Últimos assuntos
» Decreto dominical a caminho
Dom Fev 19, 2017 7:48 pm por Augusto

» Acordem adventistas...
Ter Fev 07, 2017 8:37 pm por Augusto

» O que Vestir Para Ir à Igreja?
Qui Dez 01, 2016 7:46 pm por Augusto

» Ir para o céu?
Qui Nov 17, 2016 7:40 pm por Augusto

» Chat do Forum
Sab Ago 27, 2016 10:51 pm por Edgardst

» TV Novo Tempo...
Qua Ago 24, 2016 8:40 pm por Augusto

» Lutas de MMA são usadas como estratégia por Igreja Evangélica para atrair mais fiéis
Dom Ago 21, 2016 10:12 am por Augusto

» Lew Wallace, autor do célebre livro «Ben-Hur», converteu-se quando o escrevia
Seg Ago 15, 2016 7:00 pm por Eduardo

» Ex-pastor evangélico é batizado no Pará
Qua Jul 27, 2016 10:00 am por Eduardo

» Citações de Ellen White sobre a Vida em Outros Planetas Não Caídos em Pecado
Ter Jul 26, 2016 9:29 pm por Eduardo

» Viagem ao Sobrenatural - Roger Morneau
Dom Jul 24, 2016 6:52 pm por Eduardo

» As aparições de Jesus após sua morte não poderiam ter sido alucinações?
Sab Jul 23, 2016 4:04 pm por Eduardo

Palavras chave

Judas  bíblia  miguel  arca  criação  jesus  dilúvio  alma  jonas  

SEU IP
IP

Bíblia descoberta na Turquia preocupa cristãos e maometanos

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

13052012

Mensagem 

Bíblia descoberta na Turquia preocupa cristãos e maometanos




Papa Bento XVI fez um pedido para ver o suposto "segredo Bíblia", que é escrita em ouro e vale mais de US $ 20 milhões.

O livro de 1.500 anos de idade alegada, que muitos afirmam é o Evangelho de Barnabé, foi escondido por 12 anos pelo Estado turco, de acordo com o Daily Mail. O "segredo Bíblia" é escrito à mão em ouro em bruto, couro-esconde na língua nativa de Jesus Cristo em aramaico.

O Vaticano fez um pedido oficial para ver a escritura controverso, que os muçulmanos reivindicam é uma adição à evangelhos de Marcos, Mateus, Lucas e João. O livro foi descoberto pela polícia turca em uma operação anti-contrabando em 2000 e mantido guardado por 10 anos.

A página da foto-copiado único do livro é pensado para valer mais de US $ 2 milhões.

Há muitos relatos conflitantes e controversas sobre o conteúdo da "Bíblia secreta". Diz-se para conter os primeiros ensinamentos de Jesus e sua previsão da vinda de um Profeta. De acordo com a Turkish cultura e ministro do Turismo, Ertugrul Gunay, o livro poderia ser uma versão autêntica do Evangelho.

No entanto, é uma versão que é mais coerente com a fé islâmica que o cristianismo. Ele supostamente rejeita a Santíssima Trindade e da Crucificação e sugere que Jesus predisse a vinda do profeta Maomé. Ele também descreve Jesus como negar ser o Messias e afirmando que ele ou ela seria um ismaelita (árabes).

Muitas pessoas acreditam que o livro é uma farsa e só remonta ao século 16. As cópias mais antigas da "Bíblia secreta" remontam ao tempo e são escritos em espanhol e italiano.

Pastor protestante, Ihsan Oznek contesta a autenticidade do "segredo Bíblia" conteúdo, de acordo com o Hoje Zaman. Ele diz que São Barnabé viveu no primeiro século e foi um dos Apóstolos de Jesus, que está em contraste com a versão dito para vir a partir do século quinto ou sexto.

"Desde há cerca de 500 anos de São Barnabé e entre a escrita da cópia da Bíblia, os muçulmanos podem se decepcionar ao ver que esta cópia não inclui as coisas que eles gostariam de ver", disse Ozbeck. "Pode não ter nenhuma relação com o conteúdo do Evangelho de Barnabé".

Teologia professor Omer Faruk Harman diz que a única maneira de revelar a autenticidade e idade do livro é uma análise científica.



Uma bíblia de 1500 anos foi descoberta na Turquia, após a prisão de uma quadrilha que comercializava antiguidades de forma ilegal. O livro, feito em couro tratado e escrito em um dialeto do aramaico, língua falada por Jesus, tem as páginas negras, por causa da ação do tempo.

Há informações de que o Vaticano demonstrou preocupação com a descoberta do livro, e pediu às autoridades turcas que permitissem que especialistas da Igreja Católica pudessem avaliar o livro e seu conteúdo, que se suspeita, contenha o “Evangelho de Barnabé”, escrito no século XIV e considerado controverso, por descrever Jesus de maneira semelhante à pregada pela religião islâmica (vide vídeo)

São Barnabé era natural da ilha de Chipre. Como o Apóstolo São Paulo, foi discípulo de Gamaliel: «José, a quem os apóstolos haviam dado o cognome de Barnabé, que quer dizer ‘filho da consolação’, era um levita originário de Chipre. Sendo proprietário de um campo, vendeu-o e trouxe o dinheiro, depositando-o aos pés dos apóstolos» (At 4,36-37). Foi São Barnabé quem convenceu a comunidade de Jerusalém a receber o temível perseguidor dos cristãos, Paulo de Tarso.

“Então Barnabé o tomou consigo, levou-o aos apóstolos e contou-lhes como Saulo tinha visto no caminho, o Senhor, que falara com ele, e como, na cidade de Damasco, ele havia pregado, corajosamente, no nome de Jesus. Daí em diante, Saulo permanecia com eles em Jerusalém e pregava, corajosamente, no nome do Senhor” (Atos 9,27-28).

Barnabé e Paulo foram escolhidos pelos profetas e doutores de Antioquia para anunciar o Evangelho aos gentios ainda não convertidos à fé cristã. Paulo, Barnabé e João Marcos, seu primo, partiram, então, para Chipre, Perge, Antioquia da Pisídia e cidades da Licaônia. Barnabé participou do Concílio de Jerusalém. Desentendeu-se com Paulo e dele se separou, tomando rumo diferente.

Quando Barnabé foi à Síria e a Salamina pregando o evangelho, alguns judeus, tendo-se irritado com o seu extraordinário sucesso, caíram sobre ele quando estava pregando na sinagoga, arrastaram-no para fora e apedrejaram-o até a morte. Seu primo, João Marcos enterrou seu corpo em uma caverna, onde permaneceu até a época do imperador Zenão I, em 485 d.C. Seus restos mortais foram descobertos em 488. Seu túmulo se encontra no mosteiro construído em seu nome, em Salamina, Chipre.

O Evangelho de Barnabé é considerado um epígrafe da Era Medieval que apresenta a história dos Evangelhos de um modo diferente.

Esta obra tem se popularizado grandemente entre os muçulmanos nos últimos anos devido à grande similaridade do conteúdo da obra com as narrativas que o Alcorão apresenta dos feitos de Jesus e seus discípulos.

O escritor muçulmano Muhammad ‘Ata ur-Rahim, em seu livro ‘Jesus, a Prophet of Islam’ argumenta que a obra do Evangelho de Barnabé se trata de uma obra autêntica e apresenta argumentos que estabelecem uma relação entre o Evangelho de Barnabé e o Alcorão. Ele argumenta que o autor teria sido mesmo Barnabé, companheiro de viagens do apóstolo Paulo.

Alguns estudos mais independentes estabelecem que a obra conhecida como Evangelho de Barnabé pode ser uma falsificação do século XIV. O aparecimento de uma bíblia de 1500 anos, na Turquia, com o escrito de Barnabé, até onde contribuiria para um ponto final neste discussão teológica? Há que considerar um Jesus real, um histórico, e Jesus Deus (a divinização de Jesus é apenas aceita pelo cristianismo).

Jesus no islamismo é considerado o VI profeta.

No Evangelho de Barnabé estaria descrito que Cristo não foi crucificado, em seu lugar teria sido Judas, que foi por Deus transformado na aparência de Jesus.

Maomé repete esta versão.


"Conforme aquele caminho que chamam SEITA, assim sirvo ao Deus de nossos pais, crendo tudo quanto está escrito na LEI e nos PROFETAS" (Atos 24:14 ) - Paulo, o apostolo dos gentios
avatar
Eduardo

Mensagens : 5997
Idade : 47
Inscrição : 08/05/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

- Tópicos similares
Compartilhar este artigo em: BookmarksDiggRedditDel.icio.usGoogleLiveSlashdotNetscapeTechnoratiStumbleUponNewsvineFurlYahoo!Smarking

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum