Últimos assuntos
» Decreto dominical a caminho
Dom Fev 19, 2017 7:48 pm por Augusto

» Acordem adventistas...
Ter Fev 07, 2017 8:37 pm por Augusto

» O que Vestir Para Ir à Igreja?
Qui Dez 01, 2016 7:46 pm por Augusto

» Ir para o céu?
Qui Nov 17, 2016 7:40 pm por Augusto

» Chat do Forum
Sab Ago 27, 2016 10:51 pm por Edgardst

» TV Novo Tempo...
Qua Ago 24, 2016 8:40 pm por Augusto

» Lutas de MMA são usadas como estratégia por Igreja Evangélica para atrair mais fiéis
Dom Ago 21, 2016 10:12 am por Augusto

» Lew Wallace, autor do célebre livro «Ben-Hur», converteu-se quando o escrevia
Seg Ago 15, 2016 7:00 pm por Eduardo

» Ex-pastor evangélico é batizado no Pará
Qua Jul 27, 2016 10:00 am por Eduardo

» Citações de Ellen White sobre a Vida em Outros Planetas Não Caídos em Pecado
Ter Jul 26, 2016 9:29 pm por Eduardo

» Viagem ao Sobrenatural - Roger Morneau
Dom Jul 24, 2016 6:52 pm por Eduardo

» As aparições de Jesus após sua morte não poderiam ter sido alucinações?
Sab Jul 23, 2016 4:04 pm por Eduardo

SEU IP
IP

1844 — uma Explicação Simples das Principais Profecias de Daniel

Ir em baixo

01072011

Mensagem 

1844 — uma Explicação Simples das Principais Profecias de Daniel






junho 30, 2011 por Darcy

Para saber mais sobre as profecias de Daniel recomendo o Livro 1844 — uma explicação simples das principais profecias de Daniel, de Clifford Goldstein. Durante séculos, inúmeros estudiosos da Bíblia, tanto judeus como cristãos, têm percebido a espantosa correspondência da história das nações mais influentes do mundo com a ordem e as características dos reinos e poderes que aparecem simbolizados em Daniel, tanto no sonho do rei Nabucodonosor (capítulo 2 do livro) quanto nas demais visões apresentadas no livro (capítulos 7 e 8, por exemplo). A Daniel foram reveladas, em algumas situações, algumas interpretações das visões: “Aquele carneiro com dois chifres, que viste, são os reis da Média e da Pérsia” (Dan. 8:21), mas muitos detalhes das profecias foram “encerrados” para compreensão mais ampla num tempo muito posterior à época dele: “Vai, Daniel, porque estas palavras estão encerrradas e seladas até o tempo do fim.” Dan. 12:9

“2.300 tardes e manhãs”, “o chifre pequeno”, a purificação do “santuário”, “as setentas semanas” e “o Ungido”, a perseguição aos “santos do Altíssimo”, “um tempo, dois tempos e metade de um tempo”, “o julgamento” no capítulo 7, todos esses assuntos têm chamado a atenção dos cristãos especialmente em nossa época. Clifford Goldstein trata deles guiado pelo princípio de que a Bíblia deve interpretar a si mesma. A data 1844 e a doutrina adventista do juízo investigativo são apresentados como o resultado do exame da própria Bíblia em conexão com os dados históricos. “Este livro…foi escrito para apresentar a doutrina do juízo investigativo de 1844 da maneira mais simples e clara possível.”
Para ter uma idéia do conteúdo geral do livro, leia este pequeno trecho, uma espécie de recapitulação (p.62-64):



Volte ao início deste livro e, usando sua Bíblia, estude a sequência de reinos em Daniel 2. Em seguida, estude o capítulo 7 de Daniel e a sequencia de eventos descritos ali. Estude a identidade do chifre pequeno. Analise como o juízo no Céu acontece depois do chifre pequeno, cujo reinado dura até o ano de 1798. Veja como o juízo, em Daniel 7, deve acontecer após 1798, porque vem depois do período do chifre pequeno.

Recapitule a sequencia de eventos em Daniel 8, incluindo a purificação do santuário, que vem após o chifre pequeno. Estude outra vez o quadro (pág. 48) que demonstra como o julgamento no Céu e a purificação do santuário são eventos paralelos, que ocorrem após 1798. Esse paralelo é crucial.

Veja como em Daniel 8 a mareh (visão) das 2.300 “tardes e manhãs” não é explicada, e depois estude as ligações entre os capítulos 8 e 9. [...] Estude as setenta semanas. Veja como começa a profecia dos 2.300 dias, e então estude até ver que os 2.300 dias devem terminar em 1844. Leia esta primeira parte do livro várias vezes, comparando-a com a Bíblia, até que seja capaz de dar um estudo bíblico sobre o assunto. Somente quando for capaz de dar este estudo, terá entendido realmente as profecias.

Uma questão final. A profecia das setenta semanas é, sem dúvida nenhuma, a profecia messiânica mais poderosa da Bíblia. Ela prova, além de qualquer dúvida, o messiado de Jesus. Nenhuma outra profecia foi tão estudada, tão debatida, tão controvertida. Ela prova claramente — mais do que qualquer outra profecia — que Jesus é o Messias.

Entretanto, as setentas semanas — a profecia mais poderosa e importante da Bíblia — são apenas parte da profecia dos 2.300 dias! Sendo assim, é óbvio que os 2.300 dias devem ser cruciais, senão não estariam diretamente ligados a uma profecia tão importante quanto a das setentas semanas.

Lembre-se, também, de que o Israel antigo não estava preparado para a primeira vinda de Jesus, porque, entre outras razões, não compreenderam a primeira parte da profecia dos 2.300 dias: as setentas semanas, que eram a verdade presente para o tempo deles. Nós podemos não estar preparados para a segunda vinda de Jesus porque, entre outras coisas, não entendemos a segunda parte da profecia dos 2.300 dias: a purificação do santuário – verdade presente para os nossos dias.


Livro do Mês: 1844 — uma Explicação Simples das Principais Profecias de Daniel

avatar
Eduardo

Mensagens : 5997
Idade : 48
Inscrição : 08/05/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

- Tópicos similares
Compartilhar este artigo em: diggdeliciousredditstumbleuponslashdotyahoogooglelive

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum