Últimos assuntos
» Decreto dominical a caminho
Dom Fev 19, 2017 7:48 pm por Augusto

» Acordem adventistas...
Ter Fev 07, 2017 8:37 pm por Augusto

» O que Vestir Para Ir à Igreja?
Qui Dez 01, 2016 7:46 pm por Augusto

» Ir para o céu?
Qui Nov 17, 2016 7:40 pm por Augusto

» Chat do Forum
Sab Ago 27, 2016 10:51 pm por Edgardst

» TV Novo Tempo...
Qua Ago 24, 2016 8:40 pm por Augusto

» Lutas de MMA são usadas como estratégia por Igreja Evangélica para atrair mais fiéis
Dom Ago 21, 2016 10:12 am por Augusto

» Lew Wallace, autor do célebre livro «Ben-Hur», converteu-se quando o escrevia
Seg Ago 15, 2016 7:00 pm por Eduardo

» Ex-pastor evangélico é batizado no Pará
Qua Jul 27, 2016 10:00 am por Eduardo

» Citações de Ellen White sobre a Vida em Outros Planetas Não Caídos em Pecado
Ter Jul 26, 2016 9:29 pm por Eduardo

» Viagem ao Sobrenatural - Roger Morneau
Dom Jul 24, 2016 6:52 pm por Eduardo

» As aparições de Jesus após sua morte não poderiam ter sido alucinações?
Sab Jul 23, 2016 4:04 pm por Eduardo

SEU IP
IP

O Jesus casado da teologia gnóstica

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

24092012

Mensagem 

O Jesus casado da teologia gnóstica






Na semana passada, a descoberta de um fragmento de papiro com inscrições em copta (língua falada no norte do Egito antigo) e que alguns acreditam sugerir que Jesus teria sido casado deu o que falar na imprensa. No dia seguinte à divulgação da descoberta, publiquei com exclusividade aqui no blog a resposta do arqueólogo Rodrigo Silva (leia aqui). Como era de esperar, as revistas semanais repercutiram o assunto, mas com abordagens um tanto diferentes. A revista Veja, com a matéria “Existiu uma senhora Jesus?”, dedicou pouco mais de meia página ao assunto. A reportagem informa que o uso do carbono 14 não é possível, pois acabaria destruindo o fragmento de apenas quatro por oito centímetros, e cita a historiadora Karen King: “Esse é o único texto antigo em que Jesus se refere explicitamente a uma esposa.” Mas é um texto bem posterior aos evangelhos bíblicos e envolto em controvérsias.


Veja lembra que “o celibato do clero [católico] só foi definitivamente decretado no Concílio de Trento, que ocorreu entre 1445 e 1563”. E conclui o texto com a declaração de um padre jesuíta chamado James Martin: “Se descobrissem que Jesus teve uma esposa, isso não mudaria minha fé. Apenas, quando eu fosse para o paraíso, perguntaria aos apóstolos por que eles omitiram uma informação tão importante em seus evangelhos.”


No mais, a matéria de Veja traz as mesmas fontes de sempre: teólogos liberais que mal acreditam na canonicidade e na inspiração da Bíblia. (Detalhe: o assunto de capa dessa edição da Veja [reprodução acima] é altamente “relevante”: o que as mulheres acham do novo best-seller sobre sadomasoquismo [leia sobre isso aqui]. Em contrapartida, deram apenas uma pequena chamada para as revoltas promovidas por radicais islâmicos.)



A revista IstoÉ aprofundou mais o assunto e revelou um jornalismo melhor ao consultar fontes diferenciadas e com visão diferente das fontes de Veja (apesar do sensacionalismo da chamada acima). Entres os entrevistados, dois arqueólogos adventistas: os doutores Rodrigo Silva e Jorge Fabbro. A matéria, assinada por Rodrigo Cardoso, informa que a referência à Maria (para alguns, a mãe de Jesus) é feita na primeira sentença do papiro, e cita a explicação do Dr. Rodrigo: é mais provável que a Maria mencionada no texto seja Maria Madalena e não Maria mãe de Jesus. “Silva [...] concorda, porém, com a professora Karen, de Harvard. Para ela, o papiro não é prova de que Jesus se casou.”


IstoÉ continua: “O documento, segundo ela, seria parte de um livro escrito no século II, ou seja, uma fonte muito tardia em relação aos dias de Cristo na Terra. Corrobora também para a dúvida o fato de, naquele período, uma comunidade de cristãos dissidentes – a maioria de Alexandria, no Egito – ter criado um movimento chamado gnosticismo, marcado pela produção de textos nos quais a figura do Jesus preconizada pelo Novo Testamento pode ter sido modificada para tornar o cristianismo mais palatável ao povo pagão alexandrino. Esse novo Jesus que nascera ali, entre outros traços, não sentia dor nem sofrimento. Ideias como a ressurreição, encarnação e morte expiatória na cruz, que não eram bem-vistas diante dos olhos do mundo grego de Alexandria, ficaram de fora dos textos apócrifos gnósticos, como os evangelhos de Tomé, Judas e Filipe. Também surgiu a necessidade de se criar uma esposa para Cristo para, como pregava o gnosticismo, confirmar a teoria de que espíritos evoluídos estavam sempre em casais e nunca sozinhos.”

Depois de mencionar o evangelho de Filipe, cujos fragmentos mencionam o episódio de um beijo de Jesus em Maria Madalena, IstoÉ cita Fabbro: “Nessa região e naquela época se discutia muito se era apropriado ao cristão se casar. Por essas evidências, supõe-se que o Evangelho da Esposa de Jesus seja um documento surgido em um ambiente de gnosticismo”.



“O fragmento apresentado no Vaticano, portanto, estaria se referindo a um outro Cristo, uma divindade maquiada, e não àquele presente no Novo Testamento”, conclui acertadamente o autor da reportagem.


Mais um detalhe levantado pela matéria: na Israel do século I, nobre não era apenas a pessoa solteira e celibatária. Assim também seria aquela que, mesmo casada, tivesse a coragem de deixar a família em segundo plano para servir ao trabalho de Deus. “Se Jesus fosse casado, seria uma vantagem para ele. Não haveria motivos para os evangelhos bíblicos negarem o fato”, diz o arqueó­logo Silva. Para ele, o Evangelho da Esposa de Jesus é mais um que reforça o fato de que o Cristo histórico não foi casado, uma vez que, se tivesse vivido uma relação marital, a discussão ou menção sobre isso apareceria em livros mais antigos do que os do século II. “Por outro lado, nota-se um silêncio absoluto no século I sobre o fato e uma grande efervescência sobre ele no século II. E foi assim porque o Jesus casado é uma característica de um Cristo construído pela teologia gnóstica.”

O Jesus casado da teologia gnóstica


"Conforme aquele caminho que chamam SEITA, assim sirvo ao Deus de nossos pais, crendo tudo quanto está escrito na LEI e nos PROFETAS" (Atos 24:14 ) - Paulo, o apostolo dos gentios
avatar
Eduardo

Mensagens : 5997
Idade : 47
Inscrição : 08/05/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

- Tópicos similares
Compartilhar este artigo em: diggdeliciousredditstumbleuponslashdotyahoogooglelive

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum