Últimos assuntos
» Decreto dominical a caminho
Dom Fev 19, 2017 7:48 pm por Augusto

» Acordem adventistas...
Ter Fev 07, 2017 8:37 pm por Augusto

» O que Vestir Para Ir à Igreja?
Qui Dez 01, 2016 7:46 pm por Augusto

» Ir para o céu?
Qui Nov 17, 2016 7:40 pm por Augusto

» Chat do Forum
Sab Ago 27, 2016 10:51 pm por Edgardst

» TV Novo Tempo...
Qua Ago 24, 2016 8:40 pm por Augusto

» Lutas de MMA são usadas como estratégia por Igreja Evangélica para atrair mais fiéis
Dom Ago 21, 2016 10:12 am por Augusto

» Lew Wallace, autor do célebre livro «Ben-Hur», converteu-se quando o escrevia
Seg Ago 15, 2016 7:00 pm por Eduardo

» Ex-pastor evangélico é batizado no Pará
Qua Jul 27, 2016 10:00 am por Eduardo

» Citações de Ellen White sobre a Vida em Outros Planetas Não Caídos em Pecado
Ter Jul 26, 2016 9:29 pm por Eduardo

» Viagem ao Sobrenatural - Roger Morneau
Dom Jul 24, 2016 6:52 pm por Eduardo

» As aparições de Jesus após sua morte não poderiam ter sido alucinações?
Sab Jul 23, 2016 4:04 pm por Eduardo

Palavras chave

bíblia  arca  alma  criação  jonas  dilúvio  jesus  

SEU IP
IP

Steve Jobs estava buscando a Deus antes de morrer?

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Steve Jobs estava buscando a Deus antes de morrer?

Mensagem por Eduardo em Dom Out 30, 2011 7:10 am

A biografia oficial de Steve Jobs saiu nos Estados Unidos esta semana e tem feito sucesso. Já está em primeiro lugar no ranking de vendas da Amazon. O porta-voz da empresa, Brittany Turner, acredita que “muito provavelmente será o mais vendido do ano”.

O autor do livro, Walter Isaacson, que já trabalhou na CNN e na revista Time, fez cerca de 40 entrevistas com Jobs e conversou com centenas de familiares, amigos, concorrentes e colegas do fundador da Apple.

Agora, faz algumas revelações sobre a vida do recluso Jobs. “O fato de ter sido uma criança adotada foi determinante para a personalidade de Jobs. Isso o tornou mais independente e mais alheio ao mundo em que vivia, mas também o tornou mais especial. Alguns dos seus amigos pensam que a adoção gerou um sentimento de abandono e isso fez com que Jobs ficasse ansioso por demonstrar que tinha valor”.

Jobs foi dado para adoção por Joanne Schieble, uma jovem de 23 anos que afirmava não ter condições financeiras de criá-lo. Depois da morte da mãe adotiva, Steve decidiu procurar a mãe biológica. Ao encontrá-la, surpreendida e feliz, Joanne pediu perdão por tê-lo dado para adoção. Mas ele nunca procurou ter um relacionamento com o pai biológico, Abdulfata ‘John’ Jandali.

Curiosamente, mesmo sendo um filho preterido, Jobs também preteriu. A sua primeira filha, nascida de uma relação casual com Chrissann Brennan, sempre teve dificuldades de ser reconhecida pelo pai. Ele teve ainda três filhos do seu casamento com Laurene Powell Jobs.

A vida religiosa de Steve Jobs também é tratada no livro. Ele foi criado num lar luterano, mas abandonou a fé cristã aos 13 anos, depois de ver a foto de crianças morrendo de fome na capa de uma revista. Ele perguntou ao pastor se Deus sabia que aquilo estava acontecendo e não gostou da resposta.

“O Cristianismo deixa de fazer sentido quando começa a se basear mais numa fé distante do que em viver como Jesus”, disse Jobs a Isaacson.

Depois de abandonar o Cristianismo, Jobs acabou indo para a Índia e passou a seguir os ensinamentos do Zen Budismo. Ele contou ao biógrafo que tinha dúvidas sobre a existência de Deus: “Acho que as diversas religiões são portas diferentes para a mesma casa. Às vezes, acho que a casa existe. Outras vezes, acho que não. É um grande mistério.”

Segundo Isaacson, Jobs começou a questionar mais intensamente o sentido da vida e a existência de Deus nos últimos meses antes de sua morte. Não tinha mais convicção do que ensinava o budismo.

“Lembro-me que Jobs falava muito sobre Deus. Ele dizia: Às vezes acredito em Deus, às vezes eu não sei. Acho que existe essa possibilidade. Mas desde que descobri o câncer, penso mais sobre isso. Eu me pego acreditando mais agora, talvez porque desejo acreditar na vida após a morte, que quando você morre, não pode ser que tudo simplesmente desapareça. A sabedoria que você acumulou deve continuar de alguma forma. Mesmo sem ter certeza do que o esperava depois, Jobs não tinha medo da morte”, diz Isaacson.

Em sua biografia, fica claro que o homem conhecido por suas decisões criativas e arrojado falhou ao decidir sobre a própria saúde.

Quando descobriu que tinha câncer no pâncreas, a doença estava no estágio inicial e poderia ser curada com uma cirurgia. Jobs decidiu se tratar com dieta vegetariana e acupuntura, o que pode ter lhe custado à própria vida.

Isaacson diz que por questões religiosas Jobs não queria violar o corpo. Isso ia contra o que aprendera na Índia. Depois de nove meses não teve escolha: foi obrigado a fazer um transplante de fígado. Porém. durante a cirurgia, os médicos descobriram que o câncer já havia se espalhado pelo corpo. Jobs tinha 56 anos de idade.

http://noticias.gospelprime.com.br/livro-biografia-steve-jobs-morrer-buscando-deus/

Veja também:

http://portuguese.christianpost.com/noticias/20111006/morte-de-steve-jobs-visionario-da-tecnologia-era-cristao-fas-perguntam/

http://www.midiagospel.com.br/noticia/digital/steve-jobs-era-cristao-fas-perguntam.html
avatar
Eduardo

Mensagens : 5997
Idade : 47
Inscrição : 08/05/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum