Últimos assuntos
» Decreto dominical a caminho
Dom Fev 19, 2017 7:48 pm por Augusto

» Acordem adventistas...
Ter Fev 07, 2017 8:37 pm por Augusto

» O que Vestir Para Ir à Igreja?
Qui Dez 01, 2016 7:46 pm por Augusto

» Ir para o céu?
Qui Nov 17, 2016 7:40 pm por Augusto

» Chat do Forum
Sab Ago 27, 2016 10:51 pm por Edgardst

» TV Novo Tempo...
Qua Ago 24, 2016 8:40 pm por Augusto

» Lutas de MMA são usadas como estratégia por Igreja Evangélica para atrair mais fiéis
Dom Ago 21, 2016 10:12 am por Augusto

» Lew Wallace, autor do célebre livro «Ben-Hur», converteu-se quando o escrevia
Seg Ago 15, 2016 7:00 pm por Eduardo

» Ex-pastor evangélico é batizado no Pará
Qua Jul 27, 2016 10:00 am por Eduardo

» Citações de Ellen White sobre a Vida em Outros Planetas Não Caídos em Pecado
Ter Jul 26, 2016 9:29 pm por Eduardo

» Viagem ao Sobrenatural - Roger Morneau
Dom Jul 24, 2016 6:52 pm por Eduardo

» As aparições de Jesus após sua morte não poderiam ter sido alucinações?
Sab Jul 23, 2016 4:04 pm por Eduardo

SEU IP
IP

Guerras e rumores de guerras

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

29092010

Mensagem 

Guerras e rumores de guerras







Guerras e rumores de guerras

Publicado em setembro 29, 2010 por Seventh Day




Aconteceu numa quarta-feira, 1º de setembro de 2004. O grande relógio no prédio central da escola primária anunciava que eram nove e quarenta da manhã. Era um típico dia de verão. Na escola, os alunos, professores e pais se preparavam para iniciar um programa chamado “Dia do Conhecimento”. De repente. tiros foram disparados, seguidos de xingamentos, ameaças e golpes. Segundos depois, 32 homens e mulheres, armados até os dentes com os rostos cobertos por capuzes pretos, assumiram o controle da escola. Logo eles fizeram mais de 1.100 reféns, a maioria deles crianças.

Este incidente infame ocorreu na cidade de Beslan, sul da Federação Russa. Os invasores marcharam seus cativos para o ginásio da escola, onde haviam colocado uma enorme quantidade de explosivos para se protegerem em caso de um ataque das forças governamentais. As forças de segurança especiais do exército nacional rapidamente cercaram a escola preparadas para o ataque no primeiro passo descuidado dos terroristas. O impasse terminou três dias depois, com a morte de pelo menos 334 pessoas, incluindo 186 crianças. Outras centenas ficaram feridas.
Terrorismo e Violência



Jesus disse há muito tempo atrás”…certamente, ouvireis falar de guerras e rumores de guerra…” (Mateus 24:6). Este foi um dos sinais que Ele deu que anunciavam que Seu retorno ao planeta Terra estava se aproximando. Este terrível incidente em Beslan foi apenas uma gota de uma torrente crescente de violência. As pessoas brigam e matam sem razão todos os dias.

Nós crescemos acostumados a viver em um clima de hostilidade constante. As guerras no Iraque e no Afeganistão custaram milhares de vidas, tanto de militares como de cívis inocentes, a maioria dos quais não tinha nada a ver com as questões políticas envolvidas. No início, todos avidamente seguiam os acontecimentos destes conflitos. Agora, apesar das mortes de dezenas a cada dia, as pessoas perderam o interesse. Isso se tornou tão rotineiro que ninguém mais presta atenção.

Alguém uma vez me perguntou: “Não há guerras desde que os seres humanos apareceram na Terra? Não foi Caim quem matou seu irmão Abel? Como pode “guerras e rumores de guerras” serem um sinal da Segunda Vinda?”

É verdade, claro, que a violência têm existido desde tempos remotos. Desde a entrada do pecado no mundo, a maioria das pessoas têm vivido em um clima de guerra, que é o resultado de nossa alienação humana de Deus. No entanto, nunca na história houve tanta tensão e violência como existe hoje.

O século 20 foi abalado por dois conflitos mundiais e vários outros mais localizados. Até aquele momento o mundo nunca tinha visto tanta devastação. A I Guerra Mundial teria matado entre nove e 16 milhões de pessoas, e, a Segunda Guerra Mundial teria matado cerca de 73 milhões!
Conflitos Internos



Enquanto as guerras entre os países ricos dominaram a primeira metade do século passado, a maioria dos conflitos hoje têm lugar entre os países mais pobres do mundo. As nações que não podem sequer alimentar-se, desperdiçam os seus recursos mais preciosos, na luta dos cidadãos contra cidadãos.

Estudos feitos por especialistas mostram uma clara relação entre os conflitos armados e a fome no mundo. Um problema leva a outro. Recessões financeiras jogam milhões de pessoas na miséria, e a fome segue os desastres naturais e as guerras.

Em nossos dias, muitos países sofrem com conflitos internos liderados pelos chamados guerrilheiros. Os conflitos internos ocorrem geralmente em áreas rurais, onde os agricultores de subsistência arcam com as desastrosas conseqüências e são os menos responsáveis pelo que está acontecendo.

As várias facções forçam os jovens a aderirem à luta, retirando-os do setor produtivo da sociedade. O consequente aumento da fome continua muito tempo após a violência ter passado. O que pode ser feito em uma terra em que as mercadorias foram destruídas, pessoas foram mortas e feridas, a população fugiu para escapar do perigo e os danos ao meio ambiente tornaram-se irreparáveis?

Pior ainda são as minas terrestres espalhadas por toda a terra, que matam e mutilam as pessoas, desestimulando a agricultura por décadas após o conflito ter cessado.
Esperança de Paz



Após a Segunda Guerra Mundial, os gastos com armas cairam drasticamente e as pessoas falavam de paz e harmonia. Mas tudo acabou por ser temporário! A profecia havia predito que “enquanto as pessoas estão dizendo: ‘Paz e segurança”, a destruição virá sobre elas de repente” (1 Tessalonicenses 5:3). Nos últimos 20 a 30 anos, a venda de armas ao redor do mundo têm crescido fora de controle, no valor de mais de US $ 1,5 bilhão. Isso é 15 a 20 vezes mais do que o total gasto em ajuda humanitária e outros tipos de ajuda. Pior ainda, a despesa era maior nos países mais pobres do mundo.

E embora você possa viver em uma cidade em que a atividade da guerrilha não exista, você pode estar sujeito a outro tipo de violência. Você não hesita em entrar em lugares escuros, quando chega a noite, mesmo em torno de seu próprio bairro? Existem áreas em sua cidade nas quais você não iria querer se aventurar até mesmo durante o dia? A violência urbana, a outra guerra sem fim, é uma parte constante da experiência de pessoas que vivem nas grandes cidades do mundo.

No Brasil, 240.000 pessoas morreram nas ruas violentas durante um recente período de cinco anos. O crime organizado conseguiu paralisar uma megalópole inteira, matando 20 policiais por dia. O seqüestro de caminhões nas estradas, os traficantes controlando os bairros mais pobres e o tráfico de armas e contrabando são galopantes. Tudo isso gera pânico entre os cidadãos. No entanto, o país “não está em guerra.”

Vemos as palavras de Jesus serem cumpridas em uma base diária. Guerras e rumores de guerras, conflitos fratricidas e destruição sem sentido têm lugar em todos os lugares. Homens e mulheres estão tentando entender o que está acontecendo, mas eles não conseguem compreender.

No meio do turbilhão de lutas e aflições, ouça a suave voz de Jesus dizendo: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize” (João 14:27). Durante este período de conflito e de guerra em que vivemos, não poderia haver melhor convite do que este.

Texto de Alejandro Bullón, adaptado pela Revista Signs of The times Australiana. Crédito da tradução Blog Sétimo Dia http://setimodia.wordpress.com/
avatar
Eduardo

Mensagens : 5997
Idade : 47
Inscrição : 08/05/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

- Tópicos similares
Compartilhar este artigo em: BookmarksDiggRedditDel.icio.usGoogleLiveSlashdotNetscapeTechnoratiStumbleUponNewsvineFurlYahoo!Smarking

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum