nocivo; isso é o normal entre os seres humanos.


Nocivo é sim lutar contra um aspecto tão importante do ser humano.
avatar
Eduardo

Mensagens : 5997
Idade : 47
Inscrição : 08/05/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum