Últimos assuntos
» Decreto dominical a caminho
Dom Fev 19, 2017 7:48 pm por Augusto

» Acordem adventistas...
Ter Fev 07, 2017 8:37 pm por Augusto

» O que Vestir Para Ir à Igreja?
Qui Dez 01, 2016 7:46 pm por Augusto

» Ir para o céu?
Qui Nov 17, 2016 7:40 pm por Augusto

» Chat do Forum
Sab Ago 27, 2016 10:51 pm por Edgardst

» TV Novo Tempo...
Qua Ago 24, 2016 8:40 pm por Augusto

» Lutas de MMA são usadas como estratégia por Igreja Evangélica para atrair mais fiéis
Dom Ago 21, 2016 10:12 am por Augusto

» Lew Wallace, autor do célebre livro «Ben-Hur», converteu-se quando o escrevia
Seg Ago 15, 2016 7:00 pm por Eduardo

» Ex-pastor evangélico é batizado no Pará
Qua Jul 27, 2016 10:00 am por Eduardo

» Citações de Ellen White sobre a Vida em Outros Planetas Não Caídos em Pecado
Ter Jul 26, 2016 9:29 pm por Eduardo

» Viagem ao Sobrenatural - Roger Morneau
Dom Jul 24, 2016 6:52 pm por Eduardo

» As aparições de Jesus após sua morte não poderiam ter sido alucinações?
Sab Jul 23, 2016 4:04 pm por Eduardo

SEU IP
IP

Analisando as doutrinas do inferno eterno e consciência da alma

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Analisando as doutrinas do inferno eterno e consciência da alma

Mensagem por maicom_italo em Qua Jun 23, 2010 11:00 pm

O ÍMPIO FICARA ETERNAMENTE NO INFERNO E NO LAGO DE FOGO , TORMENTO ETERNO :

(Apocalipse 14:11) - E a fumaça do seu tormento sobe para todo o sempre; não têm descanso algum, nem de dia nem de noite, os adoradores da besta e da sua imagem...

Jesus Cristo usou a mesma palavra para referir-se à duração das bênçãos dos salvos e os tormentos dos perdidos em Mt 25.46: Eterno. Além disso, ele não disse aniquilação eterna, mas castigo eterno. Veja Também Mc 9.43,44. Em Ap 14.10,11, vemos que os adoradores do Anticristo serão atormentados “e o fumo de seu tormento sobe pelos séculos dos séculos”. Isto não parece com aniquilação. Confira ainda: Ap 19.20; 20.2,7,10,15 etc.

Judas 6 e Mateus 8:12; 22:13, 25:30 mostram que as trevas significam um estado de privação e aflição, mas não de destruição no sentido de deixar de existir. Somente aqueles que existem podem chorar e ranger seus dentes, como é dito dos que serão lançados nas trevas.

Em 2 Tessalonicenses 1:9 Paulo explica, ou amplia, o significado de “sofrerão penalidade de eterna (aionios) destruição” adicionando “banidos da face do Senhor” __ expressão que, por denotar exclusão, joga por terra a idéia de que “destruição” significa extinção. Somente aqueles que existem podem ser excluídos.

INCONSCIÊNCIA DA ALMA E UMA DOUTRINA FALSA :

No monte da transfiguração, Moisés não estava “silencioso, inativo e totalmente inconsciente” enquanto falava com Cristo, cf. Mt 17.1-6. os mortos estão bem consciente depois da morte o próprio Jesus ensinava isso , leia mais a bíblia :

o corpo ou cadáver o morto não sabe de nada , mas a alma sabe de tudo , fala , vive, clama ,chora,ADORA, leia (Apocalipse 6:9-10)-… vi debaixo do altar as almas dos que foram mortos…. E clamavam com grande voz, dizendo: Até quando… foram vistos “em pé, diante do trono... vestidos de vestiduras brancas, com palmas nas mãos; e clamavam em grande voz, dizendo:” (Ap 7.9-10)

(Lucas 16:22-26) -e morreu também o rico, e foi sepultado…E no inferno, ergueu os olhos, estando em tormentos, e viu ao longe…E, clamando, disse…que molhe na água a ponta do seu dedo…estou atormentado nesta chama.

(Lc 23.43 ) Jesus disse hoje estarás comigo no paraíso : com certeza não seria dormindo ! claro que não seria dormindo !

Paulo não disse: “Tenho o desejo de partir e ficar inconsciente por muito tempo”, mas sim “tenho o desejo de partis e estar com Cristo” (Fp. 1.23)
—Estar com Cristo era desfrutar a bênção da comunhão da sua presença, e é essa a razão por que partir e estar com ele era incomparavelmente melhor. Foi por isso que ele disse: “Preferindo deixar o corpo e habitar com o Senhor” (II Co 5.8).

maicom_italo

Mensagens : 12
Idade : 27
Inscrição : 13/06/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Analisando as doutrinas do inferno eterno e consciência da alma

Mensagem por Fco Oliveira em Sab Jun 26, 2010 7:51 am

Nobre irmão Maicom a paz esteja com você, hoje para citarmos esta bíblia que você citou e validarmos este ou aquele assunto é um problema sério; porque? Se eu e você concordarmos em validarmos estes dois assuntos, não seremos visto como soldado da verdade.

Porque? No primeiro tópico sobre o "tal inferno permanente" nós teremos que mutilar vários versículos da bíblia e chamar meio mundo de soldados do Eterno Deus Yahuh de mentiroso e quem sabe até o próprio Deus e seu Filho amado.

No segundo tópico sobre a "vida/alma ser imortal", nós teremos que debater este assunto em um outro fórum, onde as pessoas crêem que tem uma alma ou uma vida dentro de si; pois aqui, estes servos que navegam aqui não crêem que tem uma alma, eles são as próprias almas, morreu, está tudo acabado.

A profeta deles fez um lindo trabalho de mutilação da vida neles e ninguém é capaz de tirar essa ideia maluca da cabeça deles, porque a Ellen já morreu e eles só escutam ela; como ela já morreu mesmo, não vai mais ensinar nenhum deles, o assunto fica encerrado.

O que mais me adimiro nesta crença, meu amado, é que nenhum deles para para analizar: se eu/ele nascemos e estamos vivos, é porque temos uma vida/alma dentro do nosso corpo; se não tiverssemos uma vida, não seríamos um "ser humano" e ser huamno é ter vida ou alma.

Estamoas gastando munição atoa, nenhum deles escuta isto, vejam a enchurrada de reprovações que vamos ter por causa disso. Só Yahuh é Deus no Céu e na terra, louvado seja o seu santo Nome.

Fco Oliveira

Mensagens : 211
Idade : 55
Inscrição : 15/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Analisando as doutrinas do inferno eterno e consciência da alma

Mensagem por Andreas em Seg Jul 05, 2010 12:51 am

[b]Nem iria respoder esse tópico para não "cumprir a profecia" do Fco Oliveira. Todavia, vou me reservar apenas ao racionicio proposto por ele, uma vez que el nos acusa de "não parar para pensar". Se é tão simplista assim pensar que "se tenho vida logo tenho uma alma dentro de mim". Teremos que concluir que as plantas e as minhocas e baratas tambem possuem almas! Desculpem o raciocinio pueril mas é assim que devo considerá o vosso raciocinio.
SE ser um "ser humano" é ter alma ou vida, o que resta depois que "cessa" a vida ou a alma?. Morte é "ausencia da vida"! Não existe vida onde há morte como não existe luz onde existe escuridão!

Vocês não estão gastando munição atoa, voces não tem munições.

Andreas

Mensagens : 30
Idade : 43
Localização : Recife-PE
Inscrição : 03/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

ALMA IMORTAL ,CONSCIÊNCIA DA ALMA, TORMENTO ETERNO ,INFERNO , LAGO DE FOGO !

Mensagem por maicom_italo em Qua Jul 07, 2010 2:40 pm

O Sono da Alma :

Afirmam que, depois da morte, somos reduzidos ao silêncio. Que morte é morte mesmo, incluindo a própria alma. Ao morrer, o homem deixa realmente de existir.

Isso é uma inverdade: REFUTAÇÃO : Em Lucas 16: Jesus ensina que os mortos estão bem consciente depois da morte : E no inferno, ergueu os olhos, estando em tormentos, e viu ao longe…E, clamando, disse (isso é irrefutável, e obvio )
( apocalipse 6.9-10 ) mostra almas dos mortos , e eles falam , clama , adora ,vive, fala , estão totalmente consciente , ( isso e irrefutável , é óbvio , bem claro ): vi debaixo do altar as almas dos que foram mortos…. E clamavam com grande voz, dizendo: Até quando… foram vistos “em pé, diante do trono... vestidos de vestiduras brancas...e clamavam em grande voz, dizendo:” (Ap 7.9-10)

Paulo não disse: “Tenho o desejo de partir e ficar inconsciente por muito tempo”, mas sim “tenho o desejo de partis e estar com Cristo” (Fp. 1.23)
—Estar com Cristo era desfrutar a bênção da comunhão da sua presença, e é essa a razão por que partir e estar com ele era incomparavelmente melhor. Foi por isso que ele disse: “Preferindo deixar o corpo e habitar com o Senhor” (II Co 5.8).

É verdade que a Bíblia descreve a morte como um sono mas isso em razão de o crente, ao falecer, perder a consciência para com o mundo cheio de fadiga e sofrimento e acordar num reino de paz e felicidade. O Antigo Testamento ensina que, embora o corpo entre na sepultura, o espírito que se separou do corpo entra no Seol (traduzido “inferno” na versão de Almeida), onde vive em estado consciente , ( O CORPO DORME , MAS A ALMA ESTA CONSCIENTE ),


COMO ESPLICAR ECRESIASTE ? = A BIBLIA ensina claramente que a alma sobrevive a morte (ap 6.9 ; 2 co 5.8; fp 1.23 ; ) a referencia em Eclesiastes 3.20-21 esta relacionada ao corpo humano , e não a alma, tanto os seres humanos quanto os animais morre e seus corpos retorna ao pó. Contudo , porem , seres humanos são diferentes , pois "o fôlego dos filhos dos homens sobe para cima "(v.21) . de fato Salomão fala da "eternidade" do coração humano ( ec 3.11) e de sua imortalidade quando declara que na morte "o homem s vai á sua eterna casa " (ec 12.5) (Ec 9.10 ) = as passagens que dizem não haver conhecimento ou recordação apos a morte estão se referindo a não ter memória neste mundo , e não deste mundo . Salomão claramente especificou o seu comentário dizendo que era "na sepultura " (9.10) que não haveria "nem ciência nem sabedoria alguma" . ele também afirma que os mortos não sabem o que esta acontecendo " debaixo do sol " (9.6) ,os mortos não sabem nada do que diz respeito ao que se passa no mundo , e nem de seus próprios sentidos físicos . mas enquanto eles não sabem o que está se passando na terra , certamente conhecem o que esta se passando no céu ( veja : ap 6.9) então Eclesiastes não esta negando a vida que existe apos a morte ; esta advertindo a respeito da futilidade de viver apenas para esta vida " debaixo do sol " ( confira 1.3,13;2.18)


salmos 146.4 corrigir a má interpretação : = este verso não que disse que as pessoas não tenham mais pensamentos apos a morte . antes , ele significa que os planos das pessoas , as suas ambições , os seus propositos e suas ideias para o futuro cessam , e passam a ser como nada no momento da morte . os planos e ideias de uma pessoa para o futuro morre com ele ou ele .

A BÍBLIA AFIRMA EXISTE INFERNO E TORMENTO ETERNO :

(apocalipse 14:11 – diz : as pessoas ímpias ficarão em tormento para todo o sempre , sem repouso ... e o fumo de seu tormento sobe pelos séculos dos séculos....

(Marcos 9:43)- E, se a tua mão te escandalizar, corta-a; melhor é para ti entrares na vida aleijado do que, tendo duas mãos, ires para o inferno, para o fogo que nunca se apaga, (Marcos 9:44) - Onde o seu bicho não morre, e o fogo nunca se apaga.

O inferno é lugar de tormentos eternos:: Is 33.14, Dn 12.2, Mt 5.29, 10.28, 13.40-42, 25.46, Lc 16.22-24, Ap 20.10, 15, onde há consciência dos atos praticados durante a existência aqui na terra!


O ensino de Jesus foi claro sobre o inferno: Mt 13.41-42, 49-50; 22.13; 24.50-51; 25.30, 41, 46; 26.24; Mc 9.45, 47-48; Lc 12.4-5; 13.27-28. A palavra aionios, que aparece na Bíblia, designa: a eternidade de Deus (Ap 4.9; Rm 16.26); a felicidade do povo de Deus (Mt 25.46; Jo 10.28); a glória eterna (2 Tm 2.10; 2 Co 4.17; Hb 9.15; 2 Co 5.14, 18) e futura punição dos ímpios (Mt 25.46; 2 Ts 1.9).

ALGUNS DIZEM QUE O INFERNO NÃO EXISTE ! NA BÍBLIA ELE E BEM REAL ! A BÍBLIA DECLARA QUE ELE EXISTE SIM ! :

(apocalipse 14:11 – diz : as pessoas ímpias ficarão em tormento para todo o sempre , sem repouso ... e o fumo de seu tormento sobe pelos séculos dos séculos....

(Mateus 10:28)- E não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno a alma e o corpo.

(Mateus 13:42) - E lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá pranto e ranger de dentes.

(Mateus 13:50) - E lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá pranto e ranger de dentes.

(Mateus 8:12)- E os filhos do reino serão lançados nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes.


(Apocalipse 20:10)- E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre.

maicom_italo

Mensagens : 12
Idade : 27
Inscrição : 13/06/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Analisando as doutrinas do inferno eterno e consciência da alma

Mensagem por Eduardo em Qua Jul 07, 2010 4:19 pm

Olá maicom, seja bem vindo.

Tenho uma proposta, que tal dividirmos este tópico em dois ?

Um sobre a alma e outro sobre o inferno, concorda ?
avatar
Eduardo

Mensagens : 5997
Idade : 47
Inscrição : 08/05/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Analisando as doutrinas do inferno eterno e consciência da alma

Mensagem por Eduardo em Qua Jul 07, 2010 4:20 pm

Outra coisa, mandei uma mensagem para você.

Por favor, leia ela atentamente.
avatar
Eduardo

Mensagens : 5997
Idade : 47
Inscrição : 08/05/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Analisando as doutrinas do inferno eterno e consciência da alma

Mensagem por Eduardo em Qua Jul 07, 2010 8:57 pm

Irmão maicom, percebi que ainda não leu a mensagem que lhe enviei. Talvez ainda não tenha localizado, se este for o caso é só clicar no botão "MPs", que pode ser encontrado no menu de navegação deste fórum ou através no botão abaixo:

avatar
Eduardo

Mensagens : 5997
Idade : 47
Inscrição : 08/05/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Analisando as doutrinas do inferno eterno e consciência da alma

Mensagem por Eduardo em Seg Jul 12, 2010 9:10 pm

Origem da doutrina da imortalidade da alma

A imortalidade da alma é uma crença antiga, talvez até de antes do dilúvio. Todos os povos da antiguidade, criam que numa alma independentemente de matéria e que vivia além do corpo. A crença se originou a partir da Babilônia dos tempos de Ninrod. O Professor Morris Jastrow Jr., da Universidade de Pensilvânia, EUA, diz que os babilônios antigos criam que a morte era uma passagem para outra espécie de vida que continuava após a morte do corpo. Por isso enterravam objetos junto com o morto, para que os usassem no além. Tal prática se espalhou para muitos lugares do mundo, entre muitos povos.


Há eruditos a dizer que Ninrod era representado como retornando em reis e imperadores posteriores, desde que sua esposa, Semíramis teve um filho que teria sido a sua reencarnação. É quase certo que a idéia de uma alma imortal como doutrina venha daqueles tempos. De qualquer forma, essa idéia já fora pregada por satanás no Jardim do Éden, como está em Gên. 3:4, quando ele disse: ´”é certo que não morrereis.” Não é de admirar que cedo se tenha tornado uma crença de todos os povos pagãos mundo afora, e que perdure até os nossos dias.

Antigos povos degeneraram para crer em coisas absurdas como uma alma imortal residente nos olhos, no fígado, nos rins, no coração ou no cérebro. Os povos mais rudimentares criam que havia uma alma no sangue, na respiração e até na própria sombra ou reflexo na água. Sem uma revelação de DEUS a imaginação se torna fértil para o desenvolvimento dos maiores disparates mentais.

Em Babilônia de Ninrod se fundou um império global contra DEUS. Portanto, satanás não deixaria por menos, senão em logo introduzir a doutrina falsa que é a base de seu esquema de adoração. Ou seja, se DEUS promete a vida eterna a quem O ama, e O obedece, afinal o que satanás tem a prometer? Ele precisa prometer algo em contrafação, para que as pessoas creiam nele, e o adorem, mesmo que não percebam o que fazem. Ele passou a prometer algo paralelo ao que DEUS diz, que existe uma alma distinta do corpo, e que essa alma nunca morre, mas vai sendo aperfeiçoada sucessivamente. E o que mais satanás poderia propor? Ele tem que criar um atrativo para as pessoas se ligarem a ele como adoradores. Jamais alguém seguiria ensinamentos falsos só para morrer.


As pessoas crêem nessa doutrina sem saberem que ela é falsa, crêem porque ela parece ser bem mais atraente que aquilo que DEUS diz. Esse foi o princípio pelo qual Eva deu atenção à serpente, ela acreditou que, diferente do que DEUS dizia, se comesse daquele fruto, não morreria, mas seria ainda mais inteligente, conhecendo o bem e o mal.

A imortalidade da alma é a base doutrinária da rebelião de Lúcifer, e o fundamento das demais mentiras. Sempre que ele entra em ação em uma situação nova, a primeira coisa que tenta fazer crer é que a alma não morre. E sabe porquê? Pelo fato de que assim é mais fácil crer nas demais mentiras dele. Veja bem, o que DEUS requer, que é muito lógico, é que nos arrependamos para que sejamos perdoados pelo sangue de JESUS, e salvos por Ele, viveremos eternamente. Isso requer esforço, decisão, mudança de vida e obediência. Não é tão fácil como o simplismo de satanás.

O que satanás ensina é bem mais simples. Ele diz que nós não morremos, que, após a morte do corpo a alma subsiste. E para que a alma não sofra, basta que nessa terra sejamos pessoas boas. Mas se não formos boas, depois da morte rezas resolvem tudo. Portanto, aquilo que satanás faz crer é bem mais simples que a explicação de DEUS. Se a pessoa não morre, ela não tem necessidade de um completo arrependimento, nem de ser santificada, isto é, separado do mundo, para pela transformação vir a ser totalmente obediente a DEUS. Basta ser mais ou menos boa.

A palavra inferno é de origem latina e foi acrecentada posteriormente por Jerônimo em sua Vulgata:


Infernus (de baixo) não teve apenas alteração ortográfica. Perdeu sua função adjetiva após ser substantivada para designar sepultura, que realmente é um lugar inferior. Como a sepultura é lugar dos mortos, e os povos primitivos acreditavam que ao morrer o homem, após sepultado, vai sofrer um suplício pelos seus pecados ou vai ter o gozo merecido por sua justiça, o Cristianismo Romano passou a considerar inferno como lugar de tormento eterno das almas.

Quando Jacó disse: "Meu filho não descerá convosco; seu irmão é morto, e ele ficou só; se lhe sucede algum desastre no caminho por onde fordes, fareis descer minhas cãs com tristeza à sepultura" (Gênesis, 42: 38 AA), ele usou a palavra hebraica sheol, traduzida para o grego hades, e para o latim infernus. Veja Salmos l6:l0, "Porque não deixarás a minha alma no inferno (sheol), nem permitirás que teu Santo veja corrupção" (Sal. 15: 10 PAPF).

A versão Almeida atualizadas traduz sheol por morte. As versões antigas traduziam sempre por inferno. Em atos 2: 27, Pedro citou o texto como referente à ressurreição de Cristo, traduzindo sheol para hades, que na Tradução do Padre A. P. de Figueiredo consta inferno. A mesma palavra usou Jó ao desejar que Deus o encobrisse no inferno (sheol) (Jó, 14: 13). Um antigo catecismo católico, que eu lia na infância, dizia que Cristo "desceu ao inferno e ao terceiro dia ressurgiu dentre os mortos". Ainda em minha infância, conheci a nova versão, que dizia "desceu à mansão dos mortos", dando-me uma idéia mais nítida de que inferno era a sepultura.

Certa vez uma colega minha me disse que "Jesus quando morreu ficou três dias no inferno lutando contra o Diabo em favor do homem". Ela apenas havia lido a frase "não deixarás minha alma no inferno, nem permitirás que teu santo veja corrupção", que significa não me deixarás na sepultura, nem permitirá que teu santo se desfaça, ou apodreça. Pedro citou o texto em Atos 2, para afirmar que Cristo foi sepultado e ao terceiro dia foi ressuscitado.

Mudanças No Sentido da Palavra Inferno
O Dicionário Expositivo de Palavras do Velho e do Novo Testamento diz a respeito do uso de inferno para traduzir as palavras originais do hebraico Sheol e do grego Hades (Bíblia): Hades . . . Corresponde a Sheol no Antigo Testamento. Na Versão Autorizada do A.T. e do N. T., foi vertido de modo infeliz por Inferno.[1]

A Enciclopédia da Collier diz a respeito de Inferno: Primeiro representa o hebraico Seol do Antigo Testamento, e o grego Hades, da Septuaginta e do Novo Testamento. Visto que Seol, nos tempos do Antigo Testamento, se referia simplesmente à habitação dos mortos e não sugeria distinções morais, a palavra ‘inferno’, conforme entendida atualmente, não é uma tradução feliz.[2]


O Terceiro Novo Dicionário Internacional de Webster diz: Devido ao entendimento atual da palavra inferno (Latim Infernus) é que ela constitui uma maneira tão infeliz de verter estas palavras bíblicas originais. A palavra inferno não transmitia assim, originalmente, nenhuma idéia de calor ou de tormento, mas simplesmente de um lugar coberto ou oculto (de . . . helan, esconder).[3]

A Enciclopédia Americana diz: Muita confusão e muitos mal-entendidos foram causados pelo fato de os primitivos tradutores da Bíblia terem traduzido persistentemente o hebraico Seol e o grego Hades e Geena pela palavra inferno. A simples transliteração destas palavras por parte dos tradutores das edições revistas da Bíblia não bastou para eliminar apreciavelmente esta confusão e equívoco.[4]

O significado atribuído à palavra inferno atualmente é o representado em A Divina Comédia de Dante[5], e no Paraíso Perdido de Milton[6], significado este completamente alheio à definição original da palavra. A idéia dum inferno de tormento ardente, porém, remonta a uma época muito anterior a Dante ou a Milton.

Referências

1
Vine’s Expository Dictionary of Old and New Testament Words (Dicionário Expositivo de Palavras do A.T. e do N.T., de Vine, 1981, Vol. 2, p. 187).


2 A Collier’s Encyclopedia (Enciclopédia da Collier, 1986, Vol. 12, p. 28).


3 O Webster’s Third New International Dictionary (Terceiro Novo Dicionário Internacional de Webster).


4 The Encyclopedia Americana (Enciclopédia Americana, 1956, Vol. XIV, p. 81).


5 "A Divina Comédia" de Dante.


6 O PARAÍSO PERDIDO (1667), John Milton (Inglaterra/1608 - 1674)

Respeitado Líder Anglicano Diz Que Crença No “Morrer e Ir Pro Céu” É Um Erro
“Tom” Wright, bispo da Igreja Anglicana, de Durham, Inglaterra, é o 4o. indivíduo mais importante na hierarquia de sua denominação. Ele é um erudito muito respeitado e lido, especialmente conhecido por seu livro The Resurrection of the Son of God [A Ressurreição do Filho de Deus], em que levanta uma vigorosa argumentação em defesa da interpretação literal desse evento.

A conhecida revista de circulação mundial, Time, traz em sua edição de 7 de fevereiro de 2008 uma interessante entrevista com ele da qual destacamos alguns trechos:

Nossa cultura é muito interessada na vida após a morte, mas o Novo Testamento é muito mais interessado no que eu tenho chamado a vida após a vida após a morte--na ressurreição final para os novos céus e a nova Terra. A ressurreição de Jesus assinala o começo de uma restauração que Ele completará quando do Seu retorno. Parte disso será a ressurreição de todos os mortos, que “despertarão”, sendo incorporados para participar na renovação. John Polkinghorne, um físico e sacerdote, colocou as coisas desta maneira: “Deus fará o download de nosso software em seu hardware até a ocasião em que Ele nos dá novo hardware para operarmos novamente o software por nós mesmos”. Isso conduz a duas coisas muito certinhas: que o período após a morte é um em que estamos na presença de Deus, mas não ativos em nossos corpos, e também que a transformação mais importante se dará quando novamente formos incorporados e administrando o reino de Cristo.

Noutro ponto, ele explica:

O Novo Testamento é profundamente, profundamente judaico, e os judeus tinham por algum tempo intuição de uma ressurreição física final. Criam que o mundo do espaço e do tempo e a matéria são confundidos, mas permanecendo basicamente bons, e Deus por fim separará as coisas e arrumará tudo novamente. A crença nessa bondade é absolutamente essencial para o cristianismo, tanto teológica quanto moralmente. Mas os cristãos que falavam o grego influenciados por Platão viam nosso cosmo como mal arranjado, mal formado e cheio de mentiras, e a idéia não era de torná-lo bom, mas de escapar dele e deixar para trás nossos corpos materiais. a Igreja no seu melhor sempre remontou à visão hebreia, mas houve tempos em que o ponto de vista grego exerceu muita influência.

E fala até de como a visão dualista deixa de contribuir para a consciência ecológica, nos seguinte termos:

. . . a idéia da ressurreição corporal . . . as pessoas negam quando falam sobre suas “almas indo para o céu”. Se as pessoas pensam, “meu corpo físico não importa muito”, então o que importa o que eu faço com ele? E se as pessoas julgam que nosso mundo, nosso cosmo, não importa muito, o que importa o que façamos com ele? Muito do cristianismo “tradicional” dá a impressão de que Deus têm essas regras um tanto arbitrárias sobre como devemos nos comportar, e se as desobedecermos iremos para o inferno, em vez de ser para o céu. O que o Novo Testamento realmente diz é que Deus deseja que você seja um ser humano renovado, ajudando-O na renovação de Sua criação, e Sua ressurreição foi o toque do sino de abertura. e quando Ele retornar para cumprir o Seu plano, você não estará subindo para lá até Ele, ele estará descendo para cá.
avatar
Eduardo

Mensagens : 5997
Idade : 47
Inscrição : 08/05/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Analisando as doutrinas do inferno eterno e consciência da alma

Mensagem por Eduardo em Qua Jan 12, 2011 10:05 am

O que é o “Inferno” ?


A Bíblia mostra que o inferno é a sepultura comum da humanidade. E observe o que a Bíblia afirma: “A morte e o inferno deram os mortos que neles havia.” (Rev. 20:13, Al) Sim, não só a Bíblia ensina que os bons bem como os injustos vão para o inferno, mas mostra que aqueles que estão no inferno serão ressuscitados! (Atos 24:15) Que o verdadeiro Deus não é assim é depreendido das censuras que dirigiu aos israelitas que ‘queimavam seus filhos e suas filhas no fogo’. Jeová insistiu que isto era uma ‘coisa que ele não havia ordenado e que não lhe havia subido ao coração’. (Jeremias 7:31) Visto que Deus jamais pensara em tais coisas, como poderíamos imaginar que ele criaria um inferno de fogo para suas criaturas? Sim, se a crueldade e a tortura nos causam repulsa, quanto mais devem causar a Deus, que é amor? — 1 João 4:8.
A doutrina do inferno de fogo também se choca com a justiça. Em sua carta aos Romanos, o apóstolo Paulo explica: “O salário pago pelo pecado é a morte.” (Romanos 6:23) Ademais, ele nos diz: “Aquele que morreu foi absolvido do seu pecado.” Se a morte remove completamente a dívida duma pessoa, por que, então, deveria ela sofrer eternamente por ter passado apenas seu curto período de vida em pecado? — Romanos 6:7.
Assim, A Bíblia mostra que o inferno de fogo, conforme geralmente entendido, não existe. E este conhecimento nos permite travar um relacionamento com Deus baseado em amor, e não no terror. Sugerimos que continue a examinar a Bíblia e aprenda como agradar a Ele devidamente, a fim de situar-se entre aqueles que verão aquele maravilhoso dia em que o Hades, ou Seol, a sepultura comum da humanidade, desaparecerá para sempre. — 1 João 4:16-18.
“Muita confusão e muitos mal-entendidos foram causados pelo fato de os primitivos tradutores da Bíblia terem traduzido persistentemente o hebraico Seol e o grego Hades pela palavra inferno. A simples transliteração destas palavras por parte dos tradutores das edições revistas da Bíblia não bastou para eliminar apreciavelmente esta confusão e equívoco.” — The Encyclopedia Americana (New York; 1942), Vol. 14, p. 81.
“HADES . . . Corresponde a ‘Seol’ no A. T. [Antigo Testamento]. Na V. A. [Versão Autorizada (Rei Jaime), em inglês] do A. T. [Antigo Testamento] e no N. T. [Novo Testamento] foi vertido de modo infeliz por ‘Inferno’.” — An Expositora Dictionary of New Testament Words (London; 1962), W. E. Vine, Vol. II, p. 187.
“Inferno . . . Primeiro representa o hebraico Seol do Antigo Testamento e o grego Hades da Septuaginta e do Novo Testamento. Visto que Seol, nos tempos do Antigo Testamento, se referia simplesmente a habitação dos mortos e não sugeria distinções morais, a palavra ‘inferno’, conforme entendida atualmente, não é uma tradução feliz.” — Collier’s Encyclopedia (United States; 1965), Vol. 12, p. 27.

A palavra portuguesa “inferno” originalmente não dava nenhuma idéia de calor ou tormento, mas simplesmente denotava ‘lugar coberto ou escondido’. Compreendia isto? O termo era muito similar ao significado do “seol” hebraico e do “hades” grego. Afirma o glossário de uma versão francesa com base na tradução de Louis Segond, revisão de 1910, sob a expressão “habitação dos mortos”: “Esta expressão traduz a palavra grega hades, que corresponde ao seol hebraico. É o lugar onde se localizam os mortos entre [o tempo] de sua morte e sua ressurreição (Luc. 16:23; Atos 2:27, 31; Rev. 20:13, 14). Certas traduções têm traduzido erroneamente esta palavra como inferno.”
Ecl. 9:5, 10: “Os viventes estão cônscios de que morrerão; os mortos, porém, não estão cônscios de absolutamente nada . . . Tudo o que a tua mão achar para fazer, faze-o com o próprio poder que tens, pois não há trabalho, nem planejamento, nem conhecimento, nem sabedoria no Seol,* o lugar para onde vais.” (Se não estão cônscios de nada, é óbvio que não sentem dor.) (*“Seol”, “Xeol” ou “Cheol”, IBB, BJ, BMD; “a sepultura”, Al, So; “inferno”, Dy; “região dos mortos”, MC.)
Jó 14:13, Dy: “[Jó orou:] Quem me dera isto: que me protegesses no inferno,* e me escondesses até que passasse a tua ira, e me fixasses um tempo em que te lembrarias de mim?” (O próprio Deus disse que Jó era “homem inculpe e reto, temendo a Deus e desviando-se do mal.” — Jó 1:8.) (*“Sepultura”, Al; “região dos mortos”, CBC, “Xeol”, BJ; “Cheol”, BMD; “Seol”, IBB, NM.)


Voltar a página TRADUÇÃO DO NOVO MUNDO DEFENDIDA!

Atos 2:25-27, PIB: “Davi . . . diz a seu respeito [de Jesus Cristo]: . . . porque não abandonarás a minha alma no inferno,* nem deixarás que o teu Santo experimente a decomposição.” (Não indica o fato de Deus não ‘abandonar’ Jesus no inferno que Jesus esteve no inferno, ou Hades, por pelo menos algum tempo?) (*“Inferno”, ABV, “morte”, ALA; “mundo dos mortos”, NTI; “região dos mortos”, BV; “Hades”, Al, BJ, VB, NM.)
Assim, então, as referências a hades e seol nas Escrituras não apóiam a existência dum lugar de tormento após a morte. Nem podem as referências a “Geena” (traduzidas “inferno” em várias versões) ser usadas para apoiar a idéia do tormento consciente após a morte. A Bíblia não diz que Deus atormentara os lançados na Geena, mas diz que Deus “pode destruir na Geena tanto a alma como o corpo”. (Mat. 10:28) Sendo o fogo o meio mais cabal de destruição usado nos tempos bíblicos, o “fogo” da Geena representa aptamente a destruição completa.
Quanto ao “lago de fogo” mencionado em Revelação 20, tal “lago” é explicado no versículo 14 como sendo, não literal, mas símbolo da “segunda morte”. Todos que provam a “segunda morte” permanecerão em suas garras “para todo o sempre”. (Rev. 20:10) Note que o versículo 14 diz que “a morte e o Hades” mesmos são “lançados no lago de fogo” (Rev. 20:14) É óbvio que a morte e o hades não têm consciência, mas podem ser destruídos, e o fogo representa isso.
Pode-se ver, assim, que o ensino dum inferno ardente não se baseia na Bíblia. É simples resultado de o homem não querer aceitar o fato de que a morte acaba com toda existência consciente. Tal ensino tem distorcido a Deus como sendo cruel e ocultado o que Ele deseja dos a quem aprova. Jeová Deus não deseja que o sirvam apenas por temerem horrível castigo, mas por causa de seu profundo amor a Ele. (Jer. 9:24; Sal. 97:10; 119:104, 128, 163; 1 João 4:8-12) O amor é muito mais dissuasivo quanto ao erro do que o medo do castigo. (Rom. 13:8-10) Aos que desejam agradar a Ele, Jeová Deus apresenta a oportunidade de obterem a vida eterna. Milhões se habilitarão a aproveitar essa oportunidade por meio duma ressurreição. — João 5:28, 29; 17:3.
Não deixe de ver o VÍDEO :
Inferno a Doutrina do Medo!
A FALSA DOUTRINA DA IMORTALIDADE DA ALMA.
avatar
Eduardo

Mensagens : 5997
Idade : 47
Inscrição : 08/05/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Analisando as doutrinas do inferno eterno e consciência da alma

Mensagem por NeoqJav em Qui Jan 13, 2011 12:32 pm

Muito bem pesquisado Eduardo, parabéns!

NeoqJav

Mensagens : 8
Idade : 29
Localização : não importa, o pecado estará em todo o lugar se ainda estiver em seu coração
Inscrição : 24/07/2010

Ver perfil do usuário http://neoqjav.dihitt.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Analisando as doutrinas do inferno eterno e consciência da alma

Mensagem por Eduardo em Qui Jan 13, 2011 1:15 pm

Glória a Deus irmão.
Contribua conosco.
Que Deus nos abençoe!
avatar
Eduardo

Mensagens : 5997
Idade : 47
Inscrição : 08/05/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Analisando as doutrinas do inferno eterno e consciência da alma

Mensagem por Eduardo em Qui Jan 13, 2011 1:55 pm

Alguns imortalista afirmam que:

Quando a filha de David e Batseba morreu, ele parou de orar por ela. Seus conselheiros acharam errado, posto que entendiam que ele deveria orar por ela depois de morta. David então diz "Que adianta orar e jejuar por ela, eu iria até ela mas ela não voltaria para mim". Esse texto mostra que David e seus conselheiros acreditavam ser possível o contato entre vivos e mortos.

O mesmo Davi escreveu o Salmo 139, e no verso 14 ele é taxativo: "ao morrer o homem, também morrem os seus pensamentos”. Seu filho Salomão no livro de Eclesiastes 9:5 é claro em dizer que os mortos não sabem coisa nenhuma. No trecho que você nos trouxe, ele está se referindo a pessoa como um todo - "eu iria até ela" - e não a uma suposta alma imortal e consciente. Não podemos creditar a um texto mais do que ele realmente diz. E outra o verbo "Ir" da forma como está conjugado - "eu iria até ela" - denota apenas um desejo de algo que se sabe não ser possível. E por fim, o texto é claro e destaca que Davi foi radicalmente contra a crença pagã na oração pelos mortos de seus subordinados. O povo Hebreu sabia que os mortos dormiam. A palavra “dormiu” aparece, na Bíblia, 35 vezes, concentrando sua maioria no livro dos Reis (I e II) e no de Crônicas (II). Para evitar a repetição, citaremos apenas os seguintes exemplos:

1Rs 2,10: Depois Davi dormiu com seus pais, e foi sepultado na cidade de Davi.

1Rs 11,43: E Salomão dormiu com seus pais, e foi sepultado na cidade de Davi,...

1Rs 14,20: E o tempo que Jeroboão reinou foi vinte e dois anos. E dormiu com seus pais;...

1Rs 14,31: E Roboão dormiu com seus pais, e foi sepultado com eles na cidade de Davi...

1Rs 15,8: Abião dormiu com seus pais, e o sepultaram na cidade de Davi...

As demais passagens são: Gn 47,30; 2Sm 7,12; 1Rs 1,21; 2,10; 11,43; 14,20.31; 15,8.24; 16,6.28; 22,40.50; 2Rs 8,24; 10,35; 13,9.13; 14,16.29; 15,7.22.38; 16,20; 20,21; 21,18; 24,6; 2Cr 9,31; 12,16; 14,1; 16,13; 21,1; 26,23; 27,9; 28,27; 32,33; 33,20.
avatar
Eduardo

Mensagens : 5997
Idade : 47
Inscrição : 08/05/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

imortalidade da alma

Mensagem por jdas em Seg Mar 28, 2011 8:29 pm

caros irmãos porque jesus usaria uma parabola como a de lazaro e o rico com ideias pagãs como imortalidade da alma para nos ensinar; la ele nos mostra a recompensa dos justos, e tambem por que jesus conta que na casa do pai existem muitas moradas e mesmo se não existissem ele as faria . muito obrigado.

jdas

Mensagens : 6
Idade : 32
Inscrição : 28/03/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Analisando as doutrinas do inferno eterno e consciência da alma

Mensagem por Eduardo em Qua Mar 30, 2011 6:06 am

A parábola faz interessantes afirmações. Ensina esta parábola, se tomada ao pé da letra (literalmente), que o homem, sendo pobre, mendigo, desvalido, ao morrer, tem como prêmio, ou recompensa, o Céu (seio de Abraão). Então, façamos as seguintes perguntas:

• Você não acha que o seio de Abraão seja muito pequeno, porque no máximo este patriarca devia ter de altura, 2,30 m?
• E os pobres e mendigos que morreram antes de Abraão, para que seio foram?
• Caberá no seio de Abraão todos os pobres do mundo quando morrerem, pois é sabido que a maior parte da população mundial, que já se aproxima dos 5 bilhões, são pobres?
• Bem, se apenas por ser mendigo alguém tem direito ao Céu, o crente então jamais poderá ficar fora dele, e que seio é esse para caber tanta gente? Abel, que viveu antes de Abraão, para que seio foi?
• Agora, pasme o irmão. Para onde fugir, diante desta pergunta: E Abraão, chamado o amigo de Deus, homem justo e bom, o pai da fé, morreu, e para onde foi? Para o seu próprio seio? Percebeu?
avatar
Eduardo

Mensagens : 5997
Idade : 47
Inscrição : 08/05/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Analisando as doutrinas do inferno eterno e consciência da alma

Mensagem por NeoqJav em Qui Mar 31, 2011 1:43 pm

Paz a todos

Acredito que existem mais textos bíblicos não citados que apoiam a crença de Eduardo :

João 3:13 [NVI]
Ninguém jamais subiu ao céu, a não ser aquele que veio do céu: o Filho do homem.

Atos 2:34a
Porque Davi não subiu aos céus...

--------------------------------------------------
jdas
Na bíblia Jesus fala de dois lázaros que morreram...
Um voltou a viver por causa da ressurreição e não há relatos na bíblia
dele ter falado o que aconteceu com ele enquanto estava morto, porque
ele estava inconsciente ( João 11 )
( A ressurreição de Lázaro prefigura a ressurreição que cristo pregava Jo 5:28,29 )


1 Coríntios 15:32c diz:
Se os mortos não ressuscitam, comamos e bebamos pois amanhã morreremos

NeoqJav

Mensagens : 8
Idade : 29
Localização : não importa, o pecado estará em todo o lugar se ainda estiver em seu coração
Inscrição : 24/07/2010

Ver perfil do usuário http://neoqjav.dihitt.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Analisando as doutrinas do inferno eterno e consciência da alma

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum