Últimos assuntos
» Decreto dominical a caminho
Dom Fev 19, 2017 7:48 pm por Augusto

» Acordem adventistas...
Ter Fev 07, 2017 8:37 pm por Augusto

» O que Vestir Para Ir à Igreja?
Qui Dez 01, 2016 7:46 pm por Augusto

» Ir para o céu?
Qui Nov 17, 2016 7:40 pm por Augusto

» Chat do Forum
Sab Ago 27, 2016 10:51 pm por Edgardst

» TV Novo Tempo...
Qua Ago 24, 2016 8:40 pm por Augusto

» Lutas de MMA são usadas como estratégia por Igreja Evangélica para atrair mais fiéis
Dom Ago 21, 2016 10:12 am por Augusto

» Lew Wallace, autor do célebre livro «Ben-Hur», converteu-se quando o escrevia
Seg Ago 15, 2016 7:00 pm por Eduardo

» Ex-pastor evangélico é batizado no Pará
Qua Jul 27, 2016 10:00 am por Eduardo

» Citações de Ellen White sobre a Vida em Outros Planetas Não Caídos em Pecado
Ter Jul 26, 2016 9:29 pm por Eduardo

» Viagem ao Sobrenatural - Roger Morneau
Dom Jul 24, 2016 6:52 pm por Eduardo

» As aparições de Jesus após sua morte não poderiam ter sido alucinações?
Sab Jul 23, 2016 4:04 pm por Eduardo

SEU IP
IP

Natureza da Trindade, Papéis da Trindade e Natureza Humana de Cristo. Uma breve exposição.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Natureza da Trindade, Papéis da Trindade e Natureza Humana de Cristo. Uma breve exposição.

Mensagem por exegético em Qui Jan 21, 2010 5:21 pm

Muitos antitrinitarianos fazem uma tremenda confusão com a revelação Bíblica da Natureza dos membros da Trindade, dos Papéis dos membros da Trindade ou da Natureza humana de Cristo.Eles fazem interpretação isolada de passagéns como a da frase de Cristo "o Pai é maior do que Eu" aplicando essas passagéns na Natureza ou essência Divina de Cristo, Dando a entender que Jesús é inferior ao Pai em natureza.No entanto essa interpretação vai contra muitas passagéns da Bíblia que esclarecem que Cristo tem os mesmos atributos do Pai,inclusive o de não ter inicio nem fim(Isaias9:6,Miq. 5:2)
Na verdade Cristo é subordinado ao Pai em "Papéis" Divino e em "Natureza humana" mas não é Natureza ou essência Divina.É isso que estarei abordando nesse tópico.
A Natureza Divina dos membros da Trindade:
não pretendo esgotar material sobre a verdade Bíblica de que O ´Paí ,o Filho e O Espírito tem iguais atributos e natureza Divina.Vou apenas considerar alguns textos que ja são suficientes para fechar essa questão.Um Deles é S.Mateus 28:19,e ainda que não houvesse nenhum outro verso Bíblico que esclarecesse que Jesus e o Espirito Santo são exatamente iguais ao Pai em natureza Divina;S.Mat 28:19 já seria suficientemente claro para revelar que a Trindade é tão verdadeira quanto Deus,veja o final da passagém:
"batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;"
Gr."baptizontes autous eis to onoma tou patros kai tou uiou kai tou agiou pneumatos"
A construção linguística de S.Mat 28:19,de acordo com a lingua original Grega revela com precisão que o Pai,o Filho e o Espírito Santo co-partilham de uma Unidade absoluta com base numa igualdade absoluta.
A expressão "to onoma" (em Nome) somente aparece uma vez( não é:em Nome do Pai,Em Nome do Filho e em Nome do Espiríto...) e a conjunção "kai"( e) seguida pela preposição "tou"(do) aparece entre o Pai e o Filho e entre o Filho e o Espírito( Não é em Nome do Pai,do Filho e do Espírito... é: em nome do Pai e do Filho e do Espírito...), "kai tou"( e do ) está entre o Pai e o Filho e entre o Filho e o Espírito, formando uma construção de linguagém de acordo com o Grego com próposito de revelar a Unidade com base na Igualdade dos três.
Somente quem não entende nada de Grego é capaz de dizer que esse texto não prova que o Espírito Santo é uma Pessoa, alegando que usamos o termo "em nome da lei" e a lei não é uma pessoa, e, somente quem não conhece Grego também poderia dizer que o Espírito Santo não é uma Pessoa distinta do Pai e de Cristo,defendendo que Ele é ora o Pai e ora o Filho.O que essa passagém de S.Mat28:19 realmente revela é que aquilo que Pai é,o Filho também é , e, o Espírito Santo da mesma forma também é.Portanto se o Pai é todo poderoso,onipresente,onisciente,não tem início e nem fim e é um Deus pessoal;Jesus também tem esses mesmos atributos e o Espírito Santo também.E o termo "NOME" aparece somente uma vez para mostrar que apesar de serem 3 pessoas Divinas, são UM DEUS.Literalmente pela forma como nossa cabeça concebe,diríamos ser 3 Deuses,más a Bíblia não permite que usemos a expressão 3 deuses,apesar de cada Um ser Deus individualmente,a Biblia sempre coloca a terminologia Um só Deus ao se referir aos 3 juntos.Apesar da Unidade composta de Deus já está claramente revelada em S.Mat 28:19;podemos ver muitas outras passagéns Bíblicas que confirmam isto.Por exemplo: o termo "então disse Deus"( vayyo'mer 'elohiym ) em Gen 1:26, O verbo "dizer" está no singular e Deus no plural, literalmente seria:"disse Deuses" não é "disseram Deuses". O verbo está no singular para revelar que é "Um" Deus e o substantivo no plural revela que existe mais de uma pessoa Divina nessa Unidade.Também o shemá(Dt. 6:7). usa Echadd para dizer que ha "um único" Deus e Echadd é o mesmo termo para quando a Bíblia fala que no casamento os dois,homem e mulher se tornam "uma única" carne.Echadd é "um composto" SE Deus fosse "um absoluto" a palavra seria "yachid" ou lebadd e não Echadd,como se encontra no Shemá.Portanto a Biblia revela Deus numa "Unidade composta".Que Cristo é igual ao Pai em essência não ha dúvidas veja por exemplo quando Ele disse:" antes que abraão existisse"(Jo 8,58). Eu Sou(anyh hayah).Nenhum judeu diz anyh hayah porque esse verbo no hebraico significa literalmente "eu não tenho início e nem fim",é por isso que na lingua hebraica um ser Criado jamais diz eu sou..somente Deus conjuga o verbo SER em hebraico.Se eu quero dizer em hebarico "eu sou exegético" digo apenas "eu exegético"(anyh exegético e não anyh hayah exegético),por isso um pouco depois os fariseus quiseram apedrejar a Cristo e disseram:"como tu sendo homem te fazes Deus!"(S.Jo10:33) Jesus é tão Divino quanto o Pai e também o Espírito Santo é tão Divino e Pessoal quanto os dois.veja em S.Jo 14:16,ao se referir ao Espirito Jesus o identifica como outro(allós) consolador(paracletus);E "allos"significa "outro da mesma espécie ou natureza" se fosse outro diferente seria"éteros",isto significa que em essência o Espírito é igual a Jesus é em relãção ao Pai,(onisciente,onipotente,onipresente,sem inicio ou fim e Pessoal),e assim como o Pai tem existência própria ,o Filho tem e o Espírito tem também.Em S.João 14:26 aparece o pronome pessoal Ele(ekeinos) para se referir ao Espírito e "ekeinos"é pronome pessoal masculino Grego se O Espírito Santo fosse impessoal, o pronome para referí-lo seria "ekeino" que é o pronome impessoal Grego.A biblia inglesa(king James) traduziu corretamente o texto do grego colocando o correspondente HE(pronome pessoal masculino inglês) ao invés de It(pronome impessoal neutro em inglês) São varias passagéns que identificam o Espirito Santo como Um Ser Pessoal através do pronome pessoal "ekeinos"(S.Jo15:26, 16:7, 8, 13 ,14,...). Que o Espírito Santo existe com personalidade própria e distinta do Pai e do Filho está claro em muitas passagéns da Biblia,além dessas de S.Mat 28:19 e de S.João que ja mencionei aqui e esclarece esse fato.Podemos mencionar também Atos 19:2 Onde os Cristãos de éfeso disseram "nós não ouvimos falar que haja o Espírito Santo" o verbo Grego "estin"(existir) confirma que esses cristãos não sabia que o Espiríto Santo existia como uma Pessoa e com Individualide própria. Com certeza esses Cristão sabiam da existência de Deus e até sabiam que Deus é Espírito(onisciente,onipresente) e sabiam também da existência de Jesus,más não sabiam da existência do Espírito Santo.Isto implica que o Espírito Santo é uma Pessoa Divina com individualidade própria.
Os Papéis dos membros da Trindade:
É muito óbvio na Bíblia que apesar de o Pai, o Filho e o Espírito Santo terem exata Igualdade em Natureza ou Essência Divina,o mesmo não o é em relação aos "papéis ou funções" de cada um dEles.existe muitos eventos Bíblicos que contaram com a atuação direta dos 3 membros da Dinvindades:a criação(Gen1:1-2 e Jo1:1),a encarnação de Cristo(Lc1:35), a ressurreição de Cristo,pois um texto diz o Pai o ressucitou(Gl1:1),outro diz o Espírito( Rm8:11) e e outro diz Ele auto-ressucitou(Jo2:19).Más há fatos que somente Um dEles efetuou,por exemplos:Foi o Filho que morreu na cruz,foi o Pai quem bradou: este é meu filho amado e foi o Espírito quem trouxe o poder e muitos dons para a Igreja.Na verdade o acurado estudo da Bíblia vai nos revelar que existem papéis e atividades específicas de cada membro da Trindade.
Ao logo do estudo da Bíblia vamos encontrar que Pai é o soberano no governo do universo,Ele Reina e Julga, más concedeu ao Filho partilhar com Ele do Trono soberano,reinando e julgando no reino de Deus no Universo.Inclusive o Filho co partilhará o reino com os salvos no Milênio;e, Julgando o mundo, pelo menos nos assuntos que tem haver com a história do Plano da Redenção. Já o Espírito Santo na Biblia não aparece reinando e julgando,na verdade Ele nem aparece no Trono; Más Ele não é menos Deus por isso.Em Gen1:2 Ele aparece pairando sobre o abismo, e essa expressão pairar(Merahepet) é o mesmo verbo para se referir a uma ave que protege seus filhotes sob suas asas, então isso revela que o Espírito está intimamente envonvido na atividade de velar, cuidar e da manutenção ao Universo;e para fazer isso é preciso ser Deus também.Da para entender os papéis e atividades da Divindade com a seguinte analogia:Imagine 3 homens formados em Pedagogia,então eles abrem uma escola, e nessa escola um deles é Diretor, outro vice Diretor e o outro co-ordenador.Percebe-se que por papéis e encargos são atividades diferentes e um está subordinado ao outro;más;por "formação" os 3 são iguais,nenhum é menos pedagogo que o outro.Assim é a Trindade,Iguais em atributos Divinos,essência e Natureza.Porém diferentes e subordinados em Papéis e atividades específicas.
A natureza Humana de Cristo:
No caso de Cristo Ele é igual ao Pai em Natureza Divina(S.Mat28:19),Porém subordinado ao Pai em Papéis Divinos, pois Ele é o Filho Eterno do Pai(S.Jo3:16,Deus o enviou),más,o Pai concedeu SEus Papéis ao Filho,partilhando com Ele do trono e soberania do Universo(S.Jo 17:5).Más apartir do Novo Testamente o eterno Filho de Deus tornou Filho de Deus de outro modo também. Ele que era Filho não criado(S.Jo3:16) com a idade do Pai(sem inicio nem fim:IS 9:6, Mq5:2) e agora foi concebido como ser humano sem pecado enviado pelo Pai e tecido pelo Espirito Santo no útero de maria(Lc1:35).Daí para cá Jesus além de ser Deus é Homem também(1Tm 2:5) ,esse é um mistério além da compreensão humana,pois no pensamento Bíblico não existe "meio Deus""mais ou menos Deus",é no paganismo que existe deus maior e deus menor em essência.Na mentalidade hebraica ou se é Deus ou não é.Não existe meio termo.Portanto Jesus é 100%Deus(todo poderoso,sem inicio nem fim,onisciente,onipresente....)e é 100% Homem,Criado dependente do pai para viver eternamente,Também Biblia revela que Jesus nessa terra ocultou sua Divindade e viveu como Homem(Fl2:5),inclusive quando Ele disse em S.Jo 14:28 "o Pai é maior do que Eu"o contexto é do ponto de vista Humano de Jesus pois aqui nessa terra passaria pela humilhação,e alí Ele ja estava se preparando para a maior de todas humilhações morrendo na Cruz.Jesus é tão humano enquanto homem que até a vida eterna Dele enquanto homem é derivada do Pai(S.Jo5:26)más enquanto Deus Jesus não teve inicio nem terá fim(Is9:6,Mq5:2,S.Mat28:19,S.Jo 8:58,etc) essa verdade os antitrinitarianos não aceitam eles dizem "

Conclue se que quando o contexto é a Natureza Humana de Cristo,ele é tão dependente do Pai como qualquer outro Ser criado,quando o contexto é de Papéis,encargos ou atividades,Ele também é subordinado ao Pai ,enviado do Pai é o Filho que honra ao Pai,más o Pai concedeu ao Filho a partilha do Trono do Universo,Também o Espírito Santo é em Papéis e atividades subordinado ao Pai e ao Filho. E finalmente em Natureza e essência Divina,o Filho é Deus exatamente como o Pai é Deus,por isso Ele é a exáta e absoluta revelação do Pai.E o Espírito Santo é Deus porque é também a exáta representação do Pai e do Filho eternos.Por causa dessa igualdade de Natureza e essência é que são 3 Pessoas Divinas más UM só Deus,ou seja,Deus é Trino,Triúno.É uma Trindade.

exegético

Mensagens : 15
Idade : 39
Inscrição : 12/01/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Natureza da Trindade, Papéis da Trindade e Natureza Humana de Cristo. Uma breve exposição.

Mensagem por Fco Oliveira em Ter Fev 02, 2010 12:43 pm

Shalon a todos, o caro irmão poderia refutar estas verdades escritas aqui neste site?

http://torahlagoym.forumais.com/midrashim-estudos-f3/trindade-e-unicistas-idolatras-t14.htm

Eles entendem bem o hebraico, o latim, o grego e muitas outras linguas; vamos lá, prove para ele que a ss. trindade da ICAR existe? Eu estou lá esperando a vossa bravura!

Isto sem contar que o livro de Mateus não foi escrito no grego, ele foi escrito no hebraico, veja:
28.18 וישוע קרב אליהם ואמר להם:

28.19-20 לכו אתם ולמדו אותם לקיים כל הדברים אשר ציויתי אתכם עד עולם:

28.20.A ויפרד מאתם וינשא השמימה:

Traduza estes versículos e nos mostra a ss. trindade neles! D-us seja louvado.

Fco Oliveira

Mensagens : 211
Idade : 54
Inscrição : 15/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Natureza da Trindade, Papéis da Trindade e Natureza Humana de Cristo. Uma breve exposição.

Mensagem por exegético em Ter Fev 02, 2010 2:10 pm

Caro Irmão oliveira, eu conheço esse irmão dono do forum que voceu me sugeriu. Quer dizer, o conheço em uma sala de debates em audioconferencias do Paltalk...Já ouviu falar do Paltalk?(www.paltalk.com) la vc baixa em seu pc o programa Paltalk scene, e tem muitas salas de debates religiosos e vc usa microfone e digita se quiser(audio e texto) e todos na sala ouve.OK, não sabia que o mashmid tinha um Forum, mas o conheço do paltalk e venho travando debates com ele em torno do Tema da Trindade la.
O Mashmid conhece bem a lingua hebraica, mas não a teologia Bíblica ,aí está a insustentabilidade de suas argumentaçoes,pois na linguagém comum Elohim é apenas uma referencias a reis ,juizes e potestades, mas em referencia a Deus esse termo toma um novo sentido na Linguagém Bíblica,e o Pai ,o Filho e o Espirito é Elohim de um modo que nem um ser criado pode ser( Divinos). Em Grego também Teós(Deus) tem varios sentidos e é usado para homens:(vós sois Deuses),mas em referencia ao Pai ,Filho e Espírito Teos tem um significado que não se permite aplicar a homens.
Por isso os Judeus disseram::"como tu sendo homem te fazes Deus!"(S.Jo10:33)
E a tese de o livro original de S, Mateus ter sido escrito em hebraico é insustentável, as evidências historicas é de que possivelmente aconteceu o contrario:o texto Grego foi Traduzido para aramaico(não Hebraico), e a Biblia Grega de Nestle contem a informação dos manuscritos dessa passagem de S.Mateus 28:19, esse verso consta em todos manuscritos existentes do capítulo inclusive no Códice SINAITICO, que é o de maior peso.Não ha dúvida da originalidade e autenticidade de S.Mat 28:19, ok...

exegético

Mensagens : 15
Idade : 39
Inscrição : 12/01/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Natureza da Trindade, Papéis da Trindade e Natureza Humana de Cristo. Uma breve exposição.

Mensagem por Andreas em Qui Fev 04, 2010 12:08 pm

Meu Avô tambem falava fluentimente o hebraico e até onde eu saiba ele morreu ateu!

Andreas

Mensagens : 30
Idade : 42
Localização : Recife-PE
Inscrição : 03/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Natureza da Trindade, Papéis da Trindade e Natureza Humana de Cristo. Uma breve exposição.

Mensagem por Fco Oliveira em Sab Fev 06, 2010 12:45 am

É exatamente por causa das mentiras que os evangelicos pregam inclusivel a tal da ss. trindade; quem ler ou sabe um pouco do hebraico, hoje, morre ateu! Por quê? Se até os nomes próprios da bíblia estão trocados e não trasliterados como manda a regra linguística, o que dirá do resto deste livro que se diz tão sagrado para os evangelicos?

Simplesmente é um livro sem valor nenhum, para todos os que entendem o hebraico. Eu visitei um Yaohudim, quando lhe falei do nosso "Jesus" ele sorriu e acrescentou: vc é um homem sábio, mais está fazendo o papel de ator...

Muito tempo se passou a eu fui procurar saber o que ele quis dizer com aquela frase, investigando outro Yaohudim, sabe o que foi que ele disse?

Que todos os evangelicos são idiotas, adorando os demônios em Nome do Eterno Elohim... Eu quis morrer quando soube disse, mais fazer o que?

Se a profecia promulgado pelo o Príncipe e Salvador Yehôshua HaMashiach disse: que muitos crentes, tendo ouvido para ouvir, ouviríam, mais não entederiam e vendo veríam, mais não compreenderiam!

Isto está se cumprindo aqui entre nós, muito de vós vendo a verdade do Nome sagrado do Filho de Elohim, não vêem, estão como que cegos para a verdade. Elohim seja louvado.

Fco Oliveira

Mensagens : 211
Idade : 54
Inscrição : 15/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Natureza da Trindade, Papéis da Trindade e Natureza Humana de Cristo. Uma breve exposição.

Mensagem por Andreas em Sab Fev 06, 2010 4:12 pm

quem ler ou sabe pouco do hebraico, hoje, morre ateu!

Meu Avô não "sabia pouco ou lia pouco" o Hebraico. Ele era Professor de Linguas Orientais na USP. Mas era ateu! Concluir que se conhece a Verdade por que fala ou escreve o idioma hebraico não garante nada!

Andreas

Mensagens : 30
Idade : 42
Localização : Recife-PE
Inscrição : 03/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Natureza da Trindade, Papéis da Trindade e Natureza Humana de Cristo. Uma breve exposição.

Mensagem por Mashmid em Qua Fev 17, 2010 10:46 pm

Boa noite a todos!


Bem, eu estava fazendo uma pesquisa na Net utilizando nela meu Nick “Mashmid”, e me deparei por acaso com este fórum.

Duas pessoas que conheço estão aqui neste fórum, o Fco e o Exegético.

O mundo é pequeno, mesmo o da Net.

Mas, eu gostaria de esclarecer algumas coisas que li, escritas por parte de Fco
e do Exegético.

Bem, nunca estudei Latim, pois, nunca achei importante para a questão dos textos bíblicos, já que não foram escritos em Latim.

O tópico do meu fórum que fala melhor sobre a trindade é outro, cujo título é “O início da idolatria - Trindade e Triunidade” - http://torahlagoym.forumais.com/midrashim-estudos-f3/o-inicio-da-idolatria-trindade-e-triunidade-t25.htm

Inclusive esse texto já foi replicado por um Pastor Trinitariano, que freqüentava o Paltalk, cujo Nick é “Pastor Querk”. E no mesmo tópico há também a minha Tréplica, que vale a pena conferir.


O Mashmid conhece bem a lingua hebraica, mas não a teologia Bíblica ,aí está a insustentabilidade de suas argumentaçoes,pois na linguagém comum Elohim é apenas uma referencias a reis ,juizes e potestades, mas em referencia a Deus esse termo toma um novo sentido na Linguagém Bíblica,e o Pai ,o Filho e o Espirito é Elohim de um modo que nem um ser criado pode ser( Divinos).


Mas, vamos aos comentários.


Bem, quanto à teologia, não aceitá-la, não significa não conhecê-la.
O termo “teologia” é um tanto genérico, pois, já que não há apenas um tipo de teologia.

Como existe hoje a teologia: judaica, cristã, islâmica, espírita, hindu, etc... e todas são teologia.

Na verdade, falar sobre “teologia” é o mesmo que dizer sobre “gênero”, que se divide em “classes”.


Quanto à palavra “Elohim”, foi dito aqui:
“ mas em referencia a Deus esse termo toma um novo sentido na Linguagém Bíblica,e o Pai ,o Filho e o Espirito é Elohim “.

Bem, de onde surge a afirmação de que há essa distinção no termo “elohim” quando usado para D-us e quando usado para outros seres?

Pode-se afirmar isso pelo idioma hebraico, ou, isso é apenas suposição?

E se há alguma evidência dessa distinção, o que é que prova essa afirmação?

Onde podemos nos basear para afirmar que quando o termo é utilizado para D-us ela tem outra conotação?


Percebe-se pelo que foi dito, n a frase utilizada pelo exegético “na linguagem comum” , refere-se à utilização do termo “elohim” no mundo físico, ou seja, humanos com autoridade, como os “reis, juízes e potestades”.

Segundo o que foi dito, no mundo “sobrenatural/espiritual” a palavra “elohim” teria a conotação de “dinvidade”.


O mesmo termo “elohim” também é utilizado para ídolos dos povos, ou seja, divindades de outras nações.

Bem, mas tem um problema aí , pois, os anjos também são “elohim”.


Se o termo elohim , quando não utilizado “na linguagem comum”, refere-se a “D-us”, então, os anjos são literalmente deuses.

Vejamos no Salmo 8:5 o termo elohim:


(Salmos 8:5) - Pois pouco menor o fizeste do que os anjos (elohim), e de glória e de honra o coroaste.

Esse texto no hebraico, não utiliza o termo “malachim(anjos)”, mas, utiliza o termo “elohim”.


Esse mesmo texto é referenciado pelo autor da epístola de Aos Hebreus:


(Hebreus 2:7) - Tu o fizeste um pouco menor do que os anjos, De glória e de honra o coroaste, E o constituíste sobre as obras de tuas mãos;

O escritor de Hebreus, era conhecedor do idioma hebraico, e nesse texto dos Salmos, ele entendeu que o termo “elohim” não se refere a “D-us”, mas sim aos anjos.


Na cultura hebréia, os anjos são elohim. São deuses?


Em Grego também Teós(Deus) tem varios sentidos e é usado para homens:(vós sois Deuses,mas em referencia ao Pai ,Filho e Espírito Teos tem um significado que não se permite aplicar a homens. Por isso os Judeus disseram::"como tu sendo homem te fazes Deus!"(S.Jo10:33)


Na citação acima, foi afirmado que o termo “theós” também é usado aos homens, e o texto usado para tal justificativa foi um trecho de João 10:34:


(João 10:34) - Respondeu-lhes Jesus: Não está escrito na vossa lei: Eu disse: Sois deuses?


Essa frase usada por Jesus (está escrito na vossa lei), refere-se ao Salmo 82:6:


(Salmos 82:6) - Eu disse: Vós sois deuses (elohim), e todos vós filhos do Altíssimo.


Tente entender que, quando Jesus citou esse texto, ele estava se referindo ao
texto hebraico do Salmo, ou seja, ao termo “elohim” e não ao termo “theós”.


Pois, quando ele citou essa frase, com certeza não a citou no grego aos fariseus, e nem estava fazendo referência a qualquer tradução grega, mas, às escrituras dos judeus (o salmo), que não é escrito em grego.


Então, é preciso entender, que esse trecho de João 10:34, que é uma tradução do Salmo 82:6, cuja fonte não foi originalmente escrito em grego, então, a verdade é que mesmo que o termo “elohim” tenha sido traduzido para o grego como "theós", deve-se entender esse texto com o seu sentido original, que é o hebraico.


Mas, por que não se pode entender segundo a filosofia grega? Porque o diálogo entre Jesus e os fariseus não foi em grego, e temos que entender o texto da maneira que eles também entenderam, não nos baseando na filosofia grega do termo “theós”.

Então o texto de João 10:33 “tu sendo homem, te fazes deus a ti mesmo”, não deve ser entendido como se o diálogo fosse em grego, já que originalmente eles falavam aramaico e hebraico.

Ou será que alguém aqui acredita que o diálogo entre eles foi em grego?



E a tese de o livro original de S, Mateus ter sido escrito em hebraico é insustentável, as evidências historicas é de que possivelmente aconteceu o contrario

Bem, não somos nós que dizemos que o texto de Mateus foi escrito em hebraico, isso faz parte da própria história da igreja e é afirmado em seminários teológicos.

Só não sei quanto ao seminário Adventista.

Dizer que é “insustentável” dizer isso, e que não há evidência histórica, é porque falta conhecimento de história da igreja.
Mas, não fiquemos em nossas palavras.


Vejam abaixo quem foram os que disseram que Mateus escreveu seu evangelho em hebraico:

• Papias

Este pai apostólico, que foi discípulo do apóstolo João ou do presbítero João, identificou este evangelho como de Mateus, apóstolo do Senhor:
"Mateus compôs sua história [a respeito de Jesus] em dialeto hebraico e cada um traduzia segundo a sua capacidade" (Papias - História Eclesiástica de Eusébio)


• Irineu

O bispo de Lyon, na França, declarou o seguinte a respeito deste evangelho e seu autor:
"Mateus, de fato, produziu seu evangelho escrito entre os hebreus no dialeto deles..." (Irineu - História Eclesiástica de Eusébio)


• Orígenes

Declara a autoria deste Evangelho a Mateus, conferindo-lhe natureza autoritária:
"Segundo aprendi com a tradição a respeito dos quatro evangelhos, que são os únicos inquestionáveis em toda Igreja de Deus em todo o mundo. O primeiro é escrito de acordo com Mateus, o mesmo que fora publicano, mas depois apóstolo de Jesus Cristo, o qual, tendo-o publicado para os convertidos judeus o escreveu em hebraico" (Orígenes - História Eclesiástica de Eusébio)


• Eusébio de Cesaréia

O bispo de Cesaréia, que herdou a formação teológica de Orígenes, aceita o testemunho antigo e aprova a autoria de Mateus neste evangelho:
"...de todos os discípulos, Mateus e João são os únicos que nos deixaram comentários escritos e, mesmo eles, foram forçados a isso. Mateus tendo primeiro proclamado o evangelho em hebraico, quando estava para ir também às outras nações, colocou-o por escrito em sua língua natal e assim, por meio de seus escritos, supriu a necessidade de sua presença entre eles." (Eusébio - História Eclesiástica)

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Evangelho_segundo_Mateus#Manuscritos_Antigos


Bem, ainda que não houvesse o testemunhos desses afirmando que Mateus foi escrito originalmente em hebraico, ainda assim, eu não teria dúvidas quanto a isso.


Pela própria lógica, poderíamos pensar, se nós como brasileiros falantes do idioma português, fossemos testemunhas de acontecimentos importantíssimos em nossa história, deixaríamos tudo escrito em inglês e não escreveríamos nada em português?

Isso é só para fazer-vos pensar um pouco.


Mas, vejamos o seguinte texto:

Matt 1:21 ela dará à luz um filho, a quem chamarás JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.

O que tem a ver o nome “Jesus” com “salvará seu povo” ? Há alguma ligação do nome Jesus /Iessus com o verbo “çodzo(salvar)” no grego ?

Não tem. Mas, e em hebraico ou aramaico, tem?


Em hebraico, uma das palavras para “salvação” é “yeshu’ah”, e o verbo “salvar” no infinitivo é “Lehoshi’a”.

A diferença do nome Yeshu’a para a palavra Yeshuah, é apenas uma letra, que á a letra “He”.


O verbo “Lehoshi’a” conjugado na terceira pessoa do singular no tempo futuro é “yoshi’a”.

Então, para entenderem: “a quem chamarás Yeshu’a; porque ele Yoshi’a o seu povo”.


No grego isso acontece? O nome Iessus tem alguma ligação com o verbo salvar no grego?

Só tem sentido esse texto no idioma hebraico ou aramaico, pois, no grego, não há nenhuma ligação.


Além do testemunho de pessoas que andaram com os apóstolos, há evidências de que Mateus foi escrito em hebraico se observarmos os detalhes.

Portanto, quem diz que Mateus foi escrito em hebraico, não está se apoiando no nada, ou seja, é impossível dizer que não há evidência ou base histórica.



o texto Grego foi Traduzido para aramaico(não Hebraico)


Exegético, entenda que o aramaico não é um idioma uniforme. Se vc estudar sobre o idioma aramaico, vc terá que distinguir sobre qual dialeto aramaico vc vai estudar, pois, são vários.


Isso também aconteceu com o hebraico, pois, o hebraico utilizado na Mishnah é tão diferente que, para distinguir, nós usamos o termo “hebraico mishináico”, que é uma mistura de aramaico com hebraico .


Mesmo assim é chamado de hebraico, só que para diferenciar, hebraico mishináico.

Pelo que vc afirmou, nessa parte, lhe falta conhecimento desses idiomas.

Além de que, Mateus era judeu, e também tinha uma vida finaceiramente melhor do que os outros, e poderia ter aprendido hebraico puro. E pensando por bem, ter decidido escrever o evangelho no hebraico puro, sem influência aramaica.


Bem, então é isso....

Shalom a todos!


Última edição por Mashmid em Qui Fev 18, 2010 1:12 am, editado 1 vez(es)

Mashmid

Mensagens : 5
Idade : 42
Inscrição : 17/02/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Natureza da Trindade, Papéis da Trindade e Natureza Humana de Cristo. Uma breve exposição.

Mensagem por Fco Oliveira em Qui Fev 18, 2010 12:08 am

Nobres irmãos shalom alehen, fico imensamente contente por ter uma pessoa como vc aqui junto de nós, que o Eterno o ilumine mais sobre este e muitos outros assunto que os evangelicos estão vivendo como que, empurrando com a barriga, sem nenhum conhecimento de causa.

Como a tal ss. trindade que todos os evangelicos estão adorando como se fosse uma divindade e no entanto é uma armação de Ha-shatan, vejam estes depoimentos:

O TÍTULO "DEUS" É O PANTEÃO DOS DEUSES ROMANOS!

DEUS estes ser que o mundo hoje o conhece como criador dos Céus e da terra, nunca foi o Nome do Eterno YAOHUH UL o D´us dos hebreus. Por quê? Primeiro porque este Deus é uma artimanha de Ha-shatan (diabo) para roubar a glória do verdadeiro Hashen dos hebreus, vejam de onde surgiu este título:

Deus veio de muitos títulos de Deuses pagãos de várias épocas do mundo depois de Noé.
Deus é o líder do panteão proto-indo-europeu, era conhecido principalmente como: Dyeus, seus nome sofreu várias mudanças até chegar onde chegou; vamos seguir alguns exemplos:

Em sânscrito era conhecido como Dyaus, nos balcãs como Dievas, nas regiões de Gaul de Diaspater, no grego de Zeus e Theos, na Alemanha de Tiwaz, no inglês de God e no latim inicialmente de Jove Pater (Júpter), depois de Dyeus Pater e posteriormente de Deus.

Todos estes títulos, Ha-shatan usou para quebrar o mais importante de todos os mandamentos exigido pelo o Eterno Yaohuh que era não colocar outro D´us diante Dele; Ha-shatan fez tudo isto para roubar a glória que a noiva do Mashiach deveria dar somente ao Eterno Hashen e ao seu Único Filho nosso Principe e Salvador Yaohúshua HaMashiach.

DEUS era o nome supremo do panteão romano, conhecido como o pai de todos os deuses, o senhor da luz. Assim como Zeus na Grécia; Deus (Dyeus/Júpter) era o mais adorado dentre todas as divindades do paganismo romano.

Roma exaltou o seu Deus, usando o SER mais supremos do Céu e da terra, que é o D´us dos Hebreus ELOHIM AVINU (Elohim nosso Pai), pois, este era o título que os antigos Yahudins (Judeus) chamavam o D´us dos discípulos. YAOHUH UL é o Nome do Pai dos Yahudins e também do Mashiach Yaohúshua o Filho do D´us dos hebreus, os adoradores destes dois Nomes, YAOHUH E Yaohúshua HaMashiach, mais tarde ficou conhecido como a "Seita dos Nasarenos".

Para os Hebreus a Divindade MOR do Céu e da terra foi e sempre será YAOHUH UL; já para os romanos é Deus aquele que usurpou o nome do Hashen dos Yahudins, para cumprir a profecia de Hosheas (Oseias 2;16 e 17). O Deus do cristianismo, ingenuamente adorado pela a massa, foi propagado bem intencionado, com um único fim:

"perpetuar o louvor dos deuses pagãos de Roma; é um dos títulos que Ha-shatan/Satan/Samael (de onde derivou todos os nomes como Dani"el" que é Daniyahu, Samuel) era somente disfarce para que Ha-shatan fosse louvado diretamente pela a noiva do Mashiach".

Ose. 2;16 E acontecerá naquele dia, diz o Eterno Hashen, que me chamarás: Meu marido e não me chamarás mais: Meu Baal (que é meu Senhor).
Ose. 2;17 E da sua boca tirarei os nomes de baalins (os senhores), e os seus nomes (como Deus, Senhor e Jesus) não virão mais em memória.

Aqui ficou bem claro que o pecado de Efraim, estava no fato dele chamar o Eterno YAOHUH de Deus e Senhor; este tem sido o maior pecado diante do Eterno Yaohuh e os evangelicos não estão preocupados com isto. Ah! O nome não tem importancia, o que importa é a boa intenção de cada coração...

Pois é, de boa intenção o inferno está cheio e vai lotar com a chegado dos evangelicos que estão adorando os deuses pagãos de Roma. Como se fossem o D´us YAOHUH UL (yao-rrur-ul) dos hebreus, e não é! Sendo que os hebreus nunca pronunciaram este nome Deus; eles sempre usam Elohim Avinu para expressar Elohim nosso Pai.

A principal característica da restauração da FÉ da igreja do Mashiach, está exatamente em retirarmos estes nomes Deus, Senhor e Jesus das nossas bocas e corações;

Deixarmos de adorar Ha-shatan direto ou indiretamente e cultuarmos os Nomes verdadeiros do nosso Rei YAOHUH UL (yao-rrur-ul) e do seu Príncipe e nosso Salvador YAOHÚSHUA HAMASHIACH (yao-rrú-shua rra-ma-shia-chi). Hashem seja louvado.


Última edição por Fco Oliveira em Qui Fev 18, 2010 11:29 pm, editado 1 vez(es)

Fco Oliveira

Mensagens : 211
Idade : 54
Inscrição : 15/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Natureza da Trindade, Papéis da Trindade e Natureza Humana de Cristo. Uma breve exposição.

Mensagem por Mashmid em Qui Fev 18, 2010 8:08 pm

Ok Fco, obrigado pela recepção!

Mas, eu não sei se vou permanecer neste fórum, pois, eu só entrei por causa do comentário sobre mim, que por acaso, achei nas pesquisas do google.

Mas, eu fico curioso em saber quais são as fontes, onde as encontrar, qual o autor, etc... dessas informações que vc postou aqui sobre essas divindades?

Poderia dizer?

Fco, vc está se preocupando com pronúncias de nomes e utilização de palavras em hebraico, mas, isso é trabalho em vão.

Não adianta forçar alguém a utilizar "elohim" no lugar de "deus", pois, isso é obrigar a pessoa a falar outro idioma.

Diz no NT que o messias falou em aramaico "Elahi Elahi Lemana shavaktani".

Ele usa "elahi" que é traduzido por "meu D-us", que em hebraico seria "elohay ou eli".

Se o messias falava aramaico e dizia "Elaha" em vez de "Elohim", ele estava errado?

Fco, vc disse que o pecado de Efraim foi o de chamar H’ de Ba’al.
Vc tem que entender que ba’al é uma palavra comum, que significa: marido, dono, proprietário.

O próprio profeta Yesh’ayahu diz:

Isa 54:5 Pois o teu Criador é o teu marido (BA’AL); o Eterno dos exércitos é o seu nome; e o Santo de Israel é o teu Redentor, que é chamado o D-us de toda a terra.

Por acaso o profeta ensina o povo a pecar contra H' dizendo que H' é o Ba'al deles?


Isso que vc disse não tem nada a ver.

Por esse motivo também se faz necessário conhecer o idioma hebraico, para não dizer nada precipitadamente.


Vc está se preocupando muito com pronúncias, mas, vc mesmo está usando uma pronúncia que não é certa, pois, “Shaytan” é árabe, e em hebraico “Satan” se escrever com a letra “Sin” e não “Shin”.

Quando vc diz “Hashen” vc está dizendo “o dente”, mas, quando vc diz “Hashem” vc está dizendo “o nome”.

Pois, quando dizemos "Hashem" estamos nos referindo ao NOME (YHVH).

Está vendo, eu sei o que vc quis dizer, mesmo que tenha falado errado.

Então, todas as vezes que vc escreveu “Hashen seja louvado”, vc está dizendo, “o dente seja louvado”.

Vc blasfemou? Claro que não, pois, isso é apenas o desconhecimento do idioma, pois, vc não é obrigado a saber hebraico.

Amigo, perceba que substantivos e adjetivos (e não nomes) Deus e Senhor fazem parte da língua portuguesa.

Se vc substituir o nome Jesus por Yaohushu’a, ainda assim, não saberá pronunciar a letra “ ‘ain”.

Bem, além disso tudo, a teoria de que a pronúncia do nome é Iaoh (bem parecido com Yaohu) não é nova, pois, os maçons já faziam esses estudos.

Sem saber, vc pode estar defendendo uma teoria maçônica, pois, vc sabe se a pessoa que começou isso não é maçon?

O livro “Le Martinisme: Histoire et doctrine” Editions Niclaus – Paris 1946 , da Sociedade de Ciencias Antigas, diz:

6. A fórmula mística de Iaoh, "pai de todas as paternidades", era inscrita nos amuletos e abraxas que levavam os gnósticos, principalmente as mulheres. Testemunha esta medalha: "Iaô, Abraxas, Adonai, Santo Nome, Potência Favorável, guardai Vibie Pauline de todos maus Demônios”...
(Dicionário das Antiguidades Cristãs, pelo Abade Martigny).

11. Para Macróbio, que colocou as palavras seguintes na boca do Oráculo de Apolo: "Diga que o mais elevado dos deuses, o Deus Supremo, é Iaoh”..., o Iahoh do Oráculo é a divindade solar, como ele
explica em seguida: "É Ele que no inverno se chama Orcus, na primavera Zeus, Hélio no verão e no outono o lânguido Iahoh”... De fato, é o Sol que é o modelo de deus de todos os Semitas. A Arca é coberta de ouro, as vestes e os ornamentos do pontífice, entrelaçados e mesclados com ouro, e os adversários de Israel sabiam que eles tinham interesse em atacar o povo nas planícies, os lugares elevados eram os de seu deus. (Macróbio, Saturnais, I).

12. Jean Laurentius, século VI, mais conhecido sob o nome de Lydus, que escreveu sob Justiniano, afirma em seu "Tratado dos Meses" que "os caldeus chamam o Deus Supremo Iaoh, o que
significa Luz Inteligível. Na língua fenícia, onde o denominam freqüentemente Sabaoth, como sendo Aquele que está acima dos Sete Céus, ou seja, o Criador do Mundo". (De Mensibus, IV).



Reflita sobre isso.

Bem, procure saber as fontes de suas afirmações, procure saber de tudo antes de precipitar-se em defender algo que nem mesmo vc conhece direito.

Shalom!

Mashmid

Mensagens : 5
Idade : 42
Inscrição : 17/02/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Natureza da Trindade, Papéis da Trindade e Natureza Humana de Cristo. Uma breve exposição.

Mensagem por Fco Oliveira em Sex Fev 19, 2010 1:53 am

Então é por causa destas visões vossa sobre este Deus, que os padres estão falando isto!

“Extra Ecclesiam, nulla salus. É o aviso contínuo dos Padres: fora da Igreja Católica pode encontrar-se tudo - admite Santo Agostinho - menos a salvação. Pode ter-se honra, pode haver Sacramentos, pode cantar-se o "aleluia", pode responder-se "amém", pode defender-se o Evangelho, pode ter-se fé no Pai, no Filho e no Espírito Santo e, inclusivamente, até pregá-la. Mas nunca, se não for na Igreja católica, pode encontrar-se a salvação." (São José Maria Escrivá - Amar a Igreja pt 24)

"Os inimigos declarados de Deus e da Igreja devem ser difamados tanto quanto se possa, desde que não se falte à verdade, sendo obra de caridade gritar: 'Eis o lobo!', quando está entre o rebanho ou em qualquer lugar onde seja encontrado" (São Francisco de Sales, Bispo e Doutor da Igreja, Filotea ou Introdução à Vida Devota, parte III, cap. 28)" Santo Inácio de Loyola

Quanto ao endereços do que postei nobre irmão, eu tenha somente as cópias xerocadas e não tenho endereços dos autores.
Obrigado pela a correção, eu apenas ouvir no vídeo dos Rabinos da CINA (Congregação israelitas da nova aliança), foi por isto que escrevi com "N" no final. Hashem seja louvado.

Fco Oliveira

Mensagens : 211
Idade : 54
Inscrição : 15/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Natureza da Trindade, Papéis da Trindade e Natureza Humana de Cristo. Uma breve exposição.

Mensagem por Mashmid em Sex Fev 19, 2010 7:38 pm

Shalom a todos!

Ok Fco!

Mas, aí surge um grande problema, pois, vc nem sabe quem escreveu, não sabe se a pessoa é capacitada para afirmar tal, não sabe a origem filosófica da pessoa e está acreditando em tudo?

Tem que ser mais cético, não dá para acreditar em tudo que qualquer um fala.

Já ouviu o ditado que diz "Não fale com estranhos"?

Não falar com estranhos, é justamente porque vc não sabe a intenção da pessoa, o que ela é , e se pode confiar nela.

Não siga o exemplo do Luiz Cláudio, que só tem folhas de sulfite como "prova", todavia, não provam nada.

Em dissertações, é necessário a utilização de fontes confiáveis e de renome, se não, quem vai aceitar o que vc diz?

A CINA é composta por ex evangélicos, ou seja, vc só estará aprendendo uma teologia cristã com roupagem judaica.

Se eu fosse vc, eu deixaria de apoiar esse novo hebraico que alguém inventou.

Eu tenho entrado na página o Orkut do Luiz, deixado recados, etc...

Ele desapareceu e não fala comigo de jeito algum.

Até chegou a deletar uma página do Orkut no qual o apelido que ele usava na página era "Tzofeh Bor".

Ele apagou à página, só porque eu deixei uma mensagem em hebraico para ele.

O Luiz chegou a entrar em uma sala do paltalk na qual eu estava, e fingiu não ser ele quando viu que o negócio não dava para ele.

E vc ainda continua acreditando no que esse cara diz?

Eu ainda vou pegá-lo no pulo, de uma maneira tal que ele não terá mais como enganar.

Ele é estelionatário, e já tem pessoas em PE que estão querendo processá-lo ou já o processaram.

Bem, mas, tente ser imparcial , sem emoções , sem seguir à uma paixão.

Então verá com outros olhos a tudo o que tem acreditado.

Mashmid

Mensagens : 5
Idade : 42
Inscrição : 17/02/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Natureza da Trindade, Papéis da Trindade e Natureza Humana de Cristo. Uma breve exposição.

Mensagem por Mashmid em Sex Fev 19, 2010 7:41 pm

Bem, eu postei em meu fórum sobre o nome Yaohu, sobre algo que achei em minhas pesquisas pela net.

Já está em meu fórum, mas, deixarei um cópia aqui neste.

Shalom a todos!

Bem, em meus textos eu cheguei a brincar dizendo que se aplicássemos a teoria do Luiz Cláudio às palavras hebraicas, como Shanah(ano) e Lailah(noite), essas palavras pareceriam mais com o idioma chinês do que qualquer idioma semítico.

Pois, ficariam "SHAONAO" E "LAOILAO", que parece mais chinês do que outra coisa.

Até que a brincadeira tinha um fundo de verdade.(risos)


O nome YAOHU , não é nada novo e também nada tem a ver com línguas semíticas, pelo contrário, tem muito a ver com o idioma chinês.

Para quem não sabe o que é YAOHU, vejamos agora nos sites:

Yaohu. É situado no local República Popular da China. Ele está localizado na parte central do país.Yaohu Administração cai sob a região Shanxi. A aproximação de metas turísticas interessantes, que estão ao redor da cidade são Yaohu Ping Yao (República Popular da China) cerca de 135 km, Yungang Grottoes (República Popular da China), cerca de 204 km, Yin Xu (República Popular da China) c. 317 km, . Mais informações sobre a cidade, visite o link à esquerda Nearby atracções. O aeroporto internacional está situado cerca de Yaohu de 171.961 km 421.

fonte: http://pt.tixik.com/-46337.htm


Se vc quiser ver uma imagem de satélite da cidade YAOHU, acesse o link: http://www.maplandia.com/china/anhui/jing-xian/yaohu/

Se quiserem encontrar hotéis em YAOHU, é possível também por esse mesmo link acima, como diz na página:

Yaohu hotels map

The location of each Yaohu hotel listed is shown on the detailed zoomable map. Moreover, Yaohu hotel map is available where all hotels in Yaohu are marked. You can easily choose your hotel by location.
Yaohu hotel reviews

Many photos and unbiased Yaohu hotel reviews written by real guests are provided to help you make your booking decision.
Yaohu hotel deals

Luxury hotels (including 5 star hotels and 4 star hotels) and cheap Yaohu hotels (with best discount rates and up-to-date hotel deals) are both available in separate lists. Always bear in mind that with Maplandia.com and Booking.com the best price is guaranteed!


Sem falar de empresas chinesas e também pessoas com o nome YAOHU.

Yuyao Yaohu Electrical Appliances&Switch Factory - China Manufacturer - http://www.tradeeasy.com/supplier/8935/yuyao-yaohu-appliancesandswitch.html

Chongqing Yaohu Power Machine Co., Ltd. - http://www.diytrade.com/china/4/manufacturers/1029115/inquiry_product/6071669/YH6500-SX_GASOLINE_PORTABLE_GENERATOR_SET.html

yaohu-pile.com - http://www.alexa.com/siteinfo/yaohu-pile.com

Até nome de Bateria Yaohu - http://answers.yahoo.com/question/index?qid=20090803194604AApZ2vs

(a bateria YAOHU pode ser recarregada... hehehe)Yaohu 6-fm-7 (YH 12V 12AH.20HR) Sealed Rechargeable Battery - http://www.trademe.co.nz/Browse/Listing.aspx?id=74707436


Yaohu Kang , um dos autores do livro "Effect of drip irrigation with saline water on tomato (Lycopersicon esculentum Mill) yield and water use in semi-humid area"- http://discover-decouvrir.cisti-icist.nrc-cnrc.gc.ca/dcvr/ctrl?action=dsere&req=%22Kang+Yaohu%22&index=aw

O Yaohu é especialista em plantação de tomates. (risos)


Olha só o nome do prefeito da cidade de Zhaoqing, "Deng Yaohua" - http://pt.wikipedia.org/wiki/Zhaoqing


Como eu disse antes, esse "ebláico" antigo, está mais para chinês.

Shalom!

Mashmid

Mensagens : 5
Idade : 42
Inscrição : 17/02/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Natureza da Trindade, Papéis da Trindade e Natureza Humana de Cristo. Uma breve exposição.

Mensagem por Mashmid em Sex Fev 19, 2010 7:42 pm

Pessoal, desculpe!!!! Caramba, sem perceber eu desviei o tópico...

Desculpe mesmo, não tinha percebido.

Shalom!

Mashmid

Mensagens : 5
Idade : 42
Inscrição : 17/02/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Natureza da Trindade, Papéis da Trindade e Natureza Humana de Cristo. Uma breve exposição.

Mensagem por Evangelista Flavio em Seg Fev 22, 2010 12:58 pm

Em resposta a Argumentação da composição da Divindade em Pai Filho e Espirito Santo, afirmando que esta Divindade é trina.


I- Definição da Trindade


Trindade é a crença na existência de um Ser divino que subsiste em três pessoas: Pai, Filho e Espírito.
O Webster define a palavra: “A união de três pessoas ou hipóstases quanto a individualidade”. (Dicionário Colegial Webster, quinta edição.).Os trinitarianos não crêem que as três pessoas são uma pessoa ou que as três pessoas são três deuses. Eles crêem em três pessoas que constituem um Deus.


II- Três propostas envolvidas

Existem três posições primárias envolvidas na doutrina da trindade. Os três pontos são: (1) A unidade composta de Deus. (2) A divindade do Pai, Filho e Espírito. (3) A personalidade do Pai, Filho e Espírito.
A falha em se provar qualquer uma destas propostas resultará no colapso da teoria. Para desmentir a trindade portanto, necessita-se estabelecer unicamente um dos três fatos. (1) A simples unidade de Deus. (2) Jesus não é Deus. (3) O Espírito não é uma pessoa.

1. A unidade composta de Deus. Os trinitarianos afirmam crer na unidade de Deus. Se eles não afirmarem que Deus é um, sua doutrina seria revelada como nada além de politeísmo.
Entretanto, os trinitarianos, não crêem na unidade de Deus conforme expresso na Bíblia. Eles rejeitam a verdade Bíblica que há uma só pessoa que é Deus. Eles negam a simples unidade de Deus. Trinitarianos insistem que a unidade de Deus é composta. Eles advogam que uma única substância, uma inteligência e uma vontade na Potestade, mas que três pessoas eternamente coexistem de uma essência que atuam por uma inteligência e vontade. Eles dizem que a singularidade de Deus refere-se a Sua substância, essência ou ser.

2. A divindade do Pai, Filho e o Espírito. O segundo ponto que os trinitarianos buscam estabelecer é que o Pai é Deus, o filho é Deus, e o Espírito é Deus. Eles tentam mostrar que cada qual é mencionado como sendo Deus e cada qual possui atributos e obras de divindade. Eles afirmam que em toda maneira os três são iguais. A única diferença é que eles são distinguidos por certas particularidades individuais, sendo, o Filho unigênito do Pai e o Espírito procede do Pai e do Filho.

3. A personalidade do Pai, Filho e o Espírito. Como terceiro ponto os trinitarianos buscam provar que o Pai é uma pessoa, o Filho é uma pessoa, e o Espírito é uma pessoa. Cada qual uma personalidade diferente das duas demais. Ainda, cada pessoa supõe-se a plena essência da divindade e todos os atributos divinos. Cada qual supõe-se ser completamente Deus em Si. As três pessoas juntas compartilham uma essência comum, todos os atributos, uma substância, uma inteligência, e uma vontade.

III- Origem histórica desta doutrina

l. Não mencionada na Bíblia. Trinitarianismo não é uma doutrina Bíblica. Esta teoria não é mencionada e nem comentada na Bíblia. As palavras “trindade” e “triúno” nunca foram usadas pelos escritores da Bíblia. A doutrina da trindade era desconhecida para os israelitas do Antigo Testamento e os Cristãos do Novo Testamento. Esta teoria não estava formulada até muitos anos após a morte do último apóstolo.
Não há autoridade Bíblica para a trindade. Os teólogos tentam ler entre as linhas das Escrituras na busca pela trindade. Eles torcem textos da Escritura na tentativa da dar suporte a teoria, mas fica a verdade que a doutrina da trindade não é mencionada na Bíblia.
Graham Greene, um britânico convertido ao Catolicismo, escreveu num artigo para a revista Life (vida) em defesa do dogma da Igreja Católica com respeito à assunção de Maria ao céu. Neste artigo ele admite que não há autoridade Bíblica para a trindade.
Nossos oponentes algumas vezes afirmam que nenhuma crença deveria ser assegurada dogmaticamente se não estiver explicitamente registrada na Escritura (ignorando que é somente pela autoridade da Igreja que nós reconhecemos certos evangelhos e outros como não verdadeiros). Mas, as igrejas protestantes tem aceito alguns dogmas como a trindade para a qual não existe autoridade precisa nos evangelhos.” (Greene, Graham. “The Catholic Church´s New Dogma: The Assumption of Mary, Life, October 30, 1950, p.51.).
A doutrina da trindade não é somente não relatada, mas também anti-bíblica. É verdade que não somente a Bíblia não dá suporte para esta teoria, mas ainda o ensino da palavra de Deus é diretamente oposta a ela. A Bíblia claramente coloca a verdade da unidade não-composta de Deus, que é o Pai. Ela ensina que Jesus é o Filho de Deus, não o próprio Deus. Ela revela que o Espírito Santo é o poder impessoal de Deus.

2. Origem Pagã. A doutrina da trindade é de origem pagã. A Trindade, como a falsa doutrina da imortalidade da alma, firmou-se na Teologia da igreja gradualmente durante os primeiros séculos da era da igreja. Pagãos que aparentemente não estavam inteiramente convertidos se tornaram membros da igreja visível. À medida que estes homens assumiram posições de liderança como ensinadores e teólogos, a teologia da igreja foi gradualmente paganizada. Os ensinos da Bíblia foram re-interpretados e ajustados para coincidir com os ensinos da filosofia pagã. Tríade de deuses prevaleciam na mitologia pagã. Embora muitos deuses fossem adorados nas nações politeístas, havia usualmente três divindades consideradas como maiorais. O hinduísmo acreditava em uma substância Brahman expressa em três personalidades: Brahman o Criador, Visnu o Preservador e Shiva o Destruidor.
O Zoroastrismo Persa cria em Ahura Mazda a divindade do bem, e Angra Manya a divindade do mal, os quais eram expressão de Mitra, a grande causa primária. Confúsio teria escrito: “Tao (Deus) é por natureza um, o primeiro gerou o segundo; ambos geraram o terceiro; estes três fizeram todos as coisas.”
Osiris, Ísis e Nephthys parecem Ter formado a tríade de divindades no Egito. Na Babilonia os três foram Ea, o deus da destruição pelas águas, Enlil, o senhor das tempestades e Anu o senhor dos céus. Na Grécia as três divindades entre as muitas do Monte Olimpo eram Zeus, Hera e Atena. A tríade de divindade que os romanos entronaram no Monte Capitólio consistiam de Júpter, Juno e Minerva. As três divindades líderes entre os Alemães eram Odin, Tar e Freyr.
Platão personificou três princípios eternos: Bondade, Intelecto e Alma de tudo. A filosofia pagã de Platão prevalecente na Grécia e Roma foi o maior fator na introdução de falsas doutrinas como a imortalidade da alma e a trindade para dentro da cristandade.
Embora a trindade do paganismo e a trindade do cristianismo não sejam idênticos nos detalhes precisos, é aparente que um gerou o outro.

3. Primeiro uso da palavra. O primeiro uso da palavra “trindade” na sua forma grega “Trias” foi expressa por Teófilos que se tornou bispo em Antioquia na Síria no oitavo ano de reinado de Marcus Aurélius (168 AD). Ele usou a palavra no segundo de três livros que escreveu endereçado ao seu amigo Autolucus. No comentário sobre o quarto dia da criação em Gênesis, ele escreveu: “Na mesma forma que os três dias que existiram antes dos luminares, são tipos da Trindade, de Deus, e Sua Palavra e Sua sabedoria”. (Theophilus, “To Autolycus”, Os Pais Ante-Nicenos (The Ante Nicene Fathers).
Tertuliano (160-220 AD), foi o primeiro a usar a palavra em latim Trinitas. Educado em Roma e Presbítero em Cártago, Tertuliano estendeu a fundação da Teologia Latina, que mais tarde foi edificada por Cipriano e Augustine. Embora ele tenha denunciado Platão como filósofo herege, Tertuliano expressou a sua teologia nos termos da filosofia platônica. Ele estava entre os primeiros a ensinar a imortalidade da alma e a infindável tortura do ímpio.
Trindade e Imortalidade da Alma foram desenvolvidas e formuladas para dentro do Sistema da Teologia por Augustine.
Os escritos de Augustine se tornaram a teologia básica da Igreja Romana Católica.
Tertuliano menciona a trindade em seu livro escrito contra Praxeas que defendia a teoria do monarquismo: Ele escreveu: “ O mistério da dispensação está ainda guardado, o qual distribui a Unidade na Trindade, colocando em ordem as três pessoas – o Pai, o Filho e o Espírito Santo”. (Tertuliano. “Against Praxeas”, The Ante-Nicene Fathers).


IV- A controvérsia Arios - Atanásio.

A atenção específica foi centralizada sobre a doutrina da trindade no quarto século como resultado de uma controvérsia entre dois líderes da igreja em Alexandria, Arios (256-336) e Atanásio (293- 373).
Arius mantinha que Jesus, embora grande, era de alguma forma inferior a Deus. Atanásio, por outro lado, mantinha que Cristo era igual a Deus em todos os aspectos.
Em 318 A.D., a controvérsia veio à tona. Arius posicionou que se Jesus fosse realmente o filho de Deus, então deveria haver um tempo em que existia o Pai mas não o Filho. O Pai, portanto, era maior que o Filho. Num concílio da igreja local acontecido em 321 AD, Arios e seus amigos foram excomungados da igreja por causa de sua opinião. Ários entretanto, tinha muitos amigos e seguidores por todas as igrejas da cristandade. A falsa teoria da trindade não se ateve rapidamente como posição dominante na igreja. Pelo mesmo tempo em que a grande controvérsia entre Ários e Atanásio estava enraivecendo as igrejas, o imperador Constantino se tornou o principal suporte do Cristianismo. O Imperador olhou a igreja como uma grande força de unificação e estava ansioso para que o Cristianismo viesse a ser a religião universal do Império Romano. Ele desejou evitar um conflito interno dentro da igreja. Ele raciocinou que devia haver uma igreja unificada de forma a se Ter um império unificado.
Buscando restaurar a unidade das igrejas, Constantino convocou um concílio geral da igreja a se dar na cidade de Nicéia em 325A.D. Os bispos e o clérigo de todas as igrejas foram convidadas a estar presente no concílio com todas as despesas pagas pelo imperador. Entretanto, o Concílio de Nicéia, na realidade, foi um concílio das igrejas na parte oriental do império. Enquanto de diz que 318 bispos, além de oficiais eclesiásticos menores estivessem presentes, não havia dez bispos do ocidente presente. O concílio não foi verdadeiramente a representação de toda a igreja.
Eusebius, conhecido como pai da história da Igreja, no princípio do concílio propôs o compromisso em doutrina no qual se usasse a linguagem da Escritura em vez dos termos filosóficos usados por Atanásio. Os seguidores de Atanásio compreenderam que um voto para Eusebius seria um voto para Ários, pois a Bíblia não contém posição para a doutrina da trindade. O compromisso de Eusébio, sendo assim, foi rejeitado. O imperador Constantino, que nada sabia de fatos teológicos em discussão mas ansioso para promover unidade, apoia Atanásio. Muitos dos bispos presentes finalmente assinaram a doutrina formulada pelo grupo de Atanásio. Dentre os que não assinaram incluindo Ários, Eusebios da Nicomedia, e Theognis de Nicéia, foram banidos e seus livros queimados publicamente.
Este, entretanto, não foi o fim. O debate se estendeu por cinqüenta e seis anos. Ários e seus amigos foram recolocados em comunhão dentro de três a cinco anos após o Concílio de Nicéia. Atanásio foi deposto por um grande concílio em Tyre em 335 AD. e foi banido para Gaul. Ários morreu em 336 A.D. Durante os sucessivos anos, os seguidores de Ários e Atanásio foram alternadamente banidos e re-aceitos à medida que vários imperadores que governaram o império favoreciam uma a outra teoria. Trinitarianismo não se tornou dominante e “doutrina ortodoxa” da Cristandade até que Theodásio se tornou imperador (379).
Theodásio foi o imperador que fez do Cristianismo a religião estado. A união da igreja e estado pavimenta o caminho para a ascensão da Igreja Católica Romana.
Theodásio convocou um concílio em Constantinopla que ocorreu em 381 AD. Contou com a presença de cerca de cento e cinqüenta bispos do ocidente. Na doutrina adotada, o Trinitarianismo foi feito a doutrina oficial da igreja dentro do império. Todos os que discordassem eram expulsos de seus púlpitos e excomungados de suas igrejas. Foi o domínio totalitário dos imperadores romanos e mais tarde a Igreja Católica Romana que habilitou a doutrina da trindade de forma a manter sua posição numa teologia pervertida.
Os fiéis crentes, ainda que fora da Igreja Católica Romana, continuaram a crer no ensino da Bíblia concernente a simples unidade de Deus. Europeus do norte, convertidos pelo grande missionário Ulfilas (morto em 381), abraçaram o cristianismo Ariano que ele pregava. Foi muitos séculos antes dos Ostrogodos, Visigodos, Burgundios, Vândalos, Lombardos, e outros povos do norte Europeu finalmente se renderam na crença da trindade e eventualmente se tornaram parte da Igreja Católica Romana.
A história da Igreja e a história da doutrina revela muitos crentes fiéis pelos vinte séculos da era da Igreja que repudiaram a doutrina da trindade e insistiram no ensino bíblico com respeito a unidade de Deus.

MAterial tirado de teologia Sistematica Alfa Huffer 1960

evangelista Flávio ( Paltalk - Apostolo Igreja de Deus. )

Evangelista Flavio

Mensagens : 10
Idade : 52
Inscrição : 22/02/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Natureza da Trindade, Papéis da Trindade e Natureza Humana de Cristo. Uma breve exposição.

Mensagem por Evangelista Flavio em Seg Fev 22, 2010 12:59 pm

CAPÍTULO XI

ARGUMENTOS TRINITARIANOS CONSIDERADOS

É quase patético considerar o frágil argumento promovido pelos trinitarianos em defesa de sua teoria. Eles admitem que a doutrina não é relatada na Bíblia, ainda assim eles se agarram desesperadamente em qualquer pequena frase na Escritura que pode ser usada para de alguma forma confirmar sua falsa doutrina.

I- Um texto espúrio

O único verso na Bíblia que poderia parecer ensinar a trindade é I João 5:7; “Pois há três que confirmaram testemunho no céu, o Pai, a Palavra e o Espírito Santo: e estes três são um.”
É geralmente aceito por todos os estudantes que este verso é espúrio. Não é parte genuína da Bíblia. E está no manuscrito original; ele foi inserido por alguns escribas trinitarianos durante a Era Negra. Os trinitarianos honestos de hoje não aplicam este verso no ensino de sua doutrina. Quase todas as versões modernas e traduções corretas omitem as palavras deste verso.

II – Ocorrência de três palavras juntas

O maior argumento usado pelos trinitarianos está no fato de Deus, Jesus e o Espírito serem mencionados juntos em pouco versos. Eles afirmam que isto prova a trindade. Isto não é verdade. O fato de que três palavras ocorrem na mesma sentença não é indicativo de que os fatores ou pessoas mencionadas sejam iguais ou mesmo necessariamente relacionadas. Alguns versos citados pelas trinitarianos são:
Mat. 3:16,17 - Batismo de Jesus
João 14:16 - Envio do Consolador
Mat. 28:19 Comissão Evangelística
II Cor. 13:14 - Benção
I Pedro 1:2 - O eleito.

1. Mateus 3:16,17. Este texto descreve eventos ligados ao batismo de Jesus. Depois que Jesus foi imerso no Rio Jordão, Deus enviou Seu poder, o Espírito, para Jesus e declarou que Jesus é Seu Filho. Inclusos neste incidente estão Jesus, Deus e o Espírito de Deus.
Isto entretanto, não prova nem indica a trindade. O Espírito, que é o poder d Deus, desceu como uma pomba sobre o batizado Jesus .Nada absolutamente neste incidente há que mostre que o Espírito é uma pessoa. Também não há nada aqui que inclusive insinue a idéia que Jesus, Deus e o Espírito são co-iguais ou co-eternos. A subordinação do Filho ao Seu Pai, contudo, é revelada no fato que o Pai enviou Seu Espírito quando o Filho foi quem o recebeu. O Pai no céu foi quem falou. O Filho, saindo da água, foi quem o Pai reconheceu como Filho.
2. João 14:16. Jesus prometeu a seus discípulos que depois que Ele subisse ao céu Ele receberia o Consolador de Seu Pai e então o enviaria a eles. O Pai deu Seu poder a Jesus; Jesus deu Seu poder aos discípulos. Esta promessa se cumpriu no Pentecostes. (Atos 2:33) Deus, Jesus e o Espírito são mencionados juntos aqui. Este fato, porém, não prova ou ainda insinue a trindade. Deus, Jesus e o amor de Deus são mencionados juntos em vários versos. O mesmo argumento usado pelos trinitarianos também personificaria o amor de Deus e o faria uma pessoa na divindade. O mesmo também se aplicaria a sabedoria de Deus e outros atributos. Os argumentos trinitarianos resultariam em tantas pessoas na divindade quanto os atributos na natureza de Deus. E isto é absurdo. O fato de que um dos atributos ou habilidade de Deus seja usado em conexão com Deus e Seu Filho não é indício da trindade de pessoas conforme ensinado. O Pai único é Deus. Jesus é o Filho de Deus. O Espírito Santo é o poder impessoal de Deus.
3. Mateus 28:19. Neste texto a palavra nome é singular. A palavra não refere a um nome pessoal. Ela designa autoridade. “O Pai” não é o nome pessoal de Deus; é um título. O nome pessoal de Deus é Jeovah. “O Filho” não é o nome pessoal de nosso Salvador; também é um título. O nome pessoal de nosso Salvador é Jesus. O Espírito é o poder de Deus. Não é uma pessoa; portanto; ele não tem um nome pessoal. Deve-se mencionar que as palavras Holy Ghost e Holy Spirit são as mesmas em significado. Ambos “ghost” e “spirit” são traduzidas da palavra grega “pneuma”, a qual significa poder. Não há razões válidas para os tradutores usarem a palavra “ghost” ao invés de “spirit”.
Este texto, falando da comissão evangelísticas de Cristo, autoriza os discípulos a irem a todo o mundo e pregar o evangelho. Ele é similar a Marcos 16:15,16.
No verso que procede este texto nós lemos; “E vindo Jesus falou-lhes dizendo; Todo poder me é dado no céu e na terra” (Mat. 28:18). A palavra “poder” (palavra grega “exousia”) significa aqui, autoridade. Depois de receber divina autoridade de Deus, Jesus autorizou seus discípulos a irem e ensinarem todas as nações. Então, quando os discípulos foram, falaram e batizaram, eles o fizeram imbutidos da autoridade neles investida pelo Pai que havia dado Sua autoridade a Seu Filho. Nesta forma, eles fizeram no “nome” ou autoridade recebida do Pai. Os discípulos foram por toda parte pregando e ensinando porque Jesus os tinha autorizado e instruído que assim fizessem. Desta forma eles trabalharam no “nome” ou autoridade de Filho.
O poder de Deus, o Espírito, foi dado aos discípulos para transformar seus caracteres e habilitá-los a realizar milagres.
Por estas obras miraculosas do Espírito, Cristo “obrava com eles, e confirmando a palavra com sinais que o seguiam”. (Mat. 16:20). O poder de Deus confirma a mensagem deles pelos milagres. Isto revelou que eles eram representantes de Deus e Jesus. Assim os discípulos foram, falaram e batizaram “no nome de” ou com a autoridade confirmada pela obra do poder de Deus, o Espírito Santo. A autoridade recebida de Jesus e do Pai e revelada através do poder do Espírito constitui uma autoridade divina. Entretanto a palavra “nome” a autoridade é singular.
Não há nada neste verso que ensine a trindade. Não há nada para indicar que o Espírito é uma pessoa ou que os três formam uma unidade composta de uma substância ou essência.

4. II Coríntios 13:14. Esta é uma outra escrita na qual o Pai, Jesus e o Espírito são mencionados juntos. Os trinitarianos afirmam que o Pai é sempre o primeiro, o Filho sempre segundo, e o Espírito sempre o terceiro. Os apóstolos, entretanto, aparentemente nunca ouviram desta norma trinitariana. Em muitos versos, o assunto em discussão requeria que Jesus fosse mencionado no texto antes de Deus. Em muitos textos do Novo Testamento onde Jesus e o Pai são mencionados juntos o Espírito não é mencionado. É interessante notar que neste verso Jesus é mencionado primeiro, Deus é mencionado em segundo e o Espírito por último. Neste verso, Jesus e Deus são representados como pessoas. O Espírito é revelado como o poder de Deus.
Paulo não ensinou a trindade nesta amável benção. Ele rogou que a graça divina, amor e comunhão (amizade) estivesse com os crentes de Corinto. Ele desejava que eles gozassem da comunhão espiritual com Deus, Seu Filho, e comunhão espiritual com Deus, Seu Filho, e comunhão entre eles que se faz possível pela obra do poder de Deus, o Espírito Santo.
Note que Paulo mencionou a comunhão “do” Espírito Santo, não a comunhão “com” o Espírito Santo. Os crentes tem fraternidade ou comunhão “com” o Pai e “com” Seu filho Jesus Cristo (I João 1:3-7) porque o Pai e o Filho são personalidades. Eles não podem Ter fraternidade com o Espírito Santo porque o Espírito Santo não é uma pessoa. Eles experimentaram fraternidade “do” Espírito, mas não “com” o Espírito. Esta benção de Paulo não ensina qualquer falsa doutrina da trindade.
O fato de Pedro, Tiago e João serem mencionados juntos repetidamente na Bíblia não é indício de que eles são uma trindade. Porque deveria ser tampouco verdade o fato de Deus, Jesus e o poder de Deus ocorrem juntos no mesmo verso?
Outros escritos mal aplicados da mesma forma pelos trinitarianos são: Gen. 19:24; Num. 27:18; Salm. 51:11; Isa. 34:16; 40:13; 48:16; Ose. 1:7; Ageu 2:4,5; I Cor. 12:4-6; I Pedro 3:18; Apoc. 1:4-6, etc.

Evangelista Flavio

Mensagens : 10
Idade : 52
Inscrição : 22/02/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Natureza da Trindade, Papéis da Trindade e Natureza Humana de Cristo. Uma breve exposição.

Mensagem por Evangelista Flavio em Seg Fev 22, 2010 1:01 pm

I- A Unidade de Deus Não é Composta


Há somente uma pessoa que é Deus. Ele é a fonte e o governador do universo. Ele é o pai de nosso Senhor Jesus Cristo. A unidade de Deus é simples; não é composta.
1. Um Deus significa uma pessoa. Deus é um. Ele é um indivíduo singular, uma unidade só, um único ser. O leitor é direcionado ao capítulo da Unidade de Deus por uma lista de escritos ensinando a verdade de que Deus é um.
Jesus referiu-se a Seu Pai como “o único Deus verdadeiro” (João 17:3). Moisés declarou, “Ouve, o Israel: O Senhor nosso Deus é um Senhor” (Deut. 6:4). Paulo escreveu, “Para nós há um só Deus, o Pai” (I Cor. 8:6).
Há “um” Deus (No grego “heis” e hebraico “echad”). Deus é único, aparte, solitário. Ele é o único Deus (grego “manos” e hebraico “bad”). Todos os outros estão esclusas. Não há mais ninguém. Ele é uma pessoa singular. Além Dele nada há. Todas estas palavras denotam simples unidade. Com relação à palavra “echad”, R.H. Judd escreveu:
Esta palavra hebraica “echad” ocorre aproximadamente quinhentas vezes no Velho Testamento, e em nenhum único exemplo pode ser produzida onde a palavra em qualquer sentido perca seu valor numérico, nem pode ser negado que ela é a base da qual todos os outros números tem seu valor.
È verdade que nós temos palavras como “nação”, “grupo”, “assembléia”, mas quando nós falamos de “uma nação” como contra duas ou mais nações, não há alteração do valor númerico do numeral. (Judd, R.H. One God: The God of the Ages. Oregon, Illinois: National Bible Institution, 1949,pp.28,30).
No tema da simples unidade de Deus, nós citamos as seguintes palavras di famoso Catecismo Racovian:
Prove para mim que na única essência de Deus há uma pessoa. Isto pode ser visto sem dúvida da conseqüência, que a essência de Deus é uma, não em espécie mas em número. Motivo então que ela não pode conter uma pluralidade de pessoas, desde que uma pessoa é nada mais que uma essência inteligente individual.
Sendo assim, onde quer que exista três pessoas em número, deve necessariamente da mesma forma ser reconhecida três essências individuais; pois na mesma forma na qual se afirma que há uma essência numérica. Deve ser assegurado que há uma pessoa em número. (The Racovian Catechism. Section III, chapter 1.).

2. Pronomes Pessoais no Singular. O fato de que pronome pessoal no singular seja usado em referência a Deus é um excelente testemunho da simples unidade de Deus. Pela contagem, pelas centenas, e mesmo pelos milhares, os pronomes da Bíblia relativos a Deus estão como faróis em todas páginas de Gênesis a Apocalipse, nos revelando a pessoal, literal e individual unidade de Deus com uma infinidade que o Trinitarianismo, ou outro argumento pode negar com êxito. “Eu”, “Mim”, e “Meu”; “Ele”, “Dele” e “Em si”; “Tu”, “Ti” e “Teu” nunca foram e nunca serão, corretamente aplicados a mais que uma personalidade individual. Eles trazem uma dignidade e segurança que não pode ser expressa por um nome ou qualquer outro método. (Judd, R.H. Op. cit.; p.32).

3. Esta única pessoa é o Pai. O testemunho da Bíblia é que existe uma única que é Deus. Quem, então, é esta única pessoa? Ele é o Pai. Numerosos textos bíblicos identificam o único Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo. Alguns poucos destes versos são:

João 17:3 - Ti o único Deus verdadeiro
Romanos 15:6 - Deus, o Pai
I Coríntios 8:6 - Um Deus, o Pai
I Coríntios 15:24 - A Deus, ao Pai
II Coríntios 1:3 - Deus, o Pai
Efésios 1:17 - Deus de nosso Senhor Jesus Cristo
Efésios 4:6 - Um Deus e Pai de todos
I Tessalon. 3:13 - Deus e Pai
II Tessalon. 2:16 - Deus e Pai
Tiago 3:9 - Deus e Pai
II João 3 - de Deus o Pai

A unidade de Deus não é composta, Um Deus significa uma pessoa. Esta única pessoa é o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo.

II - Jesus não é Deus

1. Somente uma pessoa que é Deus. Jesus não é Deus porque só há uma pessoa que é Deus. Esta pessoa tem sido identificada como o Pai. Jesus portanto, não pode ser Deus. Não há outra pessoa que pode ser Deus no mesmo sentido em que o Pai é Deus. “Para nós há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas, e nós Nele. “(I Cor. 8:6). “Um Deus e Pai de todos, que é sobre todos, e por todos, e em todos” (Efes. 4:6). Jesus é divino mas não Deus. Ele é o divino Filho de Deus, mas ele não é Deus, o Ser Supremo.

2. Jesus como mediador não pode ser o próprio Deus. “Há um Deus, e um mediador entre Deus e os homens, o homem Cristo Jesus.” (I Tim. 2:5).
Jesus é o mediador entre Deus e os homens. Jesus portanto, não é o próprio Deus. Se o próprio Jesus fosse Deus ou igual a Deus, como asseguram os trinitarianos. Ele não estaria numa posição como mediador. Como mediador alguém deve ser a terceira parte. Se Jesus fosse Deus, Ele seria uma das duas partes e não poderia servir como mediador entre os dois = Deus e o homem. (Gal. 3:20). O fato de ser Jesus um mediador anula a possibilidade de Ele ser parte de uma trindade.
Jesus insistiu que Ele e o Pai não são idênticos. Ele e Seu Pai são separados em personalidade, essência e ser. Ele declara que Ele e Seu Pai constituem duas testemunhas separadas. “Também está escrito na vossa lei, que o testemunho de dois homens é verdadeiro. Eu sou um que testifico de mim mesmo, e o Pai que me enviou também testifica de mim.” (João 8:17,18).
3. Jesus é o Filho de Deus. Jesus não é o próprio Deus nem parte de um Deus trino porque Ele é o Filho de Deus. Ele não pode ser ambos Deus e o Filho de Deus. O Pai e o Filho não são iguais ou idênticos. O Pai viveu antes do Filho. O Pai é maior que o Filho. Jesus foi gerado do Pai e nascido de Maria. Ele é o Filho do Deus vivo.
O Novo Testamento está repleto de escritos que colocam Jesus como Filho de Deus.

4. Deus é o Deus de Jesus. Jesus reconheceu o Pai, o único verdadeiro Deus, como Seu Deus. Jesus nunca afirmou ser Ele o próprio Deus. Ele não pretendeu ser igual a Deus. Ele sempre considerou o Pai como superior a Ele , Seu Deus, nos versos seguintes, Jesus refere-se ao Pai como Seu Deus, ou Deus é descrito como o Deus de Jesus.
João 20:17 - Para meu Deus e vosso Deus.
Apocalipse 3:12 - Meu Deus, meu Deus, meu Deus, meu Deus
Mateus 27:46 - Meu Deus, meu Deus, porque Tu
Marcos 15:34 - Meu Deus, meu Deus, porque Tu
Salmos 22:1 - Meu Deus, meu Deus, porque Tu
II Cor. 11:31 - O Deus e Pai de nosso Senhor
Efésios 1:3 - O Deus e Pai de nosso Senhor
Efésios 1:17 - O Deus de nosso Senhor Jesus Cristo
I Pedro 1:3 - O Deus e Pai de nosso Senhor
Hebreus 1:8,9 - Deus, o teu Deus te ungiu
Salmos 45:6,7 - Deus, teu Deus te ungiu
Apocalipse 1:6 - Para Seu Deus ( R.S.V. Diaglott)
II Coríntios 1:3 - Deus de nosso Senhor Jesus (R.S.V.).

5. Jesus orou para Seu Deus, o Pai. Jesus revelou que Ele não era o próprio Deus quando, Ele orou para Seu Pai, como Deus. Se Jesus fosse igual a Deus, porque Jesus orou a Deus? Os trinitarianos afirmam que Deus, Jesus e o Espírito tem uma inteligência e uma vontade. Se Jesus e Deus compartilham uma vontade, o poder de decisão, seria ridículo para uma pessoa da trindade orar para outra pessoa da trindade. Jesus mostrou que Ele é inferior a Seu Pai e unicamente Seu Pai é Deus pelo fato de ter orado a Ele.

Hebreus 5:7,8 - Ofereceu oração a Ele
Lucas 6:12 - Toda noite em oração a Deus
Mateus 11:25 - Oh Pai, Senhor do céu e da terra
João 17:1 - Pai, a hora é vinda
Mateus 26:39,42 - Oh meu Pai, se for possível

6. Jesus é inferior a Deus. Jesus ocupa a mais exaltada posição no universo depois de Deus. Jesus não é igual a Seu Pai. Deus é maior que Seu Filho, o Filho é inferior ao Pai. Jesus, portanto, não é Deus. Reconhecendo este fato não é equívoco dar glória apropriada a Cristo; é reconhecimento da verdadeira relação entre Deus e Seu Filho. Jesus declarou, “Meu Pai é maior do que Eu” (João 14:28).
Quando Jesus disse, “Eu e o Pai somos um” (João 10:30), Ele não ensinava que Ele e o Pai fossem um em essência ou ser (como afirmam os trinitarianos) ou um pessoa (como Sabelianismo ensina). Ele referiu-se a unidade de propósito e perfeito acordo que existe entre Ele e Seu Pai. Jesus rogou que esta mesma unidade se fizesse realidade entre Seus seguidores. (João 17:11, 21-23).
Jesus sempre entendeu que Seu Pai é maior que Ele. Isto claramente mostra que Jesus não pode ser em parte de um Deus trino.
João 14:28 - O Pai é maior que Eu
João 10:29 - Meu Pai é maior que tudo
I Coríntios 11:3 - O cabeça de Cristo é Deus
I Coríntios 3:23 - Cristo de Deus
Mateus 20:23 - Não me pertence dá-lo Pai.
I Cor. 15:24-28 - O próprio Filho sujeito ao Pai

Depois que o governo redentivo de Cristo houver sido completado e Deus tiver posto todos os inimigos debaixo de Seus pés, Jesus continuará a ser sujeito a Deus. Deus será Supremo. Ele será tudo em todos. “Pois ele tem colocado todas as coisas sob seus pés. Mas quando diz que todas as coisas são postas sob ele, é manifesto que Ele se excetua, o qual pôs todas as coisas sob seus pés, e Deus será tudo em todos.” (I Cor. 15:24-28).
Jesus viveu como servo de Deus. Ele rendeu perfeita obediência a Seu Pai. Ele sempre fez aquelas coisas que agradaram a Deus. Isto mostra que Jesus reconheceu- Se ser inferior a Deus.
Zacarias 3:8 - Meu servo o renovo
Mateus 12:18 - Eis aqui meu servo
Filipenses 2:7,8 - Na forma de servo
Hebreus 10:7,9 - Eu vim para fazer tua vontade, oh Deus.
João 4:34 - Eu faço a vontade Dele.
João 5:30 - A vontade daquele que me enviou
João 6:38 - Não para fazer minha própria vontade
João 8:29 - As coisas que o agradam
Lucas 22:42 - Não minha vontade, mas tua
Romanos 5:19 - Pela obediência de um.

7. Jesus inferior a Deus em atributos. O novo Testamento revela Jesus como inferior a Deus em atributos. Esta é uma indicação definitiva que Jesus não é o próprio Deus. Tampouco é igual a Deus ou idêntico a Deus. Ele não é parte de um Deus trino. Deus é infinito e perfeito em Seus atributos. Em todas estas coisas Deus é imutável .Sua perfeição infinita não aumenta ou diminui. O que Ele tem sido é o que sempre será. Jesus se mostrou inferior a Deus em Seus atributos.
Inferior em sabedoria. Deus é Onisciente. Ele é perfeito em sabedoria. “Conhecido de Deus são todas as obras desde o princípio do mundo.” Sua sabedoria é infinita, eterna e completa.
Jesus por outro lado, não era onisciente. Jesus “crescia em sabedoria,” (Lucas 2:52). Se Jesus fosse Deus com infinita sabedoria, como Ele poderia crescer em sabedoria? A sabedoria de Deus não é derivada ou adquirida. Sua sabedoria origina-se Nele próprio. “Quem o ensinou?” (Isa. 40:13,14). Jesus, por outro lado, recebeu sabedoria de Deus. (João 8:28).
A sabedoria de Deus inclui todas as coisas passadas, presentes e futuras. Ele sabe de todas as coisas. Jesus por outro lado, era limitado no conhecimento com relação a data do Seu retorno. (Marcos 12:32). Jesus não é Deus.

Lucas 2:52 - Jesus cresceu em sabedoria
João 5:19 - O que o filho vê o Pai fazer
João 8:28 - Como o Pai me ensinou
Marcos 13:32 - Não sabe a data de Seu retorno
Atos 1:7 - Na autoridade do Pai

Inferior em poder. Deus é onipotente. Ele é todo poderoso. Ele tem poder infinito. “Com Deus todas as coisas são possíveis.” O poder de Deus origina-se dentro Dele. Através de Seu poder, Deus faz toda a Sua obra. Jesus, por outro lado, não era onipotente. O poder de Cristo manifesto na realização dos milagres eram recebidos de Deus. Ele disse: “O Filho de Si nada pode”(João 5: 19). O poder do qual Cristo faz uso em Sua obra hoje e o qual Ele usará no governo da no Seu futuro reinado foi recebido de Deus. O poder de Deus origina-se em Si, Jesus recebeu poder de Deus. Jesus não é Deus.
João 5: 19 Filho de Si nada faz
João 5: 30 De mim nada faço
João 8: 28 Eu de mim nada faço
João 14: 10 Ele faz as obras

Inferior em vida. Deus sempre existiu. Nunca houve um tempo em que Deus não existiu. Deus não somente viverá para sempre no futuro, mas também para sempre viveu no passado. A vida de Deus não tem princípio. A vida de Cristo, por outro lado, teve um início definido. Houve um tempo em que Jesus não existiu. Jesus viverá para toda a eternidade no futuro, mas ele não viveu por toda a eternidade no passado. Jesus é inferior a Deus em relação a era e prévia dimensão da vida.
Deus é a fonte de toda a vida. Ele não deriva Sua existência de algo, Ele possui vida em Si mesmo. Jesus, no entanto, recebeu vida oriunda de Deus. Se não fosse por Deus, Jesus nunca teria existido. Jesus foi gerado do Pai. Sua vida deriva-se de Deus. O poder de Deus fez Maria conceber e dar a luz a um filho. Se não fosse pelo santo poder de Deus, Jesus nunca teria nascido. “O Espírito Santo descerá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá: Pois o santo que de ti nasceu será chamado o Filho de Deus” (Lucas 1:35). Jesus disse, “O Deus vivo me enviou, e eu vivo pelo Pai.” (João 6:57).
Jesus também recebeu a vida da ressurreição do Pai. Deus ressuscitou Jesus dos mortos através do Seu poder, o Espírito.
(Atos 10:40; 13:30; Rom. 10:9) Jesus voluntariamente deu Sua vida em sacrifício. Ele tinha autoridade para dá-la e tinha autoridade para recebe-la novamente. (João 10:17,18). Jesus não ressuscitou dos mortos por Si. Ele foi ressuscitado dos mortos pelo poder de Deus. Deus é a fonte de toda a vida; Jesus recebeu vida de Deus. Jesus não é Deus.
“Deus não pode morrer.” Deus é imortal. Ele não está sujeito à morte. Deus sempre foi imortal, e sempre será imortal. É impossível para Deus morrer. Jesus, ao contrário, nasceu mortal. Ele morreu. Jesus tinha as características do homem mortal. Ele experimenta fome (Mat. 4:2), sede (João 19:28), canseira (João 4:6), tentação (Mat. 4:1), e sofrimento (Luc. 24:46), Jesus morreu (João 19:33; I Cor. 15:3). Deus não pode morrer; Jesus morreu . Jesus não é Deus.
Jesus se tornou imortal quando Deus o ressuscitou da sepultura. Jesus recebeu a imortalidade de Deus. Jesus não pode morrer novamente. (Rom 6:9). Quando Jesus vier, todos os verdadeiros crentes serão feitos imortais com Ele. (I Cor. 15:52,53; Fil. 3:20,21).

8. Atributos divinos e posições recebidas de Deus. Alguns homens argumentam que Jesus deve ser Deus e uma parte da trindade porque Ele exerce certa autoridade divina e revela certos atributos divinos. Exaltado à mão direita de Deus, Jesus recebe autoridade e poder divino oriundo de Deus. Isto entretanto, não prova que Jesus é igual a Deus, o próprio Deus, nem uma parte de Deus. O fato de Jesus estar exaltado pelo Pai mostra que o Pai é maior que Jesus. O fato que Jesus recebe posições e obras divinas de Deus mostra que Jesus é inferior a Deus.
Hoje, Jesus tem sido exaltado à mais alta posição do universo, vindo antes dele somente Deus.
“Autoridade recebida de Deus”. Jesus disse: “Todo poder (autoridade) me é dado no céu e na terra” (Mateus 28: 18). Jesus sempre entendeu que Seu Pai era superior a Ele em autoridade. Ele viveu em perfeita obediência a Deus. Depois da Sua ressurreição, Jesus recebeu autoridade divina de Deus. A autoridade de Deus não é derivada; ela origina Nele. Deus é maior que Jesus; Jesus é inferior a Deus. Jesus não é Deus.
“Majestade recebida de Deus”. Jesus é designado Rei dos reis. Deus sempre foi o Rei do universo; Jesus recebeu sua autoridade de majestade oriundo de Deus. A base para o reino de Cristo está no fato de que Ele é o Filho de Davi (Lucas 1: 31- 33) e também o Filho de Deus (Salmos 21: 6- 9; Daniel 7: 14). Jesus não se tornou o Filho de Davi e o Filho de Deus até que Ele nasceu de Maria.
“Trabalho de julgamento”. Deus autorizou Jesus a ser Juiz da humanidade. Deus comissionou o julgamento a Seu Filho. Deus julgará a humanidade pela obra de Cristo, o Juiz. Jesus recebeu esta posição e obra da parte de Deus. ( João 5: 22, 27; Atos 10: 42; 17: 31.) O fato de Jesus Ter recebido esta prerrogativa do Pai, mostra que o Pa é superior a Ele. Jesus não é Deus.
“Sua presença invisível”. Embora Jesus esteja no céu, Ele está apto a estar em todo lugar presente com Seus seguidores. Ele disse: “Eis que esou sempre convosco, até o fim do mundo” (Mateus 28: 20). Jesus pode fazer isto mediante o poder de Deus, o Espírito. Jesus recebeu este poder de Deus. ( João 15: 26; Atos 2: 33). Durante seu ministério terreno, Jesus pode curar o servo do centurião ( Mateus 8: 5- 13) mesmo estando o servo enfermo a grande distância Dele. Ele também podia saber o que estava dentro do coração do homem. Jesus podia fazer estas coisas, não porque Ele seja parte de Deus trino, mas porque Deus deu poder a Ele para fazer estas obras.
9. Quatro argumentos trinitarianos considerados. Os trinitarianos se mostram contra a verdade de que Jesus não é Deus. Os quatro argumentos que eles usam para mostrar que Jesus é o próprio Deus são:
(1) Atributos divinos são aplicados a Cristo; (2) Prerrogativas divinas aplicadas a Cristo; (3) Alguns escritos afirmam que Jesus era a imagem ou plenitude de Deus; (4) A Jesus é dado o título de “Deus” em certos escritos.
Nós já consideramos o primeiro argumento e observamos que Jesus era inferior a Deus em atributos de sabedoria, poder e vida durante Seu ministério terreno. Ele era dependente de Deus em todas as coisas. Ao invés de provar que Jesus é Deus, Seus atributos provam que Ele não é Deus.
O segundo argumento também já foi considerado. O fato de que Jesus exerce ou exercerá certa autoridade Divina ou faz obras Divina (Rei, Juiz, etc) não indica que Jesus é Deus. Pelo contrário, nós notamos que Jesus recebe todas estas posições e obras de Deus, mostrando que Jesus recebeu todas estas posições e obras de Deus, mostrando que Jesus é inferior a Deus.
O terceiro argumento usado pelos trinitarianos contra a verdade que Jesus não é Deus está no fato de que certas escrituras colocam Jesus como a imagem de Deus. Estes versos são:
Filipenses 2: 6 Sendo na forma de Deus
Colossenses 1: 19 Nele habita toda plenitude
Colossenses 2: 9 Nele habita toda a plenitude
Colossenses 1: 15 A imagem de Deus invisível
2 Coríntios 4: 4 Cristo, que é a imagem de Deus
Hebreus 1: 3 Expressa Imagem de Sua pessoa
João 12: 45 Quem vê a mim O vê
João 14: 9 Quem me vê , vê o Pai

Estes versos não ensinam que Jesus é Deus. Eles não indicam que Jesus é parte da trindade. A palavra “imagem” significa “semelhança” ou “caráter estampado”. Jesus era a semelhança moral de Deus. Seu caráter refletiu os atributos moral de Deus – santidade, amor e verdade. Os homens puderam conhecer o caráter moral de Deus ou Sua imagem ao observarem a amável vida de Jesus. Sua vida revelou santidade, retidão, justiça, amor, misericórdia, gratidão, verdade, veracidade e fidelidade. Jesus era piedoso. Ele era como Deus em caráter e conduta. Jesus não era o próprio Deus. Ele refletiu o caráter de Deus em Sua perfeita vida.
O quarto argumento usado pelos trinitarianos é que a Jesus é atribuído o título de “Deus” em poucos escritos. Três escritos principais são: João 20: 28; Tito 2: 13; Hebreus 1: 8.
Este argumento está respondido no fato de que a palavra “Deus” (Hebraico “elohim” e grego “theos”) por algumas vezes é aplicado a homens e a anjos na Bíblia. Quando usada em sentido secular, a palavra “Deus” indica alguém que é representante do único Deus Supremo.
O termo Deus é aplicado nas escrituras principalmente em dois sentidos. O principal deles é quando ela o designa como quem governa e preside sobre todas as coisas no céu e na terra, e que não reconhece superior...neste sentido a escritura assegura que Deus é um. O outro sentido é quando ela denota um ser que tem recebido de Deus algum tipo de autoridade superior tanto no céu ou na terra entre os homens, ou poder superior a todas as coisas humanas, ou autoriade para assentar para julgar outros homens, e isto dá algum sentido de participação da Deidade do único Deus. ( The Racovian Catechism. Section III, Capítulo 1.)
Moisés foi designado como Deus em relação a Aarão. (Êxodo 4: 16) e a faraó (Êxodo 7: 1). Moisés foi chamado Deus (Elohim), mas ele não era um Deus supremo ou parte de uma trindade. Moisés era representante de Deus. Juizes humanos, representantes de um único Deus não são designados como Deus. Em Êxodo 22: 28 a palavra “deuses” referem-se a juizes humanos. Em Êxodo 21: 6; 22: 8,9; e 1 Samuel 2: 25, as palavras “juizes” é traduzida do hebraico elohim ou Deus. Salmos 97: 7 é citado em Hebreus 1: 6.
Os “anjos” de Hebreus 1 são os “deuses” em Salmos 97. Anjos são representantes de Deus, mas não o próprio Deus.
O israelitas foram chamados “deuses” em Salmos 82: 6, 7. Jesus citou este verso para mostrar este fato. “ Jesus respondeu-lhes, não está escrito em vossa lei, Eu disse, vós sois deuses? Se ele os chamo de deuses, àqueles a quem veio a palavra de Deus, e a escritura não pode ser quebrada; dizeis vós dele, a quem o Pai santificou, e o enviou ao mundo, tu blasfemas; pois Eu disse, Eu sou o filho de Deus?” (João 10: 34- 36).
O fato da palavra “Deus” ser usada em sentido secundário como representativa de Deus em Hebreus 1: 8 é mostrado no próximo verso.
Em Hebreus 1: 9 o único Deus é descrito como o Deus do Filho. “Tu tens amado a justiça, e odiado a iniquidade, por isso Deus, o teu Deus te ungiu como óleo da alegria mais que teus companheiros.”( Hebreus 1: 8, 9) é citação de Salmos 45: 6,7).
Jesus não é próprio Deus. Ele não é parte da trindade. Jesus é Filho de Deus.

evangelista Flávio ( Baseado em Teologia Sistematica Alfa Huffer)

Evangelista Flavio

Mensagens : 10
Idade : 52
Inscrição : 22/02/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Natureza da Trindade, Papéis da Trindade e Natureza Humana de Cristo. Uma breve exposição.

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum